quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Traição como vingança é coisa de vadia

Abigail Pereira Aranha
Se a mulher está insatisfeita com a relação, por que ela não termina logo?
A mulher que usa o chifre como vingança é uma reprimida que usa o corpo como arma. Não dizem que mulher não é só o corpo? Mas qual o raciocínio dessas senhoras? Se o meu homem faz o que eu quero, eu dou só pra ele. Se ele não está me agradando, eu deixo de dar pra ele e dou pra outro. Porque o melhor que eu tenho é a minha buceta e a melhor coisa que eu posso dar pra um homem é ele me comer sozinho.
A chifradora dá pra um homem com quem mal iria conversar se estivesse bem com o benzinho. O homem legal, carinhoso e com pegada que ela desprezou por anos agora vai conseguir transar com ela. Só numa hora dessas que ela dá algum valor pra um homem que presta, e só pensando em atingir outro homem.
Com honrosas exceções, as mulheres gostam dos canalhas e desprezam os homens que prestam. Mulher usa o chifre como arma quando o homem é frouxo ou gente boa. O cafajeste pode chifrar adoidado na cara dela, mas ela nem pensa em fazer a mesma coisa. Vai chorar no ombro do amigo gay ou assexuado. Mulher de cafajeste pula a cerca escondido, quando pula, porque o cafajeste tem coragem de largar ou de matar se virar chifrudo.
Tanto a chifradora é uma reprimida que ela transa e não sente o prazer do sexo. O prazer dela é só o de cornear. Talvez ela até se solte na cama, mas se sexo pra ela era obrigação do relacionamento ou moeda de troca, continua sendo.
A mulher que trai pra se vingar usa o chifre pra humilhar ou manipular o homem. É uma vadia que se leva muito a sério.
~ * ~ * ~ * ~ * ~ * ~

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook