terça-feira, 6 de maio de 2014

Violência contra o homem 22: quer ver a diferença entre homem acusado de pedofilia e mulher acusada de pedofilia?

Suspeito de molestar crianças é assassinado a tiros em aglomerado de BH

O homem foi morto com seis tiros enquanto orava com um amigo dentro de casa. Polícia apura denúncias de que vítima se relacionava com crianças do Aglomerado da Ventosa

Luana Cruz

Publicação: 04/05/2014 08:14

Um homem suspeito de molestar crianças foi assassinado dentro de casa no Aglomerado da Ventosa, Região Oeste de Belo Horizonte, e um amigo informou aos policiais militares que a vítima estava rezando no momento do crime. O homicídio aconteceu no Beco Cercadinho no fim da noite de sábado, quando os dois amigos se concentravam nas orações dentro do quarto da casa onde moram juntos.

De acordo com o amigo da vítima, dois homens encapuzados invadiram o barracão, chegaram até o quarto, pediram que ele virasse o rosto e executaram José Cardoso Filho com seis tiros. A testemunha disse que conhecia o amigo há muitos anos e morava com ele há apenas dois meses. Ele pediu socorro, mas quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou, José já estava morto no quarto. Os atiradores fugiram sem deixar rastros.

Os militares colheram informações no local do crime de que José é suspeito de estuprar crianças no aglomerado. Souberam também que a casa era visitada por menores com muita frequência. As denúncias ainda serão apuradas pela Polícia Civil. O amigo de José disse desconhecer qualquer relação da vítima com crianças. A perícia constatou perfurações de pistola 380 espalhadas pelas costas, ombro, mãos e perna de José.

Comentários

Autor: Carlo Oliveira

O tião....melhor morto...preso, na hora que sair cria problemas de novo... Guilherme, Desculpe-me se sou bobinho...você foi sarcástico né????? kkkkkkkkk

Autor: Guilherme ferreira

Absurdo, o suspeito estava rezando e dois bandidos truculentos tiram a vida do homem. Bandido nenhum tem direito de tirar a vida de ninguém, por que eles não respeitam os direitos humanos, será que eles são melhores que nós. Afinal eles são pagos com nosso dinheiro, uso e receptação que os sustentam.

Autor: geraldo silveira

TOLERÂNCIA ZERO esses monstros!!!

Autor: sebastião costa

Qual o pai aceita o filho/filha ser molestado/a? Se a justiça fosse correta e honesta, o crápula estaria preso.

Autor: Paulo Cruz

-1 pedófilo neste país das barbáries.

Estado de Minas, Belo Horizonte, 04/05/14, http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/05/04/interna_gerais,525122/suspeito-de-molestar-criancas-e-assassinado-a-tiros-em-aglomerado-de-bh.shtml.

Mulher foi espancada até a morte no Guarujá por causa de boato na internet

Vizinhos agrediram vítima por causa de retrato falado de suposta sequestradora de crianças

Do R7, com Rede Record

Fabiana foi encontrada com o rosto desfigurado e não resistiu à agressão

Reprodução Rede Record

Fabiana Maria de Jesus, 33 anos, moradora do Guarujá, litoral paulista, morreu na manhã desta segunda-feira (5) por causa de um boato, espalhado na internet, de que havia uma sequestradora de crianças na região. A investigação policial aponta para o rumor como motivo do crime e afirma que não havia nenhum boletim de ocorrência sobre sequestro de menores no Guarujá.

Fabiana foi amarrada, espancada e arrastada, no último sábado (3), por um grupo de moradores do bairro Morrinhos, no Guarujá. A agressão foi registrada em vídeo e, segundo os vizinhos, ela estava apanhando por ser a mulher que estava sequestrando crianças na região.

Duas imagens circulavam pelas redes sociais: um retrato falado, e uma foto de uma mulher. O primeiro, na verdade, pertence a um caso de 2012, ocorrido no Rio de Janeiro. Já a fotografia remete a uma página de humor no Facebook, chamada "Jaciara Macumbeira".

A página no Facebook Guarujá Alerta, que tem mais de 50 mil curtidas, chegou a receber diversas mensagens de internautas sobre a existência da suposta sequestradora. No dia 28 de abril, a página alertou que não havia registro policial de sequestro na cidade, e que "tudo não passava de boatos". Essa publicação foi compartilhada por 115 usuários.

Boato chegou a ser alertado por página no Facebook

Reprodução/Facebook

No dia seguinte, a página mais uma vez publicou que o caso era um boato, e colocou os links que esclareciam o retrato falado e a imagem de uma mulher, que circulavam na internet. Essa publicação teve 175 compartilhamentos.

Procurada pelo R7, a administração do Guarujá Alerta não se manifestou sobre o assunto. Na manhã desta segunda-feira, a página publicou que não se manifestaria sobre o assunto para não atrapalhar o trabalho da polícia.

Moradores chegaram a afirmar para a reportagem da Rede Record que ela "estava pegando crianças" e "tentou comprar uma criança com uma banana".

Outra moradora disse que os filhos não podiam mais ir ao colégio por causa dos sequestros.

Fabiana, que também foi arrastada no meio da rua, teve ferimentos graves e chegou a ser socorrida com vida. O Corpo de Bombeiros a encontrou com os pés amarrados e o rosto desfigurado.

Ela foi internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital Santo Amaro, com traumatismo craniano.

Em declarações à imprensa local, um homem que se dizia marido dela garantiu a inocência de Fabiana, afirmando que ela era portadora de transtorno bipolar e fazia acompanhamento médico. Ela também era mãe de dois filhos, um de 12 e outro de um ano.

A agressão agora é investigada pelo 1º Distrito Policial.

Justiceiros

A ação de grupos de justiceiros tem ganhado cada vez mais repercussão no Brasil. Em fevereiro, um adolescente de 15 anos foi preso a um poste, deixado nu e agredido por um grupo de homens, no Flamengo, zona sul do Rio de janeiro. Ele e outros dois colegas eram suspeitos de ter roubado bicicletas na região. À polícia, o rapaz disse que foi atacado com capacetes, rasteiras e joelhadas por cerca de 30 pessoas.

Revoltados, "justiceiros" lincham e matam nas ruas suspeitos de crimes. Relembre casos marcantes

Uma artista plástica postou fotos do adolescente no Facebook. A apresentadora do SBT Rachel Sheherazade fez um comentário dizendo que a atitude dos agressores "é compreensível" e, nas redes sociais, gerou polêmica sobre fazer justiça com as próprias mãos.

Outro caso emblemático aconteceu também no Rio de Janeiro, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Igor de Oliveira Falcão, de 20 anos, aparece em um vídeo sendo executado no meio da rua. Ele seria um assaltante da região.

R7, 05/05/14, http://noticias.r7.com/sao-paulo/mulher-foi-espancada-ate-a-morte-no-guaruja-por-causa-de-boato-na-internet-05052014.

"Foi uma crueldade", diz irmã de mulher morta após ser espancada

Ela foi agredida após ser acusada de praticar magia negra com crianças.

Advogado diz que postagem em página de rede social gerou boato.

Do G1 Santos

Irmã de Fabiane fala sobre o caso (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Irmã de Fabiane afirma que vítima foi agredida com crueldade (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Familiares e amigos da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, que morreu após ser espancada ao ser confundida com uma sequestradora de crianças, em Guarujá, no litoral de São Paulo, disseram que irão até as últimas consequências para punir os culpados pela morte. Segundo a família, ela foi agredida após um boato gerado em uma página em uma rede social que afirmava que a dona de casa sequestrava crianças para utilizá-las em rituais de magia negra.

O espancamento aconteceu no bairro Morrinhos no início da noite deste sábado (3). A mulher foi amarrada e agredida e, segundo testemunhas, os moradores afirmavam que a mulher havia sequestrado uma criança para realizar trabalhos de magia negra. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Guarujá, onde será investigado. Até o momento, ninguém foi preso. A polícia está analisando as imagens da agressão e tenta identificar os envolvidos no caso.

Mulher morreu apos ser espancada em Guarujá, SP (Foto: Arquivo Pessoal)

Mulher morreu após ser espancada em Guarujá (Foto: Arquivo Pessoal)

De acordo com familiares de Fabiane, após as agressões, ela sofreu traumatismo craniano e foi internada em estado crítico no Hospital Santo Amaro, também em Guarujá. Minutos após a agressão, a Polícia Militar chegou a isolar o corpo de Fabiane acreditando que ela estava morta após o espancamento. Na manhã desta segunda-feira, porém, a família recebeu a informação de que Fabiane não havia resistido aos ferimentos e morreu.

"Foi uma crueldade. Isso não se faz com uma pessoa. É muita maldade o que fizeram com a minha irmã", lamenta Lediane de Jesus Ribeiro, irmã de Fabiane. Também na porta do hospital, um dos primos dela confirmou a versão de que Fabiane foi agredida depois de boatos na internet. "Tudo começou com um boato. Divulgaram fotos no Facebook, onde várias pessoas têm acesso diariamente. Disseram que essa pessoa da foto parecia com a minha prima, mas não tinha nada a ver com ela. Mesmo que fosse, pela brutalidade que foi feita, não justifica. Mataram ela, deram pauladas, jogaram bicicleta, amarraram, arrastaram. Essas pessoas não podem viver na sociedade. Elas têm que viver excluídas da sociedade, presas, dentro de uma cela", reclama o Eduardo Ribeiro, primo de Fabiane.

Advogado Airton Sinto disse que buscar a justiça (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Advogado Airton Sinto disse que vai buscar a justiça (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Advogado acusa página de rede social

O advogado da família da vítima, Airton Sinto, diz que algumas pessoas teriam visto, na página do Facebook 'Guarujá Alerta', o retrato falado de uma mulher que estaria sequestrando crianças em Guarujá e pensaram que se tratava de Fabiane.

Segundo ele, Fabiane não teve tempo de se defender das acusações e agressões. O advogado diz que o autor da página na internet ainda não foi identificado, mas entende que quem fez a postagem foi responsável pelo crime.

"A gente não vai descansar enquanto não houver Justiça em relação aos agressores. A gente precisa levantar o debate em relação à irresponsabilidade das pessoas que divulgam o que quiserem nos sites de relacionamento. Eles arrasaram uma família. Eu tenho certeza que quem administra essa página não tinha intenção de matar uma mulher, mas é responsável na medida de sua culpabilidade. Eu falo dessa página porque tem 50 mil seguidores. Quando ele coloca uma letra, uma vírgula, isso vai para 200, 300 mil pessoas. Em nome da Fabiane, a gente tem que levantar esse debate", afirma.

O G1 entrou em contato com o administrador da página Guarujá Alerta, responsável pela divulgação do material. Segundo o administrador da página, que não quis ser identificado, o Guarujá Alerta sempre alertou os seguidores de que a situação era apenas um boato. O administrador da página assume que publicou um retrato falado semelhante ao da vítima, foto que foi removida algumas horas depois. O administrador afirma que a página vem sendo alvo de perseguição política, já que faz graves denúncias sobre a cidade. O responsável pela página Guarujá Alerta afirma ainda que está aberto para qualquer esclarecimento judicial e se compromete a pedir uma perícia técnica para comprovar que nada foi apagado da página do Facebook.

G1 Santos, 05/05/14, http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2014/05/foi-uma-crueldade-diz-irma-de-mulher-morta-apos-ser-espancada.html.

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / A Vez dos Homens que Prestam

Homem acusado de pedofilia:

1 - Acusado é igual a culpado.

2 - Pode ser linchado.

3 - Matéria curta e morreu o assunto.

Mulher acusada de pedofilia linchada por populares:

1 - Acusação sem provas vira acusação sem provas.

2 - "Em rápida pesquisa pela internet, é possível encontrar o desenho em outras postagens de diferentes crimes. Um, inclusive, foi escrito em 2009 e utiliza a mesma foto" ("Mulher é morta por justiceiros depois de boato criado na internet", O Tempo, Belo Horizonte, 05/05/14, http://www.otempo.com.br/capa/brasil/mulher-%C3%A9-morta-por-justiceiros-depois-de-boato-criado-na-internet-1.832979). Ou seja, boato vira boato.

3 - Várias matérias sobre o assunto. No G1, de onde foi copiada esta matéria: "Delegado diz que vídeo da agressão já está com a polícia: 'Crime bárbaro'".

4 - Ah, a polícia vai atrás dos linchadores.

5 - Crueldade vira crueldade.

6 - "Essas pessoas não podem viver na sociedade. Elas têm que viver excluídas da sociedade, presas, dentro de uma cela".

7 - "A gente precisa levantar o debate em relação à irresponsabilidade das pessoas que divulgam o que quiserem nos sites de relacionamento".

8 - Um advogado pode processar a página onde foi divulgado o boato sem ser acusado de defender pedófilo.

9 - Declaração de morador não vira laudo de investigação.

10 - Tem que voar um pouquinho de sangue em cima da "extrema-direita". O administrador da página Guarujá Alerta diz que está sendo perseguido por criticar o governo. A prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito, é do PMDB (partido aliado ao PT). O advogado citado na matéria do G1, Airton Sinto, foi concorrente dela na eleição de 2012, mas no segundo turno, entre as opções, escolheu apoiá-la (nota de esclarecimento em http://airtonsinto.blogspot.com/2012/12/nota-de-esclarecimento-desde-o-dia-que.html). Pode até não ter nada a ver, mas são umas coincidências interessantes. Além da menção à Rachel Sheherazade (que além de cristã conservadora tem uma tendência feminista, mas dá umas dentro) e aos "justiceiros" na matéria do R7.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook