sexta-feira, 2 de junho de 2006

Calma, rapaz, pode olhar pro meu corpo

Abigail Pereira Aranha
Ontem, eu fui a uma oficina procurar um mecânico ex-colega de trabalho do meu pai e grande amigo dele. Aí, eu estou lá e vejo que um colega dele estava guardando alguma coisa escondido de mim. Perguntei brincando:
- Oi, fofo, é calendário com foto de mulher pelada?
E era, vi pela cara dele. Aí, eu respondi:
- Gente, não precisam ficar com vergonha por minha causa. Muita menina é babaca, é fresca, detesta pau duro, mas eu não. Eu não posso gostar, mas vocês podem.
É que o amigo do meu pai não sabia da minha má fama, só sabia que eu tenho 15 anos. Aí, ele disse alguma coisa sobre respeitar mulher, ainda mais adolescente, aí eu respondi:
- Eu entendo. Ou melhor, não entendo quem teve a idéia de que respeitar uma mulher é fingir que ela não é mulher. Se vocês dois ficassem com a barraca armada na minha frente, isso seria desrespeito? Cuspir na minha cara seria desrespeito. Olhar pra minha bunda não. Ou passar a mão na minha bunda, ou sexo mesmo, seria falta de respeito de todo jeito? Mulher que acha que tocar nela é falta de respeito é lésbica, é idiota.
Aí, eu pedi pra ir ao banheiro, tirei a roupa e abri a porta:
- Aí, vocês estão me vendo pelada. Qual o problema? Vou ficar com medo de quê? De vocês me comerem? É por causa do meu pai? Eu vou até falar com ele que eu bati esse papo com vocês. Ontem mesmo a gente estava conversando sobre isso.
E eu estava saindo, falei com eles brincando:
- Da próxima vez, eu quero ver umas páginas de revista de sacanagem na parede.
Nessa hora, estava entrando um casal na oficina. A mulher que era branca ficou rosa, o homem que era mulato ficou amarelo.
Bom, eu mal comecei este blog e já estava pensando nessas coisas por estes dias. Eu tenho 15 anos, como eu disse, e sabe como é a moça nessa idade. E eu me desenvolvi pra caramba. Os meus seios e a minha bunda já estão entre as maiores que eu já vi, e eu também cresci um bocado, estou com 1,63 m. Os homens olham pra mim. E onde está o problema? No máximo, o problema está em ser o Astolfo, que é um velho cachaceiro babaca, e não o Durval, que é mais velho e não muito bonito, mas é gentil e bom de papo.
E a mulher que posa de topless para um calendário, ou nua pra Playboy, ou faz um filme pornográfico, ela vale menos porque os homens vão ver o corpo dela? Parece que muita gente confunde uma mulher ser mais que o corpo com essa mulher ter horror ao "corpo" do homem, confunde uma mulher ter valor com ela nunca ter um orgasmo na vida nem parecer interessada em ter um. Está certo que, se eu fizer material pornô, naquela hora em que os homens me verem vão ver é o corpo mesmo. Mas por que eu não posso mostrar idéias bacanas ou um trabalho em uma boa causa em outros canais? E se eu sair da pornografia e for apresentadora de um programa de debates na televisão, por exemplo, e for uma apresentadora muito boa, muito bem informada, muito inteligente, qual o problema de um telespectador que já me viu na pornografia me ver ali? Ele vai ter de escolher se olha pro meu corpo ou pra minha inteligência?
Uma mulher comum quer usar uma roupa que valoriza o corpo mas não quer que os homens olhem? Um homem gosta de ter uma filha linda, mas não gosta que os rapazes cheguem perto? Que incoerência é essa?

Página no Facebook