sábado, 31 de janeiro de 2015

John Galt já está em Miami | Rodrigo Constantino - VEJA.com

Por Paulo Figueiredo Filho, para o Instituto Liberal

Na política, dizem que não há melhor pesquisa qualitativa do que uma conversa com um taxista. A minha versão pessoal é o meu cabelereiro – ou barbeiro, na tradução heterossexual. Talvez por isso eu converse com tanto interesse com o sujeito que apara minha cabeleira há uns 15 anos em um salão bacana na orla do Rio. Em nosso último bate-papo, chamou-me a atenção que ele se queixava da perda de vários clientes fiéis por um motivo: estavam todos se mudando do Brasil.

John Galt já está em Miami | Rodrigo Constantino - VEJA.com

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Feministas confirmam: estupro é crime na cultura do estupro

Abigail Pereira Aranha

Olá, meus amigos e minh@s inimig@s! Sobre a loucura da "cultura do estupro", eu poderia só citar um comentário de uma mulher quando a Lola Aronovich falou asneiras contra as mulheres contra o Lesbonazismo: "eu nunca vi homem nenhum se gabando de que era um estuprador fodão e que tinha todo direito de fazer isso" ("Mulheres contra o feminismo", 28/07/2014, http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2014/07/mulheres-contra-o-feminismo.html. Comentei em "Mulheres Contra o Feminismo e o Feminismo contra elas - parte 1: comentando postagem de professora universitária lesbonazista"). Poderia só comentar que, a não ser que você seja policial ou trabalhe em abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica, você pode contar nos dedos as mulheres que você conhece pessoalmente que foram estupradas alguma vez.

Mas vamos nos divertir um pouco com @s inimig@s. Primeiro, Lola Aronovich em "Cultura de estupro? Não, imagine!" (01 de agosto de 2012, http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/08/cultura-de-estupro-nao-imagine.html):

Cultura de estupro é o comercial da Nova Schin estar passando na TV há meses sem que se veja qualquer problema. Não viu o comercial? Eu explico: um grupo de amigos, só homens e brancos, bebem na praia, quando um deles, ao observar mulheres, pergunta pros outros: "Já pensou se a gente fosse invisível?". (...)

Até que entram num vestiário feminino. A câmera não mostra tudo, só as latinhas abrindo a porta, e mulheres correndo pra fora, aterrorizadas. (...) Daí eu imagino que os publicitários saibam que, desde 2009, as leis brasileiras deixaram de considerar estupro apenas quando há penetração vaginal. Hoje temos uma das leis mais abrangentes do mundo, e passar a mão também pode ser visto como estupro. Ou seja: o que os homens invisíveis do comercial da Nova Schin fazem, pela lei, é estupro. (...)

Mesmo que os publicitários não conheçam a lei, eles definitivamente conhecem O Homem Sem Sombra, filme de 2000 do Paul Verhoeven. Nesse thriller, Kevin Bacon faz um cientista que descobre a fórmula da invisibilidade, e a testa nele mesmo. Ele vai ficando cada vez mais obcecado com esse poder, até que decide estuprar uma vizinha que ele espia pela janela. A cena é terrível (você pode vê-la aqui, e aqui a continuação, com o comentário do diretor explicando que tiveram que suavizar o estupro), mas mais chocante ainda é o número de comentaristas no YouTube fazendo piadinhas ("ela vai ter um filho invisível?") e afirmando que, na pele do cientista, fariam exatamente a mesma coisa -– estuprariam mulheres.

(...) Não tenho tempo para encontrar todas as pesquisas que já li mostrando que, se estupro não fosse crime, muitos homens estuprariam. Margo Paine fez um estudo com universitários americanos, e os números, publicados em Body Wars, não são bonitos. 30% dos entrevistados responderam que estuprariam se não houvesse consequências legais.

Agora, vamos a Rossalyn Warren, do BuzzFeed News Reporter, em "Um terço dos estudantes do sexo masculino diz que eles estuprariam uma mulher se não houvesse consequências" (20 de janeiro de 2015, http://www.buzzfeed.com/rossalynwarren/um-tereo-dos-estudantes-do-sexo-masculino-diz-que):

Em um estudo liderado pelo professor Sarah Edwards e publicado em Violence and Gender, 86 estudantes universitários americanos do sexo masculino preencheram várias pesquisas diferentes. Eles foram convidados a autodenunciar a probabilidade de se envolverem em certos tipos de uma conduta sexual – desde forçar uma mulher a fazer algo sexual que ela não quer ao estupro – "se ninguém jamais souber e não houver nenhuma consequência".

A última coisa que se espera de uma cultura que incentiva ou não vê mal em alguma coisa é que ela criminalize essa coisa. O Brasil não poderia ser o país do Carnaval se um desfile ou um baile de carnaval fossem proibido por lei. Isso é claro para pessoas de raciocínio normal. Mas a professora universitária e a colunista conseguem ver uma cultura de X onde X é crime e onde os homens normais NÃO praticam X para não serem PRESOS. Ou seja, a "cultura do estupro" só está nas ações dos homens invisíveis e nas fantasias dos homens visíveis. E o pior é que elas conseguem DIZER isso.

Ah, e o mês em que a srta. Rossalyn publicou aquele texto foi o mesmo janeiro de 2015 em que saiu a notícia de que o ENEM do ano anterior teve meio milhão de redações tirando zero. E o ano de 2012 em que a dona Lola escreveu esta postagem foi o mesmo em que o ENEM deu nota máxima para redações com erro de ortografia. A primeira notícia foi escândalo nacional. E a segunda, só entre a direita liberal-fascista-cristã-fundamentalista-gay-homofóbica. Será que estou saindo tanto assim do assunto?

É normal para uma feminista dizer que o estupro é crime, a sociedade incentiva o estupro e a sociedade reprime a sexualidade feminina. Mas o pior é que a maioria da população acredita. Por isso a dona Lola pode ser professora da Universidade Federal do Ceará, talvez o único nome de que você já ouviu falar desta universidade. Porque o Brasil está em decadência moral, mental e de testosterona.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Quem votou no PT merece e precisa viver o horror da falta de água e de energia elétrica

Abigail Pereira Aranha

Os níveis dos reservatórios do Sudeste estão abaixo daqueles observados em 2001, em pleno racionamento de energia da era FHC.

Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostram que os reservatórios estavam, nesta quarta, com 17,43% na região Sudeste/Centro-Oeste e em 17,18% na região Nordeste. Nas regiões Sul (67,17%) e Norte (35,2%), a situação é melhor. Só para comparar: quando houve o apagão, em 2001, os reservatórios do Sudeste tinham quase o dobro de água: 31,41%. É que, então, não havia termelétricas em número suficiente. Agora haveria... Será? A economia brasileira cresce perto de zero. Só por isso não houve apagão ainda.

"Estamos na antessala do racionamento. Por isso o pedido de providencias ao governo. A última coisa que queremos é que a atividade industrial seja prejudicada, afetando o crescimento da economia", diz Cristiano Prado, gerente de competitividade industrial da Firjan. Para o consultor Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (Cbie), o mau planejamento da demanda energética agravou as consequências da conjunção climática desfavorável.

Vai ser didático para o eleitor do PT ficar sem água. Não, este não é mais um daqueles malditos posts irônicos. Eu realmente acredito que a escassez prolongada terá um efeito transformador na forma através da qual percebemos as consequências de nossos atos.

Não quero parecer leviana. Sei que hospitais e escolas vão enfrentar crises, a economia murchará e a vida das pessoas se tornará um rascunho da titica do cavalo do bandido.

Mas o ser humano só se mexe mesmo quando está à beira do abismo. E, às vezes, nem isso.

Situação que, no Brasil, é vulgarmente conhecida como "a hora em que a água bate na bunda". Porém, como não tem mais água por aqui, o pessoal não se ligou.

O clima mudou por aqui. Não faltou cientista, ambientalista e jornalista para dizer isso. Poucos ouviram. Não houve conscientização pela palavra ou pelos dados, então ela será pela pedra. Pois não estamos vivendo uma situação excepcional. Crises hídricas como essa serão comuns daqui para a frente. Ou seja, é incompetência e irresponsabilidade mesmo.

O governo Dilma não fez a obras necessárias para aumentar a capacidade de armazenamento de água, negou-se a racionar por conta das eleições e, o pior, a debater o assunto abertamente.

Enquanto isso, o grosso dos eleitores do PT, sejam pessoas ou empresas, ainda acredita no que aprendeu na terceira série do ensino fundamental: de que o Brasil é um dos campeões mundial de água doce e que ela nunca vai faltar. E usa o recurso como se a palavra "renovável" significasse "eterno".

Acho bom que falte água. Que as torneiras sequem. Que as pessoas parem de lavar seus carros três vezes por semana. Que a mangueira seja aposentada como vassoura. Que os banhos fiquem curtos. Que as empresas deixem de desperdiçar. Que o preço da água suba – porque só se dá valor para coisa cara por aqui. Que o governo deixe de ser negacionista, mas planeje e execute. Que se entenda o real valor da água.

Pena que isso vai atingir, indiscriminadamente, quem sempre tratou o recurso de forma racional e tem questionado o poder público quanto às soluções para o problema e o bando de malucos inconsequentes, que culpa São Pedro e não a si mesmo por tudo o que está acontecendo. Como adutora não escolhe entre racionais e celerados, por aqui, o Juízo Final virá para todos.

Acredito que o Brasil que se reerguer dessa catástrofe será mais consciente do que aquela que temos hoje. Porque vai ver o horror de perto.

O primeiro parágrafo é de um texto do Lauro Jardim, 21 de outubro de 2014 ("Nível mais baixo", http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/reservatorios-do-sudeste-que-abastecem-hidreletricas-estao-em-niveis-mais-baixo-do-que-nos-tempos-do-racionamento-de-fhc). O segundo parágrafo é de um texto do Reinaldo Azevedo, 22 de janeiro de 2015 ("Ministro de Minas e Energia vê risco de apagão. O que foi mesmo que Dilma disse há dois anos e quatro meses? Grande planejadora!", http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/ministro-das-minas-e-energia-ve-risco-de-apagao-o-que-foi-mesmo-que-dilma-disse-ha-dois-anos-e-quatro-meses-grande-planejadora). O terceiro parágrafo é de outro texto do Reinaldo Azevedo, 19 de dezembro de... 2012 ("Risco de apagão em país que cresce 1,5%? Dilma é a grande chefe da área há 10 anos. Deu mais pitos do que soluções", http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/risco-de-apagao-em-pais-que-cresce-15-dilma-e-a-grande-chefe-da-area-ha-10-anos-deu-mais-pitos-do-que-solucoes). Os outros parágrafos são de um texto de 15 de outubro de 2014 do... Sako Morto, "São Paulo merece e precisa viver o horror da falta de água" (http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2014/10/15/sao-paulo-merece-e-precisa-viver-o-horror-da-falta-de-agua). Só troquei "paulistanos" e "sociedade paulistana" por "eleitores do PT", "governo do Estado de São Paulo" por "governo Dilma" e "São Paulo" por "Brasil". E também "leviano" por "leviana" pra fingir que era eu que estava escrevendo. Hua, hua, hua, hua, hua!

Apêndice

Leonardo Sakamoto, 15/10/2014. São Paulo merece e precisa viver o horror da falta de água Disponível em http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2014/10/15/sao-paulo-merece-e-precisa-viver-o-horror-da-falta-de-agua.

São Paulo merece e precisa viver o horror da falta de água

Vai ser didático para o paulistano ficar sem água. Não, este não é mais um daqueles malditos posts irônicos. Eu realmente acredito que a escassez prolongada terá um efeito transformador na forma através da qual percebemos as consequências de nossos atos.

Não quero parecer leviano. Sei que hospitais e escolas vão enfrentar crises, a economia murchará e a vida das pessoas se tornará um rascunho da titica do cavalo do bandido. Afinal, estamos falando de milhões concentrados em um pequeno espaço poluído e caótico dependente do sistema Cantareira.

Mas o ser humano só se mexe mesmo quando está à beira do abismo. E, às vezes, nem isso.

Vejamos um paralelo: diante da negação por parte de governos e o setor empresarial, um renomado cientista declarou, pouco antes de uma das cúpulas globais do clima, que era melhor deixar os fatos tomarem seu curso natural, o planeta aquecer, refugiados ambientais quadruplicarem, cidades nos países ricos serem invadidas pelo mar, a fome surgir no centro do mundo, guerras ambientais ocorrerem. Só assim pessoas e países tomariam atitudes mais fortes que as insuficientes alternativas atuais, como o mercado de carbono.

Situação que, no Brasil, é vulgarmente conhecida como "a hora em que a água bate na bunda". Porém, como não tem mais água por aqui, o pessoal não se ligou.

O clima mudou por aqui. Não faltou cientista, ambientalista e jornalista para dizer isso. Poucos ouviram. Não houve conscientização pela palavra ou pelos dados, então ela será pela pedra. Pois não estamos vivendo uma situação excepcional. Crises hídricas como essa serão comuns daqui para a frente. Ou seja, é incompetência e irresponsabilidade mesmo.

O governo do Estado de São Paulo não fez a obras necessárias para aumentar a capacidade de armazenamento de água, negou-se a racionar por conta das eleições e, o pior, a debater o assunto abertamente.

Enquanto isso, o grosso da sociedade paulistana, sejam pessoas ou empresas, ainda acredita no que aprendeu na terceira série do ensino fundamental: de que o Brasil é um dos campeões mundial de água doce e que ela nunca vai faltar. E usa o recurso como se a palavra "renovável'' significasse "eterno''.

Sem contar que o país como um todo, na sanha louca de uma visão deturpada de "progresso'', talhou tanto a Amazônia (que é a grande fonte hídrica para a região onde está São Paulo, através do envio de umidade) que esse fluxo sofreu impacto. O interior de São Paulo, sem ligar lé com cré, elegeu um rosário de ruralistas que ajudaram a derrubar o Código Florestal, contribuindo com a diminuição da proteção ambiental.

Acho bom que falte água. Que as torneiras sequem. Que as pessoas parem de lavar seus carros três vezes por semana. Que a mangueira seja aposentada como vassoura. Que os banhos fiquem curtos. Que as empresas deixem de desperdiçar. Que o preço da água suba – porque só se dá valor para coisa cara por aqui. Que o governo deixe de ser negacionista, mas planeje e execute. Que se entenda o real valor da água.

Pena que isso vai atingir, indiscriminadamente, quem sempre tratou o recurso de forma racional e tem questionado o poder público quanto às soluções para o problema e o bando de malucos inconsequentes, que culpa São Pedro e não a si mesmo por tudo o que está acontecendo. Como adutora não escolhe entre racionais e celerados, por aqui, o Juízo Final virá para todos.

Acredito que a São Paulo que se reerguer dessa catástrofe será mais consciente do que aquela que temos hoje. Porque vai ver o horror de perto.

Será uma cidade melhor. Mesmo que tenhamos que movê-la para outro lugar.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Liberação da mulher é o cacete!

Abigail Pereira Aranha

Olá, meus amigos e minh@s inimig@s! Eu já tinha pensamentos soltos sobre a dita liberação sexual das mulheres quando um amigo meu do Facebook compartilhou a postagem "Eu sou Depravada, admito!" do blogue Bem Resolvida (19 de abril de 2012, http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/04/viva-pornografia.html). Eu já vi o tipo só no "bemresolvidanavida". Vou começar pela moça, depois vou abordar o geral. No texto, ela diz que é louca por pornografia desde o tempo das fitas VHS, mas o marido dela... não acompanhava. Um mês antes (13 de março de 2012), ela postou "Um Pornô pra ele se animar" (http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/03/um-porno-pra-ele-se-animar.html).

A Bem Resolvida se identifica como "Mulher, mãe, amiga, companheira, amante, leal, cúmplice, guerreira, canceriana, Botafoguense e muito Bem Resolvida." O marido não sabia (ainda vou comentar). O blogue tem banalidades como "Madonna está chegando", "Picanha", "Garfield e a Segunda-Feira" e "Última semana de Férias...", no meio de coisas mais "alegres" como "O Homem e o Beijo", "Sexy Nerd e o Canudo" (Sexy Nerd era o então companheiro dela), "Ele com outras", "Minha Primeira Vez No Motel", "Imaginação é Tudo!" e "Sexo Na Praia". Ou era a safadeza no meio das banalidades? Vamos lá:

01) Teve uma filha com um cafajeste que se viciou em bebida e drogas e nem se preocupa com a menina ("Tem horas que é foda", 3 de novembro de 2008[01]). Chama a filha de "Mini BR" (Bem Resolvida), mas está na cara que a menina vai ser mais uma lésbica frustrada.

02) Duas postagens em dois dias seguidos só de amenidades sobre ela própria ("Meme", 11 de novembro de 2008; e "Mais sobre mim", 12 de novembro de 2008[02]). Meus amigos no Facebook já viram que dois ou três dias é o que eu passo fora da internet para escrever ou traduzir para três idiomas algo que espero que seja útil.

03) Ela já tinha a senha do e-mail do pai da filha dela e entrou: "descobri que ele não só lê o blog como envia posts e comentários para esse email dele e que todos os nossos emails trocados, coisas super íntimas que escrevemos, ele mostra para uma AMIGA, que agora no telefone ele me disse ser casada". "E meu chão caiu!!" ("Traição e Decepções", sexta-feira 13 - quiá, quiá, quiá, quiá, quiá! - de fevereiro de 2009[03], maiúscula no original).

04) "Se eu não quisesse privacidade não usaria um pseudônimo, colocaria meu nome, sobrenome e foto do meu rosto, correto? (...) Queria a privacidade de escrever anonimamente sem que meus amigos, parentes ou namorado lessem o que escrevo. Acho que mereço isso! Também disse pra minha melhor amiga que não gostaria que ela lesse meu blog e quando ela me achou (diferente dele que me procurou, ela me achou lendo outros blogues) veio logo me dizer pedindo desculpas..." ("E o que aconteceu....", 15 de fevereiro de 2009[04]). Eu já tive parentes me ofendendo e amigos ficando horrorizados pelo meu blogue A Vez dos Homens que Prestam, mas eu dou a cara a tapa (escondo a cara aqui pra não morrer a tapas, hehehehe).

05) Se dizia bem resolvida quando tinha um emprego terceirizado em "uma multinacional de nome" ("Acho Que Me Fudi!!", 5 de março de 2009[05]); quando saiu, já estava "desgostosa de tudo e todos, enojada das pessoas falsas" ("Atualizando", 17 de março de 2009[06]).

06) "Descobri que sou Bem Resolvida, SIM!", 27 de agosto de 2010[07]. Depois de um ano e meio se tratando de DEPRESSÃO e descobrir que era por causa de DTM (Disfunção Temporo-Mandibular). E postando em um blogue intitulado Bem Resolvida.

07) "Flertes no trabalho" (23 de março de 2012[08]): ela foi maquiada para o trabalho pensando que isso, disse ela, "inflaria um pouco meu ego necessitado de atenção masculina e não deu outra". Pelo que ela disse, o único que não dava atenção à beleza dela nem tinha interesse sexual por ela era o próprio marido. Muito suspeito! Eu sei o que é um homem gostar de estar com uma mulher que ele conhece e oferece algo ALÉM do sexo. Bom, às vezes são dois ou três homens.

08) "Aborto e Religião" (11 de abril de 2012[09]): um pouco de discurso feminista anticristão. Oh, que surpresa! Mas tem mais.

09) Em 11 de maio de 2012, ela responde a uma "Entrevista da Semana"[10], três perguntas mais gerais e as outras sobre sexo. Ela conta que já transou com mulheres. Eu sabia!

10) "Peito Pequeno é Documento??" (28 de maio de 2012[11]): "não são do mesmo tamanho, são pequenos e um deles é maior que o outro e eu sempre tinha medo de o cara ver e achar feio, engraçado, ou não querer me ver mais por causa deles"; "a mulher que ganha um sujeito só com o decote é porque não tem mais nada de bom pra seduzir". Bem Resolvida ou Bem Invejosa? Hua, hua, hua, hua, hua!

11) Penúltima postagem do blogue: ela na "Marcha das Vadias", 29 de julho de 2013[12]. <ironia>Nossa, por essa eu não esperava!</ironia>

Bom, agora vamos ao título. Algumas mulheres viram o "cacete" e já fugiram, hua, hua, hua, hua, hua! Na década de 50 um homem mal conseguia falar com uma mulher mesmo em países decentes. As feministas dirão que isso melhorou por causa do Feminismo. Mais ou menos. O que faz cada vez mais mulheres estarem mais desinibidas para se aproximarem dos homens é o mesmo que faz cada vez mais mulheres serem policiais, militares, pedreiras, comentaristas de futebol, até lutadoras: um ambiente onde, como dizem os feministas, "lugar de mulher é onde ela quiser". Mas isso é só meia liberdade, da metade das mulheres. Da metade dos homens, vamos ver daqui a pouco.

Se a prostituição e a pornografia cresceram, é porque a qualidade de vida melhorou em todo o mundo, os homens ainda ganhavam a maior parte do dinheiro e o mundo ainda tinha países politicamente decentes. E o crescimento do mercado trouxe prostitutas mais apresentáveis se juntando àquelas sem mais expectativa na vida, como múmias alcóolatras e jovens expulsas de casa. E, claro, se a pornografia ou a prostituição crescem, é porque a mulher típica NÃO é sexualmente liberal.

Matérias de revistas femininas sobre sexo são para agradar o mesmo marido, o mesmo chefe, o mesmo ricaço com um pé na sepultura. Não o amigo amável e prestativo. Em revistas para homens, ainda há algo sobre seduzir uma mulher fora de uma relação estável.

Como diriam as lesbonazistas, e os homens? De uns 50 anos pra cá, o que melhorou para eles em termos de sexo real além de poderem transar com uma moça mediana sem terem de se casar sob ameaça de morte do pai dela? Para um homem heterossexual mediano, já é muito ter duas colegas de trabalho casadas para conversas agradáveis sobre amenidades. Sair de uma casa noturna com uma mulher é sorte de poucos, o mais provável é sair com patadas de lésbicas feias ou um soco de um cretino. E, claro, o homem que diz que as mulheres modernas estão promíscuas deveria dizer quantas lhe fizeram propostas sexuais no último mês e por que não transou com nenhuma delas.

Onde está a liberalidade onde o número de denúncias de estupro e assédio sexual só aumenta, principalmente o de FALSAS denúncias? Já temos casos de sexo casual denunciado pela mulher como estupro no dia seguinte. Mulheres "comuns" são advertidas no trabalho ou demitidas por publicarem uma foto sensual no perfil pessoal de rede social. E os "vagões rosa", para mulheres literalmente evitarem os homens? Você tem tranquilidade para acessar pornografia ou mesmo uma foto de uma mulher de lingerie em uma lan house? Ah, e você já viu sobre aquelas bonecas chamadas de "esposas holandesas"?

E até aqui faltou uma pergunta: a liberação sexual foi conseguida contra o que e contra quem? No passado, os homens não evitavam materiais eróticos e até palavras indecentes em "respeito" a mulheres, às vezes a "pedido" delas ou de outros homens? Os homens héteros sustentaram por milênios uma sociedade que censura ou até criminaliza a pornografia e a prostituição de que eles gostam? Ah, quando você leu ou ouviu uma feminista dizer que abordou um homem sexualmente?

As mulheres tidas como sexualmente desinibidas são pouquíssimas e quase todas fazem 4 grupos: 1) lésbicas ególatras invertendo o tipo moça de família; 2) celebridades fanfarronas tentando ser o grupo 1; 3) velhotas assanhadas tentando ser os outros dois grupos e 4) carolas imitando mal os outros três grupos com medo de ficar pra trás.

Notas:

[01] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2008/11/tem-horas-que-foda.html

[02] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2008/11/meme.html e http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2008/11/mais-sobre-mim.html

[03] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2009/02/traicao-e-decepcoes.html

[04] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2009/02/e-o-que-aconteceu.html

[05] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2009/03/acho-que-me-fudi.html

[06] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2009/03/atualizando.html

[07] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2010/08/descobri-que-sou-bem-resolvida-sim.html

[08] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/03/flertes-no-trabalho.html

[09] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/04/aborto-e-religiao.html

[10] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/05/entrevista-da-semana.html

[11] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2012/05/peito-pequeno-e-documento.html

[12] http://bemresolvidanavida.blogspot.com.br/2013/07/marcha-das-vadias.html

Questo testo in italiano senza foto di dissolutezza in Men of Worth Newspaper / Concrete Paradise: Liberazione delle donne è un cazzo!, http://avezdoshomens2.blog.com/2015/01/25/liberazione-delle-donne
Questo testo in italiano con foto di dissolutezza in Periódico de Los Hombres de Valía / Paraíso Tangible: Liberazione delle donne è un cazzo!, http://avezdoshomens2.blogspot.com/2015/01/liberazione-delle-donne-e-un-cazzo.html
Eso texto en español sin fotos de putaría en Men of Worth Newspaper / Concrete Paradise: ¡Liberación de las mujeres es una polla!, http://avezdoshomens2.blog.com/2015/01/25/liberacion-de-las-mujeres
Eso texto en español con fotos de putaría en Periódico de Los Hombres de Valía / Paraíso Tangible: ¡Liberación de las mujeres es una polla!, http://avezdoshomens2.blogspot.com/2015/01/liberacion-de-las-mujeres-es-una-polla.html
This text in English without debauchery pics at Men of Worth Newspaper / Concrete Paradise: Liberation of women a fucking!, http://avezdoshomens2.blog.com/2015/01/25/liberation-of-women
This text in English with debauchery pics at Periódico de Los Hombres de Valía / Paraíso Tangible: Liberation of women a fucking!, http://avezdoshomens2.blogspot.com/2015/01/liberation-of-women-fucking.html
Texto original em português sem fotos de putaria no A Vez das Mulheres de Verdade: Liberação da mulher é o cacete!, http://avezdasmulheres.blog.com/2015/01/25/liberacao-da-mulher
Texto original em português com fotos de putaria no A Vez dos Homens que Prestam: Liberação da mulher é o cacete!, http://avezdoshomens.blogspot.com/2015/01/liberacao-da-mulher-e-o-cacete.html
Seção de sexo, safadeza, putaria, mulher pelada, pornografia
Sezione de sesso, libertinaggio, lussuria, donna nuda, pornografia
Section of sex, lust, debauchery, naked woman, pornography
Sección de sexo, perrez, putaría, mujer desnuda, pornografía

Wild Group Sex: http://www.wildgroupsex.com/index.php

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Do perfil da Abigail: então Deus nunca ordenou o apedrejamento de estupradores?

Do perfil da Abigail: então Deus nunca ordenou o apedrejamento de estupradores?

Nunca se perguntou porque Deus nunca ordenou o apedrejamento de estupradores? A Bíblia foi escrita por homens

Eu Escolhi Transar, https://www.facebook.com/641641542546005/photos/a.641653202544839.1073741828.641641542546005/835350503175107

Abigail Pereira Aranha Puta que o pariu! Eu sou ateia, mas os colegas já foram melhores. "E se algum homem no campo achar uma moça desposada, e o homem a forçar, e se deitar com ela, então morrerá só o homem que se deitou com ela; porém à moça não farás nada. A moça não tem culpa de morte; porque, como o homem que se levanta contra o seu próximo, e lhe tira a vida, assim é este caso." Deuteronômio 22:25-26

http://www.bibliaonline.com.br/acf/dt/22/25-26

É nisso que dá os ateus andarem com os socialistas e as lesbofeministas.

From Abigail's profile: God really never ordered the stoning of rapists?

You never wondered why God never ordered the stoning of rapists? The Bible was written by men

Eu Escolhi Transar (I Chose to Fuck), https://www.facebook.com/641641542546005/photos/a.641653202544839.1073741828.641641542546005/835350503175107

Abigail Pereira Aranha Damn! I am an atheist, but colleagues have been better. "But if a man find a betrothed damsel in the field, and the man force her, and lie with her: then the man only that lay with her shall die: {force: or, take strong hold of} But unto the damsel thou shalt do nothing; {there is} in the damsel no sin {worthy} of death: for as when a man riseth against his neighbour, and slayeth him, even so {is} this matter." Deuteronomy 22: 25-26

http://www.bibliaonline.com.br/acf/dt/22/25-26

That's what comes when atheists follow the Socialists and the lesbo-feminists.

Dal profilo di Abigail: Dio realmente non ha ordinato la lapidazione di stupratori?

Non hai mai chiesti perché Dio non ha ordinato la lapidazione di stupratori? La Bibbia è stata scritta da uomini

Eu Escolhi Transar (Io Ho Scelto Scopare), https://www.facebook.com/641641542546005/photos/a.641653202544839.1073741828.641641542546005/835350503175107

Abigail Pereira Aranha Dannazione! Io sono atea, ma i colleghi sono stato meglio. "Ma, se l’uomo trova su per li campi una fanciulla sposa, e la prende a forza, e giace con lei; muoia sol l’uomo che sarà giaciuto con lei. Ma non far nulla alla fanciulla; ella non vi ha colpa degna di morte; perciocchè questo fatto è tale, come se alcuno si levasse contro al suo prossimo, e l’uccidesse." Deuteronomio 22: 25-26

http://www.bibliaonline.com.br/acf/dt/22/25-26

Questo è ciò che viene quando atei seguono i socialisti ei lesbo-femministe.

De lo perfil de Abigail: ¿Dios realmente nunca ordenó la lapidación de los violadores?

¿Nunca se ha preguntado por qué Dios nunca ordenó la lapidación de los violadores? La Biblia fue escrita por hombres

Eu Escolhi Transar (yo elegí follar), https://www.facebook.com/641641542546005/photos/a.641653202544839.1073741828.641641542546005/835350503175107

Abigail Pereira Aranha Maldito sea! Soy atea, pero los colegas han sido mejor. "Mas si el hombre halló una moza desposada en la campo, y él la agarrare, y se echare con ella, morirá sólo el hombre que con ella se habrá echado; y á la moza no harás nada; no tiene la moza culpa de muerte: porque como cuando alguno se levanta contra su prójimo, y le quita la vida, así es esto." Deuteronomio 22: 25-26

http://www.bibliaonline.com.br/acf/dt/22/25-26

Eso es lo que viene cuando los ateos siguen los socialistas y las lesbofeministas.

Abigail Pereira Aranha

http://www.facebook.com/abigail.pereira.aranha.91

https://plus.google.com/102606537180450291297

http://www.stumbleupon.com/stumbler/AbigailPereira

http://pinterest.com/abigailpereira

domingo, 18 de janeiro de 2015

O Puritano-Feminismo episódio 22: antes de mentir sobre pornografia e fingir que é homem de verdade, pense duas vezes

Antes de buscar prazer na pornografia, veja alguns dados e pense duas vezes (Brenno Tardelli)

A mais triste miséria do mundo é aquela que existe para me trazer prazer. Por um momento solitário na minha intimidade, uma sensação de arrepio, um prazer e o relaxamento. Meu orgasmo, embora me traga uma sensação maravilhosa, é a causa de muita tristeza.

Embora o tráfico de pessoas seja uma atividade combatida em todo mundo, o pano de fundo para sua atuação é legalizado, extremamente lucrativo e atuante: a indústria pornográfica. Nesse conceito se inserem tanto a indústria cinematográfica, como sites e casas de prostituição.

Hipocrisia de lado, desde que me conheço na puberdade, sou um consumidor dessa indústria. Não estou sozinho, a empresa de dados britânica Optenet concluiu a pesquisa que revelou que mais de um terço da web (37%) é composto de pornografia.

Não haveria problema algum, não fosse a tristeza que mora atrás de duas pessoas transando em frente às câmeras.

pornografia-2Recente estudo divulgado pela organização “Treasures”, voltada ao resgate de pessoas do tráfico sexual, trouxe números impressionantes da indústria que movimenta mais de R$ 100 bilhões por ano. Estima-se que ultrapassou o tráfico de drogas e alcançou a 2ª posição no ranking de lucratividade para o crime organizado, ficando apenas atrás do tráfico de armas. Apenas para se ter uma ideia do valor estupidamente alto movimentado pela atividade, a cada segundo (!) são gastos mais de R$ 10 mil com pornografia.

São lançados 11 mil filmes pornográficos por ano, 20 vezes o número de filmes lançados de todos os gêneros juntos – dados esses somente dos EUA.

Alvo de 94% da pornografia, as mulheres são as maiores vítimas dessa atividade. Embora muito discurso de defesa à atividade diga que se trata de empoderamento da mulher sobre o próprio corpo, dados revelam que o problema é muito mais complexo. Para se ter uma ideia, 90% das mulheres da indústria do sexo foram abusadas quando crianças. Cerca de 1.4 milhões das mulheres são escravas sexuais ao redor do mundo. A taxa de desenvolvimento de síndrome de stress pós traumático é equivalente aos de veteranos de guerras no Eua.

O país, aliás, é o grande traficante de mulheres no mundo, destacando-se na produção, consumo e movimentação financeira na indústria. De toda essa quantia, o estado da Califórnia é responsável por 1/3 dos dados.

abuso-sexual

Infográfico traduzido por Amanda Mariano Rozas.

Como tudo que é absurdo ainda pode piorar, no “submundo” da web, acessado via TOR, programa que torna seu acesso criptografado, pornografia infantil é o tema mais procurado dentre os usuários. O mundo sangra mulheres e crianças, para a satisfação da libido de cada um. Homens, embora existam muitos oprimidos pela indústria, são números ínfimos perto das vítimas desse lucro.

Soma-se à indústria cinematográfica, outro grande mercado da pornografia: a prostituição, esta ainda mais problemática. Isso porque a cinematografia coloca uma tela entre a pessoa e a realidade do mundo atrás da câmera. A prostituição, por sua vez, vive uma realidade dura, sentida na pele.

São milhões de mulheres ao redor do mundo, exploradas e quase sempre desprotegidas – no Brasil existem associações que lutam pelos direitos das prostituas, mas não há uma proteção jurídica para elas. Estão à mercê do mercado feroz. Dizer sobre proteção, ainda que trabalhistas a essas pessoas, é dizer contra a moral e bons costumes dos homens de bem.

Uma das maiores hipocrisias nossas ao lidar com a indústria pornográfica é negar que ela existe. Ou que não a consumimos. Esse vácuo do medo de admitirmos quem somos, enquanto sociedade patriarcal, o que fazemos e para quem fechamos os olhos é sentido por todas as mulheres e é extremamente lucrativo para a indústria pornográfica.

É essa indústria que me fornece prazer. Ou, pelo menos, fornecia.

Não são precisos 10 minutos de meu tempo, cliques em meia dúzia de links para se concluir o óbvio: não vale a pena. É muita energia depositada em algo que vem com muita miséria, muito abuso sexual. Muita tristeza. Fica difícil não olhar para as pessoas em frente à câmera, buscando de alguma forma desesperada passar a imagem de um prazer insano, e não sentir pena.

Então, voltando ao título. Vai procurar pornografia para sentir prazer? Pense duas vezes.

Brenno Tardelli é redator no Justificando e advogado na banca Tardelli Zanardo Leone.

* com a colaboração inestimável de Larissa Zanata.

(Justificando, 07/01/15, http://justificando.com/2015/01/07/antes-de-buscar-prazer-na-pornografia-veja-alguns-dados-e-pense-duas-vezes).

Meus comentários no original

Antes de mentir sobre pornografia e fingir que é homem de verdade, pense duas vezes, doutor Brenno. Você provou o que tem a ver pornografia com tráfico de mulheres e exploração sexual com seus dados mal interpretados? Daqui a pouco você vai dizer que pedir uma moça em namoro é tentativa de estupro e assassinato. Tem gente usando tráfico de pessoas como pretexto para combater a prostituição. Sabe quem disse isso? Gabriela Leite (não pergunte às suas amigas feministas quem foi ela, essas lésbicas psicóticas também não sabem). Já ouviu falar na Adult Industry Medical Health Care Foundation, criada em 98? Já ouviu falar de Sharon Mitchell? Você não disse que consumia pornografia? E esse dado de que "90% das mulheres da indústria do sexo foram abusadas quando crianças" é MENTIRA. Sabe a Sharon Mitchell que eu acabei de citar? Ela tem um livro provando o contrário.

"89% das mulheres na indústria do sexo disseram que queriam escapar, mas não tinham outra maneira de sobreviver". "Indústria do sexo" é de filmes pornôs? E Rebecca Bardoux fazendo stand-up, Gianna Michaels e Pandora Peaks fazendo filme "comum", Valentina Nappi com coluna no Micromega, Sasha Grey publicando livro, só pelo que eu puxei agora de memória? Mas o doutor não sabe nem o endereço do Pornhub, sabe de pornografia por blogue de lésbica doente mental e pregação de pastor velho broxa, então acredita no infográfico falacioso.

E fala a verdade: você quer perder a virgindade com uma feminazista metendo um consolo no seu cu.

Viva a putaria e a pornografia! Abaixo o Lesbofeminismo!

Abigail Pereira Aranha

Suicídio de reputações

Abigail Pereira Aranha

A nossa geração e a geração passada inteiras, com honrosas exceções, estão deixando de herança um lugar na lata de lixo da História e um mundo para os filhos morrerem consertando. Até a militância esquerdista já foi mais nobre e inteligente.

Sim, foi o movimento socialista que nos trouxe essa encrenca, mas no Brasil há 50 anos atrás, ou mesmo há 20 ou 30, até a militância de esquerda tinha pessoas inteligentes, bem informadas, e com alguma decência de caráter. Hoje, a militância socialista é formada de vigaristas, bandidos comuns, funcionários públicos medíocres, políticos ordinários, viciados em drogas, analfabetos funcionais, lésbicas toscas, manginas e parasitas profissionais. Se alguma pessoa com bom raciocínio e caráter ainda estiver lá, vai sair ou ser expulsa em breve. No caso do Feminismo, mesmo acobertando o discurso de ódio, o ambiente feminista ainda tinha gente intelectualmente decente com bom coração, e quase toda a oposição ao discurso das feministas era "machistas" dizendo asneiras depreciativas, pais e maridos cretinos possessivos e puritanos mostrando horror ao diferente. Já haviam mulheres ex-feministas com denúncias que os antifeministas trazem hoje, e já haviam livros feministas com mensagens de ódio aos homens, mas muitos cristãos preferiram combater o Feminismo na base da exaltação do atraso e da antissexualidade. Ou pior: ainda na década de 90, até pastores de igrejas cristãs tradicionais fizeram pregações de tendência feminista. Por isso, até a década de 2000 ainda tínhamos muita gente boa se associando às feministas, gente boa que talvez só descobrisse o que o Feminismo realmente é depois de um baque já dentro do ambiente da militância. Hoje, visto que não há comunidade ou página feminista onde não seja visível que o lesbianismo psicótico e o pavor de homem são no mínimo tolerados, só lésbicas paranóicas e puritanas anorgásmicas podem pensar em se associar às lesbofeministas.

A militância socialista já teve jornalistas e professores que, mesmo trapaceando, escreviam bem, que apresentavam, na pior das hipóteses, falácias e mentiras que davam trabalho de pesquisa e interpretação para desmascarar. Hoje, um pós-graduado com mentalidade socialista não escreve um texto de uma lauda sem citar um absurdo inverossímil como fato do mundo real, sem citar uma estatística grosseiramente falsa ou sem provar em um parágrafo o contrário do que disse em outro. Não raro, com erros aterrorizantes de escrita. Como essa pessoa não tem talento intelectual, não tem os princípios éticos de um cidadão comum da década de 60 e não tem mérito para uma carreira profissional honesta, começou a difamar qualquer coisa e pessoa que não se ajoelha diante da esquerda (de pouco tempo pra cá, ataques até contra outros esquerdistas) mal se firmou em um emprego público, da máquina esquerdista ou de uma empresa privada que rasteja por verbas públicas. Não é mais luta de socialistas contra liberais, é um bando de boçais, já vencedores e bem instalados, atacando todos acima deles próprios para se garantirem onde estão ou crescerem num sistema onde o mérito e a decência trazem maldição em vez de benção. Então, mal lendo um artigo ou duas postagens em redes sociais e percebendo que o autor não é alguém da tribo, basta isso para um destes rotular o outro de fascista, machista, racista e, com os rótulos, dizer o que o outro pensa sem ouvir ou ler de fonte primária. Para dar um exemplo, quantos homens contrários ao Movimento LGBT manifestos heterossexuais já foram chamados de gays? Em vários países hoje, até jornalistas da suposta mídia da elite não sabem o que é descrever o que uma pessoa diz ou pensa consultando o que ela própria diz, ou o que é descrever um evento real colhendo informações do tal evento primeiro e analisando depois (e os erros são para o lado direito e o lado esquerdo). E mais: por aqui, "leia mais" é sinônimo de "você apresentou argumentos irrefutáveis ou que eu não tenho condições de responder".

Um exemplo comum no Brasil. Um babaca que se identifica como Carlos Eduardo aparece em todos os vídeos com o professor, jornalista e filósofo brasileiro Olavo de Carvalho para perturbar. Aliás, o Olavo sabe o que é ter dezenas de livros, mais de mil artigos publicados em grandes jornais do Brasil e dezenas de vídeos de uma hora e meia no Youtube para um paspalho qualquer pegar um vídeo de uma hora e meia, criar um espantalho com um fragmento de um ou dois minutos, bater no espantalho por vinte e fazer daquilo o vídeo mais acessado do canal dele no Youtube, talvez o único com mais de 1.000 acessos (analogamente, também vale para blogues citando trechos sem referência de terceira mão). Pois bem, eu, que leio o perfil do Olavo de Carvalho no Facebook de vez em quando, vi uma postagem lá em dezembro, depois vi um comentário deste Carlos Eduardo um mês depois na postagem "Oposição em franco crescimento: Olavo de Carvalho termina o ano como um dos tops no Twitter", no Epoch Times (de Robson A. D. Silva, publicada originalmente na Revista Militar). Tive que zoar o sujeito. Vou transcrever o texto da imagem:

https://www.facebook.com/carvalho.olavo/photos/a.275188992633182.1073741828.275181425967272/412697712215642

Olavo de Carvalho

Uma "intervenção militar" pode derrubar um presidente, mas nunca se viu intervenção militar que se voltasse ao mesmo tempo contra o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, e isto sem contar nem mesmo com algum apoio civil organizado. O fenômeno -- inédito no mundo -- do aparelhamento total do Estado exige reações inventivas e não o apelo a um automatismo saudosista. Os militares, com certeza, terão algum papel a desempenhar no conjunto, mas primeiro é preciso HAVER o conjunto. O atual movimento de protesto é sem dúvida a semente de uma gigantesca aliança de oposição, mas uma semente não é ainda uma árvore. Encerradas as décadas de passividade inerme e atônita, os próximos anos parecem anunciar que serão uma escalada de heroísmo. Pela primeira vez na nossa História ("nunca ântef na iftória dêfte paíf") a sociedade civil se mobiliza espontaneamente, sem ser esporeada por organizações bilionárias. O povo brasileiro está começando a descobrir que é um povo, e, independentemente das dificuldades que ainda serão muitas, ISSO É O MELHOR QUE PODERIA ACONTECER.

4 de dezembro de 2014

[Minha "arte":]

Olha eu aqui em 04/01/2015 para desconstruir Olavo de Carvalho, hahahahahahahahaha. E ele acha que vai diminuir o que eu digo sobre ele só porque ele mesmo disse o contrário um mês antes no próprio perfil do Facebook numa postagem pública?! Hahahahahahahahaha! Eu não leio o que você escreve, eu POSTO sobre o que você escreve. Deu pra entender? Hahahahahahahahaha! Mas que pena eu tenho de você! Hahahahahahahahaha!

https://www.epochtimes.com.br/oposicao-franco-crescimento-olavo-carvalho-termina-ano-como-tops-twitter

Oposição em franco crescimento: Olavo de Carvalho termina o ano como um dos tops no Twitter

Carlos Eduardo

Astrólogo Olavo de Carvalho

INTERVENÇÃO MILITAR

Somente os militares podem salvar o Brasil dos comunistas

Mesmo no Brasil da década de 90, a militância esquerdista já condenou coisa melhor dentro dela própria. Mas o pior disso tudo nem é a militância. A pior parte é o cidadão comum típico. O pior não é o movimento socialista que assumiu até o Poder Executivo do governo formal do Brasil, o pior é a mentalidade socialista que domina o país. O leitor percebe que mentalidade socialista não exige adesão declarada ao Socialismo?

Você pode ver a mentalidade socialista na pessoa que só posta no Facebook sobre amenidades, futebol e banalidades pessoais compartilhando alguma porcaria de conteúdo lesbofeminista ou ambientalista. A mentalidade socialista pode ser uma coisa que qualquer criança pode receber na escola, mas, depois de certa altura da vida, é uma construção que exige no mínimo preguiça mental e covardia. E o pior é que quanto mais a pessoa tem o que fingir ou de que se envergonhar, mais ela se entrega à guerra contra a virtude genuína, indo desde a omissão até o afundamento moral, e daí para mais vergonha, mais sucesso imerecido e mais fragilidade, e daí para mais guerra à decência. E como o socialismo é a politização da pobreza de espírito, o indivíduo vai trocar a discussão política por conversas de refeitório sobre fins de semana movidos a álcool, música ruim e vadias vistas de longe; ou vai bajular chefes ou o governo socialista para poder proteger o seu cargo sem mérito de alguém que o mereça moralmente e profissionalmente.

Seção Viva a Putaria: vocês já notaram que uma coisa boa para derrubar gente qualificada de onde merece estar e gente desqualificada de onde já vai tarde é sexo? Uma funcionária com uma foto sensual ou um "vídeo íntimo" fora do trabalho é mais escandaloso e mais contra a ética do que mau atendimento, incompetência ou desvio de dinheiro. E por que isto? Não é gimnofobia nem ginofobia. A maioria das mulheres odeiam as mulheres que oferecem aos homens mais do que elas mesmas oferecem (nem que seja uma foto de um belo corpo). A maioria dos homens estão frustrados casados com estas mulheres e transformam esta frustração em raiva invejosa. Mesmo as mulheres bonitas, inclusive muitas na indústria adulta, mal passam de explorar o próprio capital erótico, para casamento, carreira facilitada ou renda. Os leitores brasileiros se lembram do caso da "Denise Furacão"? No Brasil, chegamos ao cúmulo de o governo federal desviar a atenção do caso Mensalão, que ia para sete anos sem ser julgado, pescando um vídeo sexual amador de uma funcionária pública desconhecida de Brasília de seis anos antes.

Se os netos dos jovens de hoje conhecerem a História de fim do século XX em diante e tiverem expectativa de recuperação, vão repudiar as mães solteiras que maldiziam os homens, o governo, a Igreja e a sociedade mas exigiam respeito dos filhos; vão repudiar os jornalistas que preferiram participar de ardis difamatórios ou escrever sobre amenidades por falta de capacidade ou de caráter para fazerem Jornalismo; vão repudiar os professores e pesquisadores universitários que calaram a verdade para garantir um emprego justificado por trabalhos acadêmicos que ninguém leu e aulas onde eles faltaram com frequência; vão repudiar os homens que se envergonhavam da heterossexualidade masculina e tornaram o Lesbonazismo possível; vão repudiar a geração que achava normal que um diploma de pós-graduação pudesse estar ao alcance de qualquer lésbica desagradável que não consegue lidar com duas frases discordantes; vão repudiar uma igreja evangélica que já teve uma reputação que não era atacada nem pelos piores inimigos e se permitiu ser um clube de vadias em fim de carreira e múmias neuróticas com horror ao prazer com um socialismo disfarçado de Evangelho; vão repudiar uma geração que só falou em transformação social para construir carreira sem mérito; vão repudiar uma geração que aceitava como descrição coerente da realidade que uma sociedade tinha leis contra o estupro, incentivava o estupro contra mulheres e reprimia a sexualidade feminina, isso dito por mulheres professoras de universidades financiadas com dinheiro público; vão repudiar os cidadãos comuns que entendiam liberdade de expressão como compartilhar amenidades e palhaçadas em redes sociais enquanto a verdadeira democracia estava sendo destruída por dentro. Aliás, podemos nos distrair um pouco de juntar capturas de tela mostrando que feministas odeiam os homens, que africanistas odeiam os brancos ricos honestos ou que amigos e inimigos apoiaram os socialistas quando eles destruíam a democracia por dentro: vamos juntar o que nós mesmos publicamos para podermos dizer "isso foi o que eu dizia enquanto esse país estava indo pra m...".

O ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior escreveu um livro tenebroso intitulado "Assassinato de Reputações" descrevendo como o Partido dos Trabalhadores usou o Poder Judiciário para bisbilhotar adversários e forjar material para represálias e linchamento moral. Perto do nível intelectual da esquerda na década de 2010, Romeu Tuma Júnior fez um favor à esquerda de preservação histórica.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Coisa boa à esquerda: projeto de lei de deputado gayzista para regulamentar a prostituição

Meus comentários

Olá, meus amigos e minh@s inimig@s. Eu tenho que registrar aqui a única iniciativa que salva o currículo do deputado gay gayzista anticristão Jean Wyllys e do partido dele, o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL): o projeto de lei PL 4211 / 2012 para descriminalizar e regulamentar a prostituição. O nome que ele propõe para a lei é Lei Gabriela Leite. Sabe quem é Gabriela Leite? Uma ativista pelo direito das prostitutas. Ela morreu em outubro de 2013, ela até merecia ter visto a lei aprovada. Para termos uma ideia do que a prostituição tem a ver com o Feminismo, a primeira página da pesquisa no Google por "Gabriela Leite faleceu" tem um resultado da página do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, um do Último Segundo (do iG), um do Uol Notícias, um do Estadão e um do jornal O Globo, mas nenhum de página feminista. Pesquisando o blogue da Lola Aronovich por "Gabriela Leite", você vai achar dois resultados: "GUEST POST: VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA, A DOR QUE FICA", de 21/01/14, relato de uma leitora chamada Gabriela; e "GUEST POST: O MACHISMO NA ALTA GASTRONOMIA", de 10/10/13, de outro leitor, Hamilton Bavutti, porque cita Gabriela Barreto e Morena Leite. Você vai ver uma nota sobre a morte dela no blogue de outra Lola, a Benvenutti (http://www.lolabenvenuttioficial.com.br/post/96/Perda+lament%C3%A1vel).

Amigos, vocês podem ver o projeto de lei em http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=551899, mas transcrevo aqui. Nossa, a justificativa é excelente, e tirando as citações que ele fez e a proposta do projeto, parece até que fui eu que escrevi. Ah, e mesmo que a prostituição fosse estimulada pela regulamentação, por que ser prostituta seria pior que ser... faxineira, por exemplo? A gente pode abrir uma discussão em outra oportunidade, mas já fiz a estorinha da Amanda Rola sobre isso.

E se esse projeto de lei for aprovado, vou ter pelo menos essa consideração pelo deputado, porque vai me ajudar muito no meu segundo emprego, hehehehe. (Eu não sou e nunca fui prostituta, só faço piadinhas com a putaria e putaria com brincadeiras) E viva o baixo meretrício!

Abigail Pereira Aranha

PL 4211 / 2012 - Lei Gabriela Leite

PROJETO DE LEI Nº _________/ 2012

(Dep. Jean Wyllys)

Regulamenta a atividade dos profissionais do sexo.

LEI GABRIELA LEITE

O Congresso Nacional Decreta:

Art. 1º - Considera-se profissional do sexo toda pessoa maior de dezoito anos e absolutamente capaz que voluntariamente presta serviços sexuais mediante remuneração.

§ 1º É juridicamente exigível o pagamento pela prestação de serviços de natureza sexual a quem os contrata.

§ 2º A obrigação de prestação de serviço sexual é pessoal e intransferível.

Art. 2º - É vedada a prática de exploração sexual.

Parágrafo único: São espécies de exploração sexual, além de outras estipuladas em legislação específica:

I- apropriação total ou maior que 50% do rendimento de prestação de serviço sexual por terceiro;

II- o não pagamento pelo serviço sexual contratado;

III- forçar alguém a praticar prostituição mediante grave ameaça ou violência.

Art. 3º - A/O profissional do sexo pode prestar serviços:

I - como trabalhador/a autônomo/a;

II - coletivamente em cooperativa.

Parágrafo único. A casa de prostituição é permitida desde que nela não se exerce qualquer tipo de exploração sexual.

Art. 4º - O Capítulo V da Parte Especial do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940, Código Penal, passa a vigorar com as seguintes alterações:

"Favorecimento da prostituição ou da exploração sexual.

Art. 228. Induzir ou atrair alguém à exploração sexual, ou impedir ou dificultar que alguém abandone a exploração sexual ou a prostituição:

........................................................................................."

"Casa de exploração sexual

Art. 229. Manter, por conta própria ou de terceiro, estabelecimento em que ocorra exploração sexual, haja, ou não, intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente:

........................................................................................"

Rufianismo

"Art. 230. Tirar proveito de exploração sexual, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça:

............................................................................................."

"Art. 231. Promover a entrada, no território nacional, de alguém que nele venha a ser submetido à exploração sexual, ou a saída de alguém que vá exercê-la no estrangeiro.

............................................................................................"

"Art. 231-A. Promover ou facilitar o deslocamento de alguém dentro do território nacional para ser submetido à exploração sexual:

......................................................................"

Art. 5º. O Profissional do sexo terá direito a aposentadoria especial de 25 anos, nos termos do artigo 57 da Lei 8.213, de 24 de julho de 1991.

Art. 6º. Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação.

Brasília, __ de julho de 2012.

Jean Wyllys

Deputado Federal PSOL/RJ

JUSTIFICATIVA

A prostituição é atividade cujo exercício remonta à antiguidade e que, apesar de sofrer exclusão normativa e ser condenada do ponto de vista moral ou dos "bons costumes", ainda perdura. É de um moralismo superficial causador de injustiças a negação de direitos aos profissionais cuja existência nunca deixou de ser fomentada pela própria sociedade que a condena. Trata-se de contradição causadora de marginalização de segmento numeroso da sociedade. O projeto de lei ora apresentado dialoga com a Lei alemã que regulamenta as relações jurídicas das prostitutas (Gesetz zur Regelung der Rechtsverhältnisse der Prostituierten - Prostitutionsgesetz - ProstG); com o Projeto de Lei 98/2003 do ex-Deputado Federal Fernando Gabeira, que foi arquivado; com o PL 4244/2004, do ex-Deputado Eduardo Valverde, que saiu de tramitação a pedido do autor; e com reivindicações dos movimentos sociais que lutam por direitos dos profissionais do sexo.

O escopo da presente propositura não é estimular o crescimento de profissionais do sexo. Muito pelo contrário, aqui se pretende a redução dos riscos danosos de tal atividade. A proposta caminha no sentido da efetivação da dignidade humana para acabar com uma hipocrisia que priva pessoas de direitos elementares, a exemplo das questões previdenciárias e do acesso à Justiça para garantir o recebimento do pagamento.

Dentre os objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil figuram o da erradicação da marginalização (art. 3º inciso III da CRFB) e o da promoção do bem de todos (art. 3º, inciso IV). Além disso, são invioláveis, pelo artigo 5º da Carta Magna, a liberdade, a igualdade e a segurança. O atual estágio normativo - que não reconhece os trabalhadores do sexo como profissionais - padece de inconstitucionalidade, pois gera exclusão social e marginalização de um setor da sociedade que sofre preconceito e é considerado culpado de qualquer violência contra si, além de não ser destinatário de políticas públicas da saúde. O objetivo principal do presente Projeto de Lei não é só desmarginalizar a profissão e, com isso, permitir, aos profissionais do sexo, o acesso à saúde, ao Direito do Trabalho, à segurança pública e, principalmente, à dignidade humana. Mais que isso, a regularização da profissão do sexo constitui instrumento eficaz ao combate à exploração sexual, pois possibilitará a fiscalização em casas de prostituição e o controle do Estado sobre o serviço.

Impor a marginalização do segmento da sociedade que lida com o comércio do sexo é permitir que a exploração sexual aconteça, pois atualmente não há distinção entre a prostituição e a exploração sexual, sendo ambos marginalizados e não fiscalizados pelas autoridades competentes. Enfrentar esse mal significa regulamentar a prática de prostituição e tipificar a exploração sexual para que esta sim seja punida e prevenida.

Importante frisar que a profissão do sexo difere da exploração sexual conforme texto legal ora apresentado.

A exploração sexual se conceitua (1) pela apropriação total ou maior que 50% do rendimento da atividade sexual por terceiro(s); (2) pelo não pagamento do serviço sexual prestado voluntariamente; ou (3) por forçar alguém a se prostituir mediante grave ameaça ou violência. Neste sentido, a exploração sexual é crime e se tipifica independente da maioridade ou da capacidade civil da vítima. Evidente que tal crime será penalizado mais severamente no caso da vítima de exploração sexual ser menor de dezoito anos, absolutamente ou relativamente incapaz, ou ter relação de parentesco com o criminoso. Importante lembrar que o conceito de exploração sexual quando a vítima é menor de dezoito anos é tipificado como crime hediondo tanto pelo Código Penal, nos artigos 214 e 218, quanto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, dos artigos 240 ao 241-E.

Em contrapartida, o exercício da atividade do profissional do sexo deve ser voluntário e diretamente remunerado, podendo ser exercido somente por absolutamente capazes, ou seja, maiores de idade com plenas capacidades mentais. O profissional do sexo é o único que pode se beneficiar dos rendimentos do seu trabalho.

Consequentemente, o serviço sexual poderá ser prestado apenas de forma autônoma ou cooperada, ou seja, formas em que os próprios profissionais auferem o lucro da atividade.

Como demonstrado, não existe prostituição de crianças e adolescentes. Muito pelo contrário, essa prática se configura como abuso ou exploração sexual de crianças e adolescentes e se tipifica como crime severamente punido pelo Código Penal.

Atualmente os trabalhadores do sexo sujeitam-se a condições de trabalho aviltantes, sofrem com o envelhecimento precoce e com a falta de oportunidades da carreira, que cedo termina. Daí a necessidade do direito à Aposentadoria Especial, consoante o artigo 57 da Lei 8.213/1991, com redação dada pela Lei nº 9.032/1995.

Para existir coerência com a presente proposição, é necessário que a redação atual do Código Penal, dada pela Lei nº 12.015/2009, seja modificada em alguns de seus artigos.

Os artigos 228 e 231 do Código Penal utilizam a expressão "prostituição ou outra forma de exploração sexual" equiparando a prostituição a uma forma de exploração sexual. O projeto de lei em questão visa justamente distinguir esses dois institutos visto o caráter diferenciado entre ambos; o primeiro sendo atividade não criminosa e profissional, e o segundo sendo crime contra dignidade sexual da pessoa. Por isso, nos institutos legais, propõe-se a alteração da expressão por "prostituição ou exploração sexual".

Redação atual:

"Art. 228. Induzir ou atrair alguém à prostituição ou outra forma de exploração sexual, facilitá-la, impedir ou dificultar que alguém a abandone:"

"Art. 231. Promover ou facilitar a entrada, no território nacional, de alguém que nele venha a exercer a prostituição ou outra forma de exploração sexual, ou a saída de alguém que vá exercê-la no estrangeiro:"

Redação conforme a proposta:

"Art. 228. Induzir ou atrair alguém à exploração sexual, ou impedir ou dificultar que alguém abandone a exploração sexual ou a prostituição:"

"Art. 231. Promover a entrada, no território nacional, de alguém que nele venha a ser submetido à exploração sexual, ou a saída de alguém que vá exercê-la no estrangeiro:"

O artigo 229 se refere a crime de "casa de prostituição". No entanto, o tipo penal menciona a expressão "exploração sexual" e não prostituição. A alteração aqui proposta só alcança o título do artigo, visto que (1) prostituição não é exploração sexual; (2) o crime de "casa de exploração sexual" se tipifica pelo próprio caput atual do artigo 229; e (3) a casa de prostituição não é mais crime tipificado uma vez que a prostituição se torna profissão regulamentada e poderá ser exercida de forma autônoma ou cooperada.

Redação atual:

"Casa de prostituição

Art. 229. Manter, por conta própria ou de terceiro, estabelecimento em que ocorra exploração sexual, haja, ou não, intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente:"

Redação conforme a proposta:

"Casa de exploração sexual

Art. 229. Manter, por conta própria ou de terceiro, estabelecimento em que ocorra exploração sexual, haja, ou não, intuito de lucro ou mediação direta do proprietário ou gerente:"

Este Projeto de Lei é mais um instrumento de combate à exploração sexual tendo em vista o caráter punitivo da prática. As casas de prostituição, onde há prestação de serviço e condições de trabalhos dignas, não são mais punidas, ao contrário das casas de exploração sexual, onde pessoas são obrigadas a prestar serviços sexuais sem remuneração e são tidas não como prestadoras de serviço, logo, sujeitos de direitos, mas como objeto de comércio sexual; essas casas, sim, serão punidas.

Além disso, a descriminalização das casas de prostituição (1) obriga a fiscalização, impedindo a corrupção de policiais, que cobram propina em troca de silêncio e de garantia do funcionamento da casa no vácuo da legalidade; e (2) promove melhores condições de trabalho, higiene e segurança.

A vedação a casas de prostituição existente no texto legal atual facilita a exploração sexual, a corrupção de agentes da lei e, muitas vezes, faz com que essas casas não se caracterizem como locais de trabalho digno. As casas funcionam de forma clandestina a partir da omissão do Estado, impedindo assim uma rotina de fiscalização, recolhimento de impostos e vigilância sanitária. Por isso, somente deve ser criminalizada a conduta daquele que mantém local de exploração sexual de menores ou não e de pessoas que, por enfermidade ou deficiência, não tenham o necessário discernimento para a prática do ato.

O termo "exploração sexual" foi colocado no lugar de "prostituição alheia" no artigo 230 porque o proveito do rendimento de serviços sexuais por terceiro é justamente a essência da exploração sexual. Ao contrário, a prostituição é sempre serviço remunerado diretamente ao prestador.

Redação atual:

"Art. 230. Tirar proveito da prostituição alheia, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça:"

Redação conforme a proposta:

"Art. 230. Tirar proveito de exploração sexual, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça:"

A "facilitação" da entrada no território nacional ou do deslocamento interno de alguém que nele venha a ser submetido à exploração sexual deve ser criminalizada conforme proposta dos artigos 231 e 231-A. Optou-se pela retirada da expressão "prostituição" porque a facilitação do deslocamento de profissionais do sexo, por si só, não pode ser crime. Muitas vezes a facilitação apresenta-se como auxílio de pessoa que está sujeita, por pressões econômicas e sociais, à prostituição. Nos contextos em que o deslocamento não serve à exploração sexual, a facilitação é ajuda, expressão de solidariedade; sem a qual, a vida de pessoas profissionais do sexo seria ainda pior. Não se pode criminalizar a solidariedade. Por outro lado, não se pode aceitar qualquer facilitação em casos de pessoas sujeitas à exploração sexual, principalmente se há vulnerabilidades especiais expostas nos incisos abaixo transcritos.

Redação atual:

"Art. 231-A. Promover ou facilitar o deslocamento de alguém dentro do território nacional para o exercício da prostituição ou outra forma de exploração sexual:"

Redação conforme a proposta:

"Art. 231-A. Promover ou facilitar o deslocamento de alguém dentro do território nacional para ser submetido à exploração sexual:"

A regulamentação da profissão do sexo e as alterações do Código Penal aqui apresentadas refletem também a preocupação eminente com o tráfico de pessoas, a exploração sexual e o turismo sexual. O Brasil ocupa posição de crescimento econômico e vai sediar dois grandes eventos esportivos que atraem milhões de turistas. A regulamentação da profissão do sexo permitirá alto grau de fiscalização pelas autoridades competentes, além de possibilitar e até mesmo incentivar o Poder Executivo a direcionar políticas públicas para esse segmento da sociedade (como a distribuição de preservativos, mutirões de exames médicos, etc).

Todas as modificações apresentadas na propositura em destaque tem os objetivos precisos de: (1) tirar os profissionais do sexo do submundo, trazendo-os para o campo da licitude e garantindo-lhes a dignidade inerente a todos os serem humanos; e (2) tipificar exploração sexual diferindo-a do instituto da prostituição, afim de combater o crime, principalmente contra crianças e adolescentes.

O Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV/Aids (UNAIDS) foi convocado pelo PNUD no intuito de elaborar pesquisas sobre as causas da contaminação da AIDS. A Comissão Internacional sobre HIV e a Lei - composta por ex-líderes de Estado e por peritos em termos jurídicos, de direitos humanos e de HIV - baseou a pesquisa em relatos de mais de 1 000 pessoas, de 140 países. O relatório oficial, divulgado em julho de 2012, concluiu que as leis punitivas e as práticas discriminatórias de muitos países prejudicam o progresso contra o HIV.

"Por exemplo, as leis e os costumes legalmente tolerados, que falham em proteger mulheres e meninas da violência, aprofundam as desigualdades entre gêneros e aumentam a sua vulnerabilidade ao HIV. Algumas leis de políticas de propriedade intelectual não são consistentes com a lei internacional dos direitos humanos e impedem o acesso a tratamento vital e à prevenção. As leis que criminalizam e desumanizam as populações com maior risco de contágio de HIV - incluindo homens que mantêm relações sexuais com outros homens, trabalhadores do sexo, transexuais e usuários de drogas injetáveis - empurram as pessoas para a clandestinidade, afastando-as de serviços de saúde essenciais, aumentando assim o risco de contágio pelo HIV. As leis que criminalizam a transmissão, a exposição e a não revelação do status de portador do HIV, desencorajam as pessoas a fazerem o teste e a serem tratadas. Mais especificamente: [...] mais de 100 países criminalizam algum aspeto do trabalho dos profissionais do sexo. O ambiente legal em muitos países expõe os trabalhadores do sexo à violência, o que leva à sua exclusão econômica e social. Isso também impede que os mesmos acessem serviços de saúde para o HIV."

A Comissão também recomenda a despenalização de atividades sexuais entre pessoas do mesmo gênero, trabalho sexual e consumo de drogas, permitindo assim que as populações vulneráveis tenham acesso a serviços de saúde e ações de prevenção contra o HIV.

Por fim, a lei aqui proposta se intitula "Gabriela Leite" em homenagem a profissional do sexo de mesmo nome, que é militante de Direitos Humanos, mais especificamente dos direitos dos profissionais do sexo, desde o final dos anos 70. Gabriela Leite iniciou sua militância em 1979, quando se indignou com atitudes autoritárias, arbitrárias e violentas por parte do Estado que, através da Polícia de São Paulo, promovia perseguições a travestis e prostitutas. Gabriela Leite participou na criação de vínculo solidário entre os profissionais do sexo, na mobilização política dos mesmos e fundou a ONG "Davida", que tem como missão o fomento de políticas públicas para o fortalecimento da cidadania das prostitutas; mobilização e a organização da categoria; e a promoção dos seus direitos. A "Davida" criou, por exemplo, a grife DASPU, um projeto autossustentável gerido por prostitutas e que tem por objetivo driblar a dificuldade de financiamento para iniciativas de trabalho alternativo por parte das profissionais do sexo.

Jean Wyllys

Deputado Federal PSOL/RJ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook