terça-feira, 19 de agosto de 2008

Fulano não pega ninguém? Onde está o problema?

Abigail Pereira Aranha
O "come-ninguém" é desprezado pela maioria das mulheres e por alguns homens. "Ele deve ser virgem": o que é uma "virtude" para a mulher é uma vergonha para o homem. Mas será que ele é tão feio, desinteressante, ruim de papo, tímido? Ou será que isso não é o verdadeiro problema?
O "pegador" está sempre "pegando" uma "gostosa" atrás da outra. Tem histórias espetaculares pra contar, tem um desempenho sexual extraordinário, conta como o "currículo" dele é grande. Ele nunca pegou mulher reprimida, até as donamarias mais frescas fazem coisas do arco da velha na cama, que quem olha pra elas nem desconfia. Mas da forma como ele fala das suas aventuras, parece que ele transa com uma mulher como quem come comida estragada achada no lixo. Para ele, o homem tem duas opções: tratar as "vagabundas" com evidente desprezo e, desta forma, conseguir "comer" algumas ou tratar as mulheres com respeito e ser o grande amigo que é como irmão na melhor das hipóteses e um capacho na pior. E o pior é que essa visão tem algo de experiência prática.
Um homem não consegue transar com a grande maioria das mulheres por um grande motivo: não é casado com elas. Algumas mulheres até falam de o que seria um homem bom de cama. Mas o "tigrão" que é casado com a Maria não interessa nem um pouco à Joana. Por que? Porque quase todas as mulheres só sabem transar dentro do relacionamento estável, achando que isso é uma grande qualidade. Não interessa se o homem é lindo, gostoso, tem um belo pau e é ótimo na cama.
E muitas "gostosas" não dão pra quem não tem um belo carro ou não der alguma coisa em troca. O faxineiro lindo, gostoso, gentil, bem-dotado e ótimo de cama é um come-ninguém. O chefe barrigudo, pau pequeno, que goza rápido é um garanhão, e transa com a colega gostosa do faxineiro gostoso, aquela que não dá pra ele de jeito nenhum.
O homem quer uma gostosa pra contar depois pros amigos que pegou uma gostosa, e a gostosa tem uma buceta de ouro, dá nessa porcaria que a gente vê por aí, de homem besta rastejando por mulher cretina que não dá pra ele e ainda se acha só porque está perto dela tentando alguma coisa.
E a quem as mulheres querem enganar? Com raras exceções, mulher não gosta de sexo. Quando transa com o marido três vezes por semana pra sustentar o casamento, acha um sacrifício. E a mulher que é uma moralista com horror a sexo sem casamento ou uma piranha que só dá pra conseguir alguma coisa quer jogar no homem a culpa de não conseguir transar com ela, e os contadores de estórias sexuais vêm engrossar o coro.
O come-ninguém é pior como pessoa que o machão alcoólatra que agride a esposa física, verbal e moralmente e tem não só a ela como a uma amante bem mais nova? É mais feio que o executivo de pau pequeno que sai com as mulheres mais atraentes? É mais ruim de papo que o bandido que faz sucesso com as mulheres? Nem sempre. Então, é uma bela hipocrisia condenar o homem que não consegue conquistar a maioria das mulheres como se para isso fosse importante uma coleção de virtudes éticas, uma boa aparência física, um bom trato com as pessoas e um bom desempenho sexual.
Se os homens se afirmam pelo sexo, as mulheres se afirmam pela falta dele. O homem vê o sexo como prazer, a mulher como um meio para segurar um homem, conseguir algo dele ou se reproduzir. É por isto que existe o come-ninguém. E o "pegador", com suas "estórias de comedor", que muitas vezes também é um come-ninguém (ou um ruim de cama) mas não quer passar vergonha na mesa de boteco.
~ * ~ * ~ * ~ * ~ * ~
PÁGINAS COM FILMES:
PÁGINAS SÓ COM FIGURAS:

Página no Facebook