segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

As mulheres provocam uma escassez de sexo para se valorizarem

O pensamento feminino opera de acordo com a seguinte lógica:

As mulheres, de um modo geral, são extremamente competitivas entre si em todos os aspectos, em especial no tocante aos relacionamentos amorosos, onde vêem no próprio corpo o bem sumo de sua existência e seu próprio valor enquanto pessoa.

A forma com que expõe esse produto no mercado de relacionamentos se dá através da acentuação de seus dotes sexuais, e quanto mais homens excitar sexualmente, maior será o valor de seu produto (corpo).

E para aumentar seu preço num mercado altamente competitivo, colocam seu produto (o corpo) em escassez como forma de elevar seu preço de mercado a níveis absurdos, pois sabem que o princípio fundamental que rege a economia de todos os mercados está alicerçada na lei da procura e da oferta, e que quanto maior é a quantidade de um produto neste mercado, menor é o seu preço, assim como quanto menor for a quantidade, maior será o preço.

E como a existência de mulheres liberais e pouco exigentes quanto à sua sexualidade representa a proliferação de seu produto no mercado, e consequentemente a desvalorização do mesmo (em termos monetários) em razão de sua abundância, resulta daí todas estas crenças e mitos ridículos e absurdos em torno da sexualidade feminina, onde as pseudo-santas vêem no moralismo uma forma de evitar que seu preço de mercado entre em queda.

Assim, através deste falso moralismo, cria-se uma escala de valores e uma série de aparatos de controle para fazer com que tais valores se perpetuem através de instituições como a igreja, a família, a escola etc, onde o homem cresce ouvindo o que é certo e errado naquilo que tange seu agir e proceder.

Dessa forma, o homem se condiciona a ver mulheres liberais sexualmente como pessoas imorais e de pouco valor sem compreender que a razão disso tudo se deve a existência das pseudo-santas, que com o objetivo de se valorizar (e de criar atrativos para aumentar o preço de seu corpo para homens exclusivamente ricos e poderosos), desvalorizam e depreciam qualquer mulher que contrariar tais princípios e agir em conformidade com os impulsos e desejos sexuais.

O sentido de “colocar o corpo em escassez” significa apenas exibí-lo, mostrá-lo, mas não oferecê-lo ao homem sem antes receber algo de valor em troca.

Em verdade, o que estas pseudo-santas e pseudo-moralistas colocam em escassez é o sexo propriamente dito, e para fazer com que os homens assimilem a idéia de que são melhores que outras mulheres liberais quanto à prática do sexo, aprendem um conjunto de hábitos, costumes e práticas “politicamente corretas” relacionadas ao seu agir, proceder, vestir e falar.

Estas mulheres vão à igreja, aprendem a rezar, praticam atos voluntários de caridade, falam línguas e uma série de modos padronizados de conduta e etiqueta que nada mais são do que “máscaras” utilizadas em situações específicas para esconder a “prostituta enrustida” que existe por trás de uma suposta “moça de bons costumes”.

Mas aí pergunta-se: por que se escondem atras destas “máscaras”?

Por que é justamente através destas máscaras que conseguem ludibriar e dobrar os homens através de um método de dominação no qual denominei de “sexo por recompensa”.

Isto é, o sexo seria como um prêmio dado aos homens que se dispusessem a satisfazer seus desejos egoístas por vida ociosa e baseada em regalias e mordomias.

Já em relação às liberais, o móvel que dá impulso à prática do sexo é o próprio prazer.

Mas, e se retirassem esse moralismo sobre as mulheres liberais? O que aconteceria?

Aconteceria o seguinte: os homens, no geral, que geralmente têm que se fuder na vida (“trabalhar, estudar, buscar qualificação, ascenção profissional, social e ainda por cima aprender uma série de hábitos, atitudes e tendências de comportamento unicamente visando a aceitação de certas mulheres, que em troca disso tudo oferecem apenas sexo de má qualidade e amor cínico”), passariam então a evitá-las e a procurar as liberais, já que estas, ao contrário das pseudo-moralistas e pseudo-santas, não cobram nada do homem além do prazer.

Ou seja, em relação às liberais teríamos uma troca recíproca e justa, onde ambos se entregam aos seus instintos naturais levando em conta somente o prazer que um irá proporcionar ao outro.

É por essa razão que as pseudo-moralistas e pseudo-santas temem tanto as liberais.

Não há nenhum outro motivo.

Logos

Comentário ao texto "Minha vida sexual não me desqualifica"

O que você precisa saber sobre como conquistar as mulheres

Abigail Pereira Aranha

  1. Se você achou esse texto tentando descobrir como levar aquela conhecida peituda pra cama, já começou mal, mas foi bom que agora a gente pode conversar.

  2. Você aprendeu que dizer que as mulheres são quase sempre fúteis, narcisistas, hipócritas, manipuladoras, desequilibradas, infantis e dissimuladas é uma generalização machista e misógina. Mas não sobram 5% que sejam muito diferentes disso.

  3. Você vai encontrar livros ensinando como você deve se vestir, pensar, falar e se mexer quando abordar uma mulher, escritos por homens que ganham dinheiro com eles e conquistam mulheres porque têm "grana".

  4. Você pode ter vários defeitos, mas você vai sempre ver uma mulher que mal conversa com você se casando ou saindo com outro homem ainda pior.

  5. Mulher detesta sexo, com raras exceções. Ela faz sexo para conseguir alguma vantagem ou para segurar o macho pagador das contas. Ou por amor, como se fizesse algo imundo e sacrificial pela nobre instituição do matrimônio.

  6. Para aquela negra bunduda basta ser mulher e ter o corpo que tem para você estar disposto a mudar seu jeito de ser para transar com ela.

  7. Você está tão escravizado e tão pouco exigente que nem se incomoda se a negra bunduda que você quer conquistar tem uma baixa estatura moral, poucas qualidades ou pouca inteligência.

  8. Você vai sempre ter de tomar a iniciativa na conquista da mulher, porque ela é frígida e folgada e quer ter a chance de esnobar você para alimentar o ego.

  9. Você ainda é capaz de achar que é uma grandeza moral uma mulher ser "direita" (aquela que não prejudica ninguém) e querer conquistá-la por isso. E curiosamente ela é ou uma vadia que se faz de santa, ou uma "pistoleira" em fim de carreira procurando um homem bonzinho pra sustentá-la depois que os cafajestes não a querem mais ou simplesmente uma mulher muito pretensiosa, mente curta, covarde ou feia pra ser uma "qualquer".

  10. Você pode estar pensando que a Fulana é uma mulher especial porque está numa falta de mulher (não apenas de sexo) que está deixando você desesperado e um tanto burro. E é provável que essa mulher seja uma pilantra que se faz de santa ou uma manipuladora que joga com você fazendo-o pensar que ela é a grande oportunidade da sua vida.

  11. O homem cheio de casos sexuais pra contar em roda de bar na verdade é um pega-ninguém não-assumido. Reparou que ele nunca transa com mulher feia?

  12. Não despreze os "pega-ninguém". Eles podem ter feito e sido o que você pensa que dá certo na conquista das mulheres, ou o que as mulheres dizem que esperam de um homem. Além de que eles podem ser pessoas que vão acrescentar à sua vida não só na questão mulher.

  13. As mulheres não transam com você porque só transam por interesse, porque criam uma escassez de sexo para conseguirem se casar ou apenas porque são frígidas. Mas farão parecer que o problema está todo em você.

  14. Vão dizer pra você que prostituta é pra homem fracassado, pega-ninguém, porque a prostituta transa sem jogos emocionais, sem frescuras e com mais qualidade e cobra menos do que você vai gastar com a sua esposa descuidada e ruim de cama pra transar o mesmo tanto, e isso as prostitutas não-assumidas (as que se dizem "moças de família") não podem deixar passar.

  15. Baladas, bailões e eventos musicais não são bons lugares para "pegar mulher". A maioria das mulheres que não estiverem com o namorado estão lá para ter o ego inflado por alguns trouxas, pegar cafajestes, se exibirem umas pras outras ou pra se divertirem patrocinadas por algum trouxa que pague as entradas e o que elas consumirem esperando umas transas em troca. Se você conseguir sair com alguma "gata", terá gastado muito pra isso. O mais provável é você sair de lá com alguns foras, algumas cervejas, a auto-estima ainda mais baixa e talvez alguns ferimentos causados por um machão encrenqueiro.

  16. As mulheres geralmente não tratam homens que prestam como homens. Elas podem até tratá-los bem, mas de uma forma distante.

  17. A melhor forma de conquistar mulheres é ser cafajeste, ser marginal ou ter dinheiro.

  18. Não vale a pena perder o caráter ou se matar de trabalhar e estudar só pra "pegar mulher".

  19. As mulheres sempre dirão que detestam machistas e cafajestes, mas você verá todos os machistas e cafajestes que conhece casados ou "pegando todas" enquanto alguns homens que prestam estão sozinhos, e não o contrário.

  20. Não é perda de tempo e energia para um homem ser gentil, atencioso, simpático e ético. Sempre haverá quem o mereça. Mas se esse homem não tomar cuidado, vai dar o ombro para mulheres chorarem por cafajestes, vai fazer favores para gostosonas folgadas, vai ser o amigo capacho que faz mil coisas por uma mulher sem conseguir ser visto nem como homem nem como amigo e de vez em quando vai ouvir uma mulher dizer que nenhum homem presta. E nisso essas mulheres dizem que valorizam e procuram homens como eles.

  21. Não é perda de tempo e energia para um homem ser gentil, atencioso, simpático e ético. Sempre haverá quem o mereça. Mas em matéria de conquista de mulher, esse homem conseguirá se casar com uma mulher sexualmente reprimida de inteligência medíocre que acredita que a virtude máxima de uma mulher é se casar virgem e ter filhos com o único homem que vai tocar na vida na melhor das hipóteses; com uma mulher que não o respeita, sórdida, manipuladora, mimada e desagradável na pior; ou com uma mulher de pelo menos uns 25 anos com um histórico de um relacionamento infeliz com um canalha atrás do outro e com filhos desses relacionamentos para serem criados na mais provável.

  22. Depois de você não ter conseguido nada com as jovens bonitas, vai tentar conquistar as feias e as namoradinhas dos cafajestes em fim de carreira, ou se casar com a primeira delas que lhe der atenção porque não conseguiu algo "melhor". Logo, todas as mulheres conseguem o que querem e o homem sempre fica com restos.

  23. Um homem é avaliado pelos próprios homens em função de quantas mulheres ele "pega", e "virgem" e "pega-ninguém" são termos pejorativos. Isso mostra uma ditadura feminazista onde para uma "gostosona" burra e sem caráter basta ser mulher e conseguir estar na companhia dela é uma honraria para um homem, e não uma sociedade dominada pelos homens onde o homem é reconhecido por si.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Mulher honesta é a que nem pra vadia presta

Abigail Pereira Aranha
A mulher decente, honesta, direita, casta, temente a Deus é melhor que a vadia, vagabunda, piranha? Não é, e eu vou mostrar por quê?
A mulher decente geralmente é velha ou feia, portanto muito velha ou feia pra ser vadia. Se for jovem e bonita, é uma caipira de cidade pequena. Se for jovem, bonita e de cidade grande, pensa como uma senhora mal comida de cidade pequena.
A mulher honesta tem a sua auto-estima em função de ter um marido ou futuro marido, e quando se casa, tem a vida em função da casa e dos filhos. A piranha pelo menos tem seus próprios projetos e usa algum otário como escada. Mas a mulher honesta geralmente não tem atrativos pra se dar bem na vida abrindo as pernas.
A mulher acredita ou finge que acredita que o máximo de caráter e realização para uma mulher é casar virgem e ter muitos filhos com o único homem que vai encostar nela na vida. É mesmo uma mulherzinha que não tem coragem de ter vida própria, tesão e contato com homem.
A mulher direita tem ética não porque é certo, mas porque tem medo do Inferno. A vadia, mesmo se fazendo de santa, ainda tem alguma coragem de fazer o que quer e ser ela mesma nem que seja na cama de algum cafajeste.
A mulher temente a Deus não tem um assunto que preste pra conversar. Quando não é a vida dos outros ou banalidades, é sobre religião ou louvação da vida do século passado.
A mulher virtuosa estuda para ter condições de arranjar um bom marido. Ou não estuda para não parecer uma lésbica feminista e não tirar o brilho do cabeça da mulher, que é o homem.
A mulher decente é trabalhadora porque não conseguiu um marido rico como aquele velho de 60 anos que é amante daquela piranha gostosa de 20. Ou não trabalha, porque o marido ganha o bastante pra sustentar a casa e não quer que a madame saia do lar.
A mulher temente a Deus não faz sexo fora do casamento porque acha que o bondoso Todo-Poderoso vai lhe dar uma doença ou uma gravidez se ela fizer. Se ela é feia e não tem condições de ser galinha, é mais confortável acreditar nisso que se olhar no espelho.
A mulher casta é sexualmente frustrada e prega a frigidez. A vagabunda pelo menos tem tesão por cafajestes.
A mulher casta fala mal da mulher que não é como ela porque tem inveja, porque até transar fora do casamento uma vez na vida exige mais coragem do que ela tem.
~ * ~ * ~ * ~ * ~ * ~

domingo, 17 de janeiro de 2010

Quem os feministas defendem?

Abigail Pereira Aranha

Uma jovem que posou pra Playboy dos Estados Unidos, a Paula Sladewsky, teve o corpo encontrado queimado numa lata de lixo. E qual feminista (homem ou mulher) daqueles que sempre tem um caso de mulher morta pelo companheiro violento e cafajeste pra contar falou a respeito? Nenhum. A Tania Nienkotter Rocha não escreveu nada. Marcha Mundial das Mulheres, nada. Agência Patrícia Galvão, nada. Isso no Brasil. E lá nos Estados Unidos? Gender Across Borders, nada. Womens eNews, nada. Feminist.com, nada. Estranho, né? Será que é por que ela era stripper?

Afinal, quem e o que os feministas (homens e mulheres) estão defendendo?

Os feministas não fazem campanha pelo sexo seguro e contra gravidez indesejada

Quem faz distribuição de camisinhas e anticoncepcionais é o governo. Você já viu feminista falando em sexo seguro? Mas eles fazem um alvoroço pra legalizar o aborto. Eles não deviam se preocupar com a prevenção da gravidez indesejada já que eles fazem tanta questão de acabar com ela quando ela acontece?

Os feministas defendem a legalização do aborto

Que mulher quer fazer aborto? A que não quer o bebê, claro. Mas por que ela não quer o bebê? Porque não vai dar ganho pra ela. A adolescente que engravidou do namorado marginal que não quis usar camisinha vai querer abortar se o namorado não quiser o filho e o pai expulsá-la de casa quando souber que ela está grávida. A senhorita que puder usar o filho pra prender homem ou garantir pensão não vai pensar em aborto.

Os feministas não defendem as prostitutas

Se um feminista é contra a prostituição, que defenda a legalização da prostituição pela pessoa da prostituta. Eu pesquisei na internet e achei esses argumentos contra. Do blog Utopias Reais: "Não somos conservadores, moralistas ou retrógrados. Não é em nome da moral que somos contra a legalização da prostituição, mas sim em nome do combate à opressão sexual, à exploração da mulher, ao crime organizado e à violência contra as mulheres. Não há modernidade em propostas que conduziriam à legalização do proxenetismo, do tráfico de mulheres e do crime organizado." ("Legalização da Prostituição ou Institucionalização da Escravatura Sexual?", http://utopiasreais.blogs.sapo.pt/7928.html). Do blog Sexismo e Mosiginia: "Não se pode de modo nenhum resolver o problema da legalização da prostituição ouvindo apenas as prostitutas, tem de se ouvir acima de tudo as mulheres e também os homens, apesar da perspectiva destes na maioria dos casos estar enviesada, porque o que as prostitutas fazem, embora em minha opinião seja nocivo para elas – mas essa é apenas a minha opinião, é nocivo para as mulheres em geral, para mim em particular e para a dignidade do ser humano." ("Legalizar a prostituição?!", http://sexismoemisoginia.blogspot.com/2009/10/legalizar-prostituicao.html). Ainda no mesmo blog: "Legalizar é legitimar, é enviar a mensagem de que não há nada de errado com essa prática e, neste específico caso, é garantir aos homens, calma e tranquilamente sem amargos de boca nem ressentimentos, que não há nada de errado em tratarem mulheres de carne e osso, mulheres iguais às suas filhas, às suas mães ou às suas irmãs, como objectos, como mercadorias á disposição para a satisfação sexual que não são capazes de garantir pelos meios aceitáveis e porque não dizê-lo, socialmente saudáveis" ("Teoria do contrato e legalização da escravatura sexual", http://sexismoemisoginia.blogspot.com/2009/12/teoria-do-contrato-e-legalizacao-da.html). Então tem de fazer o quê? Deixar as prostitutas na situação em que elas estão? Fechar os bordéis? Reprimir ainda mais a prostituição? Exploração de mulheres é uma coisa, prostituição é outra. Então combater a prostituição em nome de combater a exploração de mulheres é hipocrisia de beatos reprimidos e beatas feiosas casadas.

Os feministas defendem a mulher de malandro

Qual é o homem que bate na mulher? É o canalha. Será que os feministas querem que as mulheres se casem com os mesmos cafajestes que elas sempre escolhem sem apanhar? Se a mulher desvaloriza tanto os homens que prestam pra dar dedicação exclusiva na cama e fora dela a um cachaceiro qualquer que pague as contas dela, que agüente as conseqüências.

Os feministas não defendem as mulheres vítimas de violência que não são "direitas"

A mulher pode ser uma vadia que se faz de santa, se for assediada sexualmente ou for hostilizada porque saiu de casa vestida de puta atrás de programa, os feministas sempre aparecem para defender. Mas você que já viu casos de mulheres assassinadas em páginas feministas, já viu quantos deles são de prostitutas ou dançarinas de boate? E essas meninas sofrem. Volto no caso da Paula Sladewsky: as páginas feministas não comentaram, a única página feminina que comentou foi a A Vez das Mulheres.

Os feministas defendem o lesbianismo

A lésbica não tem atração por mulher, tem horror a homem. Com o tanto de lésbicas e simpatizantes do lesbianismo no movimento feminista, parece que a mulher ou acha que a vida da mulher é casar virgem e ter filhos ou tem horror a homem e quer tirar o que é dele. E outra coisa: será que quando eles falam em violência contra a mulher eles pensam que todo homem não presta? Ou eles pensam que a violência contra a mulher é pior só porque é contra a mulher?

Os feministas não defendem o ateísmo

Você já viu alguma feminista pelo menos dizer que é atéia? Existem até mulheres ditas cristãs que são feministas, como as Católicas pelo Direito de Decidir, ou seja, aborteiras que acreditam em Deus. Mas você pode achar alguma feminista de outra religião, ou querendo restaurar uma adoração de divindades femininas. Quer dizer, o problema é com o Cristianismo e o Judaísmo.

Os feministas defendem a discriminação a favor da mulher, não a igualdade

Se 99,9% dos peões de obra são homens, os feministas não falam que a construção civil é machista. Mas se 99,9% dos engenheiros civis e dos mestres de obras são homens, eles fazem um escândalo. Se uma vadia usa a lei Maria da Penha pra infernizar o marido e não apanhar, cadê os feministas pra dizer que não foi isso que eles queriam? Se os homens pudessem se aposentar com 5 anos a menos de idade ou de trabalho que as mulheres, os feministas iam fazer um alvoroço, e eles não iam querer saber que não é em serviço de gari, servente de pedreiro, metalúrgico que mulher é maioria. Mas como é o contrário, eles ficam quietinhos.

Concluindo

O feminismo defende o lesbianismo, que é o horror a homem. O feminismo defende as vadias que namoram cafajestes. O feminismo defende as mulheres pilantras que são coitadas quando convém. O feminismo defende as mulheres frígidas. O feminismo defende as mulheres com humildade zero que acham que merecem o mundo aos seus pés.

O feminismo defende todas as mulheres, menos as mulheres de verdade e as que transam mais do que as mulheres casadas sem graça, moralistas e ruins de cama.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Para os homens que descem o pau na vadia e admiram a mulher "decente"

Alguns homens denunciam as canalhices das vadias. De blogs, tem o do Maurício Trindade, o do Doutrinador, o do Sílvio Koerich e o do Lobo Sagrado, entre outros. Conheça a Central Masculinista Até aí está ótimo, é um serviço que eles fazem aos homens que prestam. Mas depois a gente vai ver que para eles o problema não é a mulher ser vadia, é ela não ser decente. Aí eles erram, eu vou explicar por que.

A mulher decente não é uma mulher de melhor qualidade que a vadia. Eu falo disso em "Mulher honesta é a que nem pra vadia presta" e em "A nem-vadia". Mas só pra falar um pouco, a mulher decente é covarde, frígida, ruim de cama e geralmente feia, velha ou caipira. E esses homens valorizam justamente o pior das mulheres. Eles não são como os botequeiros que cantam qualquer vadia que passe na frente deles quase pelada, mas ainda dão muito valor a um tipo de mulher que não presta.

Imaginem, homens defensores da moral e dos bons costumes, se todas as mulheres do mundo fossem "decentes". Prestem atenção, não é as filhas de vocês mal saindo de casa e vocês indo na zona, comendo a mulher do vizinho e assistindo filme pornô. Se todas as mulheres do mundo, mas todas mesmo, fossem o que vocês querem que as suas filhas sejam, não ia existir zona, porque ia faltar mulher. E não ia existir pornografia, porque não ia ter mulher pra fazer. Aí sabe qual seria o único jeito de um homem ter uma vida sexual, ou de só ver um corpo de mulher? Estudar e trabalhar para mostrar pra todo mundo que pode ser um bom marido, se esforçar para agradar a primeira mulherzinha que der alguma atenção, atenção que para ele será como água no deserto, mostrar pra família dela inteira que além de ser um bom provedor é um assexuado, porque não está interessado em sexo, para finalmente, depois do casamento, perder a virgindade com uma mocinha frígida que não aceita nada mais ousado que o papai-mamãe.

E quem ganharia se todas as mulheres do mundo fossem "decentes"? Os homens? Não, as mulherzinhas. Alguns homens ainda acreditam na santa na rua e puta na cama, que é ou a vadia que se faz de santa ou a assexuada que se faz de puta. Mas pense comigo: como uma esposa honesta (a que não dá golpe na praça) vai ser na cama se tiver certeza de que o marido não vai conseguir transar com ninguém além dela? Vai dar a ele o sexo mais louco e gostoso que existe? Pra começar, mesmo que ela soubesse o que é isso, não teria capacidade. E ele, coitado, nunca vai ter outra escolha além do sexo que essa senhora oferecer. Pra você ver, o homem que defende a mulher decente faz a mesma coisa que a mulher que combate as prostitutas.

Vadia e mulher sexualmente livre não é a mesma coisa. Uma mulher sexualmente livre é tudo de bom (calma, não virei lésbica, hehehehe). A mulher sexualmente livre não exige casamento pra fazer sexo. A mulher sexualmente livre não acaba com a vida, a liberdade, o sossego e o dinheiro de um homem para dar a ele 2 ou 3 relações medíocres por semana. A mulher sexualmente livre se diverte junto com os gatinhos (e com os feios também). Ela só exige respeito, alegria, amizade e uma pica que dê pro gasto. É por isso que eu não defendo nem o moralismo nem a piranhagem, mas a liberdade sexual. Por um mundo com sexo em praça pública e sem polícia pra prender.

No mais, indico o meu texto "Homem machista, a marionete feminazista". E repito que eu gosto do trabalho de vocês, mesmo os que não têm blog mas botam a boca no trombone. Mas fiquem atentos, porque o homem sair da Matrix, como alguns falam, não é fácil e às vezes ainda fica com alguma coisa da Matrix.

Abigail Pereira Aranha

Veja também: Para os homens que descem o pau na vadia e admiram a mulher "decente" – II
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook