sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O feminazismo chegou à Justiça - parte 2: CONAR retira propagandas "impróprias" a mando de mocréias feministas, mas permite outra que ofende os homens

(revisão do texto "A justiça misândrica: goleiro Bruno, Fábio William e campanha da Bombril", 26/08/11)


O feminismo está deixando cada vez mais claro pra quem tem sanidade e inteligência que não é um movimento para defender mulheres oprimidas pelos homens, é um movimento por um totalitarismo anti-pica. Mulheres sempre são vítimas, homens sempre são maus ou inferiores. Homens feministas (manginas1), peguem as suas bolas de volta no lixo antes que se arrependam.

Para homenagear as mulheres no seu dia, a Bombril fez a campanha abominável "Mulheres Evoluídas". Veja em http://www.mulheresevoluidas.com.br/campanhatv. Transcrevemos aqui:

"Vizinho", com Marisa Orth. Minha amiga, você já reparou como homem é tudo bobo, só porque mata uma baratinha, abre um vidro de palmito fica logo se achando? Meninos, a Bombril faz muito mais que vocês. Mata barata, limpa chão, lava roupa, louças. Gente, deixa o banheiro limpo e cheiroso, ao contrário de certas pessoas. Homem tem o quê? 5 utilidades? A Bombril tem 1001. E ó, mané, se liga, hein, que eu peço pro vizinho abrir o vidro de palmito. Ele é tão forte. Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

"Adestramento", com Marisa Orth. Pensa comigo. Homem solta pelo, faz xixi no chão e eventualmente até baba. Praticamente um cachorro! Por isso, minha amiga, você que é um ser humano superior e evoluído tem que adestrar o seu homem pra que ele se comporte direito. Por exemplo, se ele pegar um balde com os produtos da Bombril e te ajudar a limpar a casa, o banheiro e ainda lavar as roupas, dá banhinho nele, faz carinho, deixa dormir na sua cama. Agora, pisou na bola, é jornalada na fuça, que comigo é assim. Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

"Tropa de Elite", com Dani Calabresa. A gente já tentou falar com jeitinho e nada. Agora vamos falar língua que homem entende. (batidas) Cabou a moleza, fanfarrão, chegou a Tropa da Limpeza. Pinho Bril, Pratice, Tanto, Limpol, Sapólio, Lysoform, o general Bom Bril. Chão bom (batidas) é chão limpo, e louça tem que brilhar. Cê tá com medinho da sujeira? Então pede pra sair que aqui em casa o comando é meu, e o controle da Tv também. Entendeu, ah, fofinho? Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

"Homem das Cavernas", com Dani Calabresa. Já reparou que se dependesse dos homens, a humanidade ainda estaria nas cavernas? É, essa caverna tá boa, viu? É, minha filha, porque homem é bom, mas é tosco. Por isso, pra deixar sua casa limpinha, cheirosa e brilhando, as mulheres precisam mesmo é da Bombril. Só ela tem 1001 utilidades e produtos que estão sempre evoluindo. Não é, Zé? Vamo lá, vamo evoluir também. Hoje ele não quer. Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

"Inveja", com Mônica Iozzi. Os homens já perceberam que nós somos a parte mais evoluída da humanidade e deram pra imitar a gente. Meninos, vamos parar com a palhaçada do brinquinho, depilação, baby look. Que que é uma baby look? (Se bem que tem gente que gosta da baby look) Enfim, vamo lá gato, vem lavar uma roupinha, esfregar um chãozinho, vai limpar a churrasqueira, porque com os produtos da Bombril até vocês conseguem. Então vamo lá, rapaz, segura este Pratice que nem homem. Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

"Dona Marisa", com Mônica Iozzi. O Movimento das Mulheres Evoluídas Bombril já recebeu centenas de cartas, como essa da dona Marisa, de São Bernardo, reclamando que depois que o marido largou o emprego fica o dia inteiro enchendo o saco dela. Dona Marisa, faz o seguinte, pede pra Sua Excelência pegar os produtos da Bombril e ir limpar a casa, as janelas, o banheiro, a louça. Porque ele até podia ser o cara lá no serviço, mas em casa pode botar a barbinha de molho, que quem manda é a mulher moderna. Bombril, os produtos que evoluíram com as mulheres.

Teve reação, porque nem todo homem é corno. Por exemplo, a do Ricardo Marins:

Pensa comigo. Mulher que coloca homem como cachorro é porque quer ser tratada como fêmea. Geralmente não tem nem tamanho, late a todo tempo, vivem no cio, lambem de tudo, isso além de viverem metendo o nariz onde não são chamadas. Por isso, meu amigo, a liberdade é recíproca. Como diz o velho ditado, é melhor dar dinheiro do que confiança. Mas se sua fêmea é adestrada e se comporta direitinho, ah, então, paga pra fazer a poda, paga pra fazer as unhas, dá pra ela uma coleirinha de ouro, com a letra inicial do seu nome. Ela vai adorar. Agora, pisou na bola, põe pra dormir na casinha dela. Pra puta que pariu com a Bombril! Aqui em casa, nunca mais!

"RESPOSTA PARA BOMBRIL.wmv", http://www.youtube.com/watch?v=9syVQz_r-s4

Como sempre, as feministas juram que não odeiam os homens, mas não se mostram quando eles são agredidos, desprezados, pisados, humilhados. Nas Blogueiras Feministas, a única referência ao caso foi esta: "É muito triste ver que para levantar a auto-estima das mulheres precisamos acabar com a masculina, isso tem nome: sexismo!" ("Homens, modo de usar", Carol Fontes, http://blogueirasfeministas.com/2011/03/homens-modo-de-usar/) E quando feminista fala em sexismo, ela quer dizer machismo. Então, o mais provável é que a fala da Carol quer dizer que as mulheres, sendo superiores aos homens, não precisam usar esse expediente baixo para se afirmarem.

E o engraçado é que essa campanha teve um recorde de denúncias no CONAR (300, quase todos homens), mas

De acordo com o julgamento do Conar, os comerciais são bem-humorados e usam recursos próprios da publicidade, como o exagero, sem demonstrar riscos aos conusmidores.

Essa notícia saiu na Veja, está em http://veja.abril.com.br/noticia/economia/300-homens-recorrem-ao-conar-contra-bombril. Dá só uma olhada lá pra ver os comentários. Grandes protestos mesmos foram dois, um homem e uma mulher. A maioria gostou da campanha. Teve um HOMEM que disse

Um recado aos tais 300 homens: Vão caçar serviço!

Comentário nosso, dia 23, não foi publicado:

Carla,

"A marcha [das Vadias] seguiu até a rua Augusta e terminou na frente do teatro Comedians, que tem como sócios os humoristas Rafinha Bastos e Danilo Gentili. O grupo pediu boicote ao teatro por conta das piadas sexistas de ambos."

José do Porto Almeida, você vai mandar essas mulheres ir arrumar a casa?

Wilma, cadê o senso de humor aqui?

Paulo Cezar Nobre Machado, quem se incomoda com essa campanha asquerosa não é quem tem conteúdo zero, é quem odeia o lesbonazismo e acha que o homem merece respeito.

E o Rafael Bastos não foi processado por uma piada? Ah, mas o caso dele foi diferente. Claro que foi diferente, ele falou mal de mulher. Apologia a estupro? Homem pode ser chamado de inútil, bobo, assassino, estuprador, etc, mas mulher não pode ser criticada.

Áurea, concordo com você. Marcelo, parabéns pelo comentário, por ainda ter dignidade e por não ter vergonha de ser homem.

É melhor não falar mais nada aqui, podem recusar o comentário.

Beijos

Abigail Pereira Aranha

http://avezdasmulheres.wordpress.com

Prova de que o comentário foi censurado é que um comentário posterior, do dia 25, foi aprovado.

Vejam também, sobre esse caso, "Bombril não é para homens", do Reflexões Masculinistas (http://www.reflexoesmasculinas.com.br/2011/03/bombril-nao-e-para-homens.html) e o tópico "Resultado da denúncia ao CONAR- Bombril - Por Revista Veja e Exame.com ", do fórum O Perdedor Mais Foda do Mundo (http://silviokoerich.forumeiros.com/t1748-resultado-da-denuncia-ao-conar-bombril-por-revista-veja-e-examecom).

E o engraçado é que pelo menos duas propagandas de cerveja foram tiradas do ar por causa de "sensualidade". Uma propaganda foi da cerveja Skol, com uma Garota do Tempo pelada com nuvens cobrindo as partes que interessam (aos meninos, porque eu não sou lésbica). A outra foi da cerveja Devassa, com a Paris Hilton. E a moça nem estava de roupa tão curta. Parece que foi só uma dança que foi muito picante. E olha quem denunciou a propaganda: Nilcéa Freire, secretária especial de Políticas para Mulheres da Presidência da República (ou seja, a chefe do Esquadrão Lesbonazista do governo Lula - Dilma Poste). Aliás, olha a cara da cidadã.

nilcea-freire

Já reparou que toda vez que uma mulher bonita ou gostosa (segundo os homens, porque eu não sou lésbica) aparece num comercial, num programa de televisão, etc menos recalcado acontece uma batalha pra tirar o material de circulação, com a conversa tipo "mulher não é objeto sexual", comandada por uma mulher feia pra cachorro?

Qualquer feiosa moralista tem mais força que 300 homens opressores?

Bombril na minha casa nunca mais! Meninos, quem já tem vergonha de ser homem ou idolatra as mulheres pegue as bolas de volta no lixo e reaja ao nazismo lésbico antes que seja tarde.

Ah, abaixo o apedrejamento moral de Fábio Willian e do goleiro Bruno! Mas esse é assunto da parte 1.

Abigail Pereira Aranha

1 Mangina: Traduzindo do inglês é a junção das palavras man = homem e gina que vem de vagina. Ou seja: homem-vagina. O homem-vagina é o homem que sempre coloca a mulher num pedestal e a valoriza acima de tudo, geralmente visando fins sexuais. Como são desesperados por mulher, colocam em detrimento até a família e/ou amigos por causa delas.

Copiei esta nota do texto "Era Jesus um mangina?", do Canal do Búfalo. Por falar do Canal do Búfalo, vou copiar mais uma coisinha de lá, pra dar uma força pra eles:

==


Mais uma vez, gostaria de pedir a todos que estão lendo para assinar a petição feita para o Estatuto do Homem que está rolando no congresso. Ele ainda não é o suficiente para contrabalancear a sacanagem que já ocorre contra os homens na justiça atualmente, mas já é um passo e tanto. Por favor pessoal, vamo divulgando essa petição por aí, se você tem blog divulgue lá também e vamos cada um fazer nossa parte para sermos ouvidos!


Para assinar a petição, clique neste link:


http://www.abaixoassinado.org/assinaturas/assinar/8716


Para saber mais sobre o que propõe o Estatuto do Homem, leia aqui:


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/8716


Obs: Se possível, na área de comentários da sua assinatura na petição, coloque daonde que você fo redirecionado para assinar a petição. Exemplo, se você viu a petição aqui no blog e foi lá assinar, na área de comentários coloque algo como “Vi esta petição no blog http://canaldobufalo.galacta.org/” ou só o link do blog mesmo. Porque para isto você estará mostrando para eles que estamos começando a formar um movimento organizado!


==


Para quem ainda não assinou, ASSINEM a petição que está sendo feita contra os comerciais misândricos vergonhosos feitos pela Bombril. Por favor, vão neste linkhttp://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=ABRAPAI e façam sua parte!


Não deixe de participar do fórum mais foda do mundo! Fórum do Silvio Koerich, o perdedor mais Foda do Mundo!


Participe de nossa comunidade no Orkut! Clique aqui.


Novo Formspring do Pragakham, o guerreiro da real mais louco que tem! Clique aqui que ele te mete a real.

O País do Carnaval puniu Paris Hilton por falta de decoro

O clima é excessivamente sensual, resolveram alguns telespectadores confrontados com o anúncio da cerveja Devassa estrelado por Paris Hilton. Mulher não é objeto sexual, escandalizou-se Nilcéa Freire, secretária especial de Políticas para Mulheres da Presidência da República. O comercial deve ser censurado, decidiram os integrantes do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, o Conar.

Nenhum dos combatentes reunidos na frente moralizadora viu algo de errado nas comparações escatológicas de Lula, no top-top-top de Marco Aurélio Garcia, no relaxa e goza de Marta Suplicy, na dança do mensalão de Ângela Guadagnin ou no samba da vassoura de Dilma Rousseff. Nada disso é indecoroso - nem o bigode asa-da-graúna de José Sarney. Obscena é a performance de Paris Hilton:


O comercial da Devassa não foi o primeiro a valer-se da nudez feminina, sugerida ou explícita, para popularizar uma marca de cerveja. Tampouco é o mais ousado da última safra. Mas foi o primeiro a ferir a alma delicada de Nilcéa, e a induzir os conselheiros do Conar a tirarem da sala as crianças que nela podem permanecer quando entra no ar, por exemplo, esta peça publicitária da Skol:

A secretária Nilcéa certamente viu todos os comerciais de cerveja. Só ao topar com uma americana na telinha descobriu que, além de estimular o preconceito contra as louras, esse tipo de anúncio "tenta vender a mulher como se fosse um produto". Pelo meio-sorriso na foto, a censora federal sabe que não corre o menor risco de ser submetida a tal constrangimento.

nilcea-freire

Augusto Nunes, http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/o-pais-do-carnaval-puniu-paris-hilton-por-falta-de-decoro/

Conar tira do ar anúncio da Devassa

Campanha foi alvo de denúncias

02 de março de 2010 | 0h 00

FOCO - Campanha com Paris Hilton: "excesso de sensualidade"

O comercial com a socialite americana Paris Hilton está realmente dando o que falar. Parte da campanha criada pela agência Mood para a cerveja Devassa Bem Loura, lançada durante o carnaval pelo Grupo Schincariol, foi suspensa por determinação do Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

A liminar que tira o anúncio do ar, além de algumas peças de publicidade de circulação, atende ao pedido do relator do processo, que não teve seu nome divulgado. O processo foi aberto com a queixa feita por um consumidor, que se sentiu atingido pela "sensualidade da propaganda". Fora essa denúncia, há mais outros três pedidos contra a campanha da Devassa, sendo que o último deles foi encaminhado ao Conar na última sexta-feira pela Cervejaria Petrópolis.

O recurso da empresa será discutido na reunião do Conselho de Ética e a atual sustação do anúncio pode ser suspensa pelos conselheiros. A discussão em torno da propaganda tem agitado as mídias sociais, como o Twitter, e também blogs, além de o filme no portal do YouTube já ter atingido mais de 420 mil acessos.

Já devidamente notificada dos três primeiros processos, a empresa enviou comunicado à imprensa em que diz: "Entendemos que o filme estrelado pela modelo Paris Hilton não ofende, em nenhum aspecto, a qualquer norma ou orientação emitida pelo Conar. Apesar disso, a Schincariol acata a decisão e já trabalha na defesa do caso." Os advogados da empresa terão até a próxima semana para elaborar a defesa.

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,conar-tira-do-ar-anuncio-da-devassa,518124,0.htm

Minha Resposta à Bombril

por Francisco Pinheiro em Ter Mar 22, 2011 3:53 pm

"Inaceitável.É revoltante como o departamento de marketing ou a agência publicitária contratada para fazer o comercial tenham pessoas tão ingênuas que não percebam o erro insultoso de, para agradarem a uma parte de seus consumidores, seja preciso comparar outra parte com animais que precisam ser adestrados. É um insulto a todos os homens que fizeram das civilizações o que elas são hoje, visto que nenhuma mulher, à excessão de Mme. Currie,estudiosa dos elementos radioativos e Prêmio Nobel, foi capaz de criar um único microchip. É igualmente acintoso inclusive aos homens que trabalham nessa empresa (a menos que a Bombril seja empresa constituida unicamente por mulheres)e que, talvez tenha sido um homem o fundador ou sócios fundadores da Bombril.

E é curioso que essa mesma empresa desconheça que existem hoje nas grandes cidades, nas repúblicas estudantis e em muitos outros lugares homens solteiros que se utilizam dessa já tão tradicional marca de esponjas de aço para, com ela, deixarem seus utensilios mais limpos…o que contradiz o comportamento de animais que precisam ser adestrados e "evoluírem", visto que a preocupação com a limpeza, seja usando Bombril ou qualquer outra marca, a preocupaçao com a limpeza é coisa de gente decente e inteligente, que cuida da saúde e do bem-estar.

Se querem obter clientes, sejam mais decentes e ajam com dignidade. Existe um Dia Internacional do Homem,19 de Novembro, e eu quero ver vocês fazerem um comercial sobre os homens , como fez a empresa O Boticário em comercial comemorativo ao Dia do Homem.

Retratem-se publicamente e não tirem a dignidade de milhares de pessoas do sexo masculino, homo e heteros que trabalham com dignidade, muitas vezes com o risco da própria vida, para levarem para seus lares os frutos do seu trabalho. O comercial também deixa implicito, de forma sublimiar e quando Marisa Orth diz que no trabalho ele pode ser O Cara, mas em casa quem manda é a mulher, deixa implícito que lugar de mulher é na cozinha, quando milhares de mulheres também dão duro no trabalho para criarem os filhos e ajudarem seus maridos a levarem comida pra casa.

E analisem melhor o comercial e a agência de propaganda que contratam."

http://silviokoerich.forumeiros.com/t1063-minha-resposta-a-bombril

300 homens recorrem ao Conar contra Bombril

Majoritariamente masculinas, reclamações pediram retirada do comercial; número é um dos recordes da história do órgão

Desde março deste ano, cerca de 300 pessoas – em que apenas 20 são mulheres – já recorreram ao Conar – Conselho de Autorregulamentação Publicitária – contra comerciais da campanha "Mulheres Evoluídas", da Bombril. O número é um dos recordes de reclamações já feitas na história do órgão.

De acordo com a assessoria do Conar, os apelos pela retirada dos comerciais começaram na noite do dia 15 de março, vindos de todo o Brasil. Todas as denúncias consideravam os anúncios sexistas e discriminatórios contra homens.

Aberto no dia 17 de março deste ano sem pedido de liminar, o processo foi julgado em 5 de maio, quando, por decisão unânime, decidiu-se pela manutenção dos filmes no ar.

Pela quantidade de reclamações recebidas pelo Conar, no entanto – e como elas continuaram após o primeiro julgamento -, o órgão voltou a examinar o caso na quinta-feira, quando a decisão do dia 5 de maio foi reafirmada.

De acordo com o julgamento do Conar, os comerciais são bem-humorados e usam recursos próprios da publicidade, como o exagero, sem demonstrar riscos aos conusmidores.

http://veja.abril.com.br/noticia/economia/300-homens-recorrem-ao-conar-contra-bombril

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O feminazismo chegou à Justiça - parte 1: Bruno e Fábio Willian mataram vadias e foram presos, Severina matou o pai e foi absolvida

(revisão do texto "A justiça misândrica: goleiro Bruno, Fábio William e campanha da Bombril", 26/08/11)



O feminismo está deixando cada vez mais claro pra quem tem sanidade e inteligência que não é um movimento para defender mulheres oprimidas pelos homens, é um movimento por um totalitarismo anti-pica. Mulheres sempre são vítimas, homens sempre são maus ou inferiores. Homens feministas (manginas1), peguem as suas bolas de volta no lixo antes que se arrependam.

O caso do Fábio foi citado em outro texto. O cara é humilhado, corneado, o juiz manda ele se afastar da mulher e ela fica encostada nele, e quando ela provoca e ele reage é ele que é o cara mau? A justiça queria o quê? Que ele fosse à polícia? Quando um homem vai dar queixa de uma mulher, ele vai ter sorte se o delegado não debochar dele nem falar pra ele deixar isso de lado.

Se a Maria Islaine acreditasse no senso de dignidade de um homem que presta, ela estaria pedindo pra morrer. Mas não importa, mulher é sempre vítima.

Esse caso consegue ser pior que o caso do goleiro Bruno. Aliás, o advogado que defende o Fábio é o mesmo, o Ércio Quaresma. Lembrando, o Bruno foi condenado pela justiça e pelo povo porque supostamente deu um fim a Eliza Samudio, uma maria-chuteira que tentou se aposentar em grande estilo com o golpe da barriga. E é possível que a desgraçada esteja viva. Há quem diga que ela está na Argentina com o pai dela.

O recado lesbonazista nestes dois casos é: nós mulheres vamos fazer o que quisermos com os homens, e ai deles se eles reagirem. E a ameaça não é aos cafajestes, assassinos, estupradores, é aos homens que prestam. Não é estranho que as queixas de violência contra a mulher aumentaram depois da lei Maria da Penha?

Ah, mas nada justifica o assassinato. Quer dizer, nada justifica o assassinato de uma mulher. Ou alguém já disse essa frase quando uma mulher matou o marido? Se você é homem, quantas vezes uma mulher já veio pra você com aquela cara horrorosa de animal selvagem raivosa por alguma coisa que nem você sabe nem ela se preocupa em explicar? Se você é mulher, quantas vezes você é essa mulher?

Ah, tem algum feminista aí que não gostou? Então, vou contar uma história.

Severina Maria da Silva, uma agricultora de 44 anos de Caruaru (PE), era estuprada pelo próprio pai desde os 9 anos pelo próprio pai, engravidou dele doze vezes. Por fim, mandou matar o pai. Foi julgada e o promotor do Ministério Público de Pernambuco, José Edvaldo da Silva, pediu a absolvição da mulher. Para ele, a acusada foi vítima de coação moral irresistível. Os dois conhecidos da agricultora que cometeram o crime foram condenados. Ela foi absolvida.

E aí, qual a diferença? Algum feminista quer tentar responder? Algum feminista quer tentar provar que defender Fábio Willian ou Bruno é ser a favor do patriarcado e atacar Severina também é ser a favor do patriarcado, da violência contra a mulher, etc? Sabe qual é a diferença? É que violência de mulher e violência contra a mulher são duas coisas diferentes.

E olha que interessante: no caso Fábio Willian e no caso Severina o júri era formado por quatro mulheres e três homens.

Abaixo o apedrejamento moral de Fábio Willian e do goleiro Bruno! Meninos, quem já tem vergonha de ser homem ou idolatra as mulheres pegue as bolas de volta no lixo e reaja ao nazismo lésbico antes que seja tarde.

Ah, Bombril na minha casa nunca mais! Mas esse é assunto da parte 2.

Abigail Pereira Aranha

1 Mangina: Traduzindo do inglês é a junção das palavras man = homem e gina que vem de vagina. Ou seja: homem-vagina. O homem-vagina é o homem que sempre coloca a mulher num pedestal e a valoriza acima de tudo, geralmente visando fins sexuais. Como são desesperados por mulher, colocam em detrimento até a família e/ou amigos por causa delas.

Copiei esta nota do texto "Era Jesus um mangina?", do Canal do Búfalo. Por falar do Canal do Búfalo, vou copiar mais uma coisinha de lá, pra dar uma força pra eles:


==


Mais uma vez, gostaria de pedir a todos que estão lendo para assinar a petição feita para o Estatuto do Homem que está rolando no congresso. Ele ainda não é o suficiente para contrabalancear a sacanagem que já ocorre contra os homens na justiça atualmente, mas já é um passo e tanto. Por favor pessoal, vamo divulgando essa petição por aí, se você tem blog divulgue lá também e vamos cada um fazer nossa parte para sermos ouvidos!


Para assinar a petição, clique neste link:


http://www.abaixoassinado.org/assinaturas/assinar/8716


Para saber mais sobre o que propõe o Estatuto do Homem, leia aqui:


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/8716


Obs: Se possível, na área de comentários da sua assinatura na petição, coloque daonde que você fo redirecionado para assinar a petição. Exemplo, se você viu a petição aqui no blog e foi lá assinar, na área de comentários coloque algo como “Vi esta petição no blog http://canaldobufalo.galacta.org/” ou só o link do blog mesmo. Porque para isto você estará mostrando para eles que estamos começando a formar um movimento organizado!


==


Para quem ainda não assinou, ASSINEM a petição que está sendo feita contra os comerciais misândricos vergonhosos feitos pela Bombril. Por favor, vão neste linkhttp://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=ABRAPAI e façam sua parte!


Não deixe de participar do fórum mais foda do mundo! Fórum do Silvio Koerich, o perdedor mais Foda do Mundo!


Participe de nossa comunidade no Orkut! Clique aqui.


Novo Formspring do Pragakham, o guerreiro da real mais louco que tem! Clique aqui que ele te mete a real.

Júri absolve agricultora que tramou morte do pai

Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR

25/08/2011 | 14h12 | Justiça

Laís Telles/Esp. DP/D.A press


Um abraço emocionado de quatro dos cinco filhos selou, no início da tarde de ontem, o novo destino da agricultora caruaruense Severina Maria da Silva, 44 anos. A decisão judicial que a livrou da condenação pela morte do próprio pai, Severino Pedro de Andrade, apontado como autor de abusos sexuais cometidos contra ela por 28 anos, virou mais uma página da dolorosa história de vida da mulher e pôs fim ao polêmico julgamento, que envolveu ordens de prisão e até um desaforamento a pedido do Ministério Público. Apesar de confessar publicamente e durante a sessão ser a autora intelectual do crime, Severina foi inocentada pelo júri.


“Só quero voltar para minha casa, com meus filhos, e poder trabalhar”, desabafou ao saber da sentença. Estuprada desde os nove anos pelo próprio pai, de quem teve doze filhos, Severina repetiu para os jurados as atrocidades de que foi vítima durante quase três décadas de abusos e admitiu que, diante do temor do estupro de suas filhas, ao mesmo tempo filhas e netas do agressor, resolveu mandar matar o pai.


Por quase três décadas, a agricultora foi obrigada pelo genitor a viver maritalmente com ele. As agressões sexuais começaram aos 9 anos, com a conivência da mãe. Aos 15 anos, Severina teve o primeiro dos 12 filhos, a maioria morta em decorrência de problemas genéticos, da falta de acompanhamento médico e por causa das agressões físicas praticadas pelo pai-avô dos bebês. Apenas cinco das crianças, hoje com idades entre 12 e 19 anos, sobreviveram.


Por 28 anos, de acordo com o relato feito ao júri - formado por três homens e quatro mulheres -, Severina foi subjugada e abusada, com o conhecimento da família. Em 2005, quando Severino ameaçou abusar uma das filhas-netas, de 11 anos, Severina resolveu mandar matá-lo. A morte foi encomendada a dois conhecidos da agricultora ao preço de R$ 800. Os executores do crime, Edilson Francisco de Amorim e Denisar dos Santos, foram condenados e cumprem pena em Caruaru.


Durante a acusação, o promotor do Ministério Público de Pernambuco, José Edvaldo da Silva, surpreendeu os presentes ao júri pedindo a absolvição da ré. Para ele, a acusada foi vítima de coação moral irresistível. “Ela não teria outra forma de defender-se, ainda que envolvendo violência”, justificou, contrariando a posição inicialmente adotada pelo MPPE, que solicitou o desaforamento do júri de Caruaru para o Recife alegando suspeita sobre a imparcialidade do corpo de jurados.“Eu não poderia, nem teria condições éticas, de pedir a condenação desta mulher quando não se poderia exigir dela outra conduta e quando ela deveria era ser indenizada pelo Estado”, ponderou o promotor. Para ele, Severina foi, de fato, vítima de mais de 5 mil crimes não julgados ou investigados.


O argumento, o mesmo utilizado pela defesa da acusada, foi reforçado pelo fato de Severina já ter procurado as delegacias de Caruaru e Brejo da Madre de Deus cinco vezes na tentativa de denunciar as agressões, todas sem sucesso. De acordo com um dos advogados de defesa, Gilvan Florêncio, a decisão será analisada pelos advogados para verificar a possibilidade de Severina iniciar um novo processo, desta vez contra o Estado, para pleitear o pagamento de indenização pelos danos sofridos.


Por conta da morte do pai, Severina ficou um ano e seis dias detida na antiga Colônia Penal de Garanhuns. “Se Deus quiser, minha mãe vai querer voltar a falar comigo e eu vou esperar por ela. Minha vida vai ser diferente daqui para a frente”, resumiu.


Por Ed Wanderley


http://www.diariodepernambuco.com.br/nota.asp?Materia=20110825141246

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Pega, Lex



Lan house na rodoviária de Belo Horizonte: "ATENÇÃO: Proibida a abertura de sites, fotos e vídeos com material pornográfico neste local público, ficando o infrator sujeito a sanções do Código Penal Brasileiro"





Abigail Pereira Aranha

O conhecimento da lei que devia fazer o povo consciente dos seus direitos e seus deveres virou uma patacoada em todas as classes sociais. A lei Maria da Penha é um monstro inconstitucional lesbo-totalitário usado por mulheres insuportáveis para ameaçar os seus maridos bonzinhos, sendo que dos realmente violentos elas apanham caladas até hoje. Os artigos 330 e 331 do Código Penal se tornaram ameaças veladas no serviço público, onde vários funcionários não têm qualidades técnicas ou pessoais para merecer respeito. Até ser estudante de Direito é poder posar de casta superior. Um caso grotesco foi o de uma estudante de Direito que disse sê-lo quando foi detida por dirigir embriagada, caso publicado no Jornal da Alterosa (não conseguimos achar o vídeo novamente).

Na classe pobre, a lei é o Conselho Tutelar para uma feiosa amarga delatar a vizinha (talvez outra feiosa). Ou, em Minas Gerais, o telefone 181, específico para denúncias anônimas. Ou o amigo policial. Qualquer pessoa que nunca leu um livro pode mencionar o Código Penal ou um artigo de lei que mal conhece para intimidar alguém.

Bajular os afrodescendentes, os nortistas e nordestinos, as mulheres, os pobres está virando lei (no duplo sentido). Qualquer carola sexualmente reprimido(a) e mal resolvido(a) na sua vida em geral pode fazer uma propaganda menos retraída ser tirada do ar. O Estado, com sua classificação indicativa, tenta ajudar pais incompetentes e tacanhos a impedir seus filhos de verem este ou aquele programa.

O populacho não sabe que o "Estado Democrático de Direito" que o Brasil é, segundo o primeiro artigo da Constituição, significa um Estado sujeito às próprias leis. As velhotas pouco escolarizadas e mal informadas da periferia parecem pensar que ainda vivemos em algo como o feudalismo.

O mesmo povo exige referências de uma candidata a empregada doméstica, alguns exigem atestado de bons antecedentes, mas não se preocupa mais se o candidato a gerente do dinheiro e do interesse público é minimamente competente ou ético; acha que uma empresa pode exigir e fazer o que quiser do empregado, salvo meia dúzia de exceções, e ao insatisfeito cabe procurar outro empregador, e não os seus direitos; talvez defenda a pena de morte, mas não sabe que ela nunca funcionou, não raro nem mesmo diminuiu a criminalidade; votou em Tiririca, ou teria votado nele se fosse candidato a deputado federal pelo seu estado, porque não sabe o que é coeficiente partidário; dá o "voto minhoca" (em candidatos da terra) para deputados porque pensa que a função deste cargo é disputar verbas para obras em suas bases eleitorais; e nem lamenta mais, ou nem espera qualquer punição, se um procurador é detido em flagrante por dirigir embriagado e ainda desacata os policiais.

Aliás, o popular típico aceita qualquer monstro que lhe defenda do bicho papão do momento (o terrorismo, o crime organizado, o crack), que preserve os valores fundamentais (a religião, o casamento, a aversão ao sexo) ou lhe dê alguma vantagem.

Se não é tão fácil conseguir direitos legítimos quanto parece na teoria, o caso é de uma ação popular que começa por dentro. Ler mais; selecionar e analisar melhor o que lê, ouve ou assiste, desde entretenimento até o que se apresenta como fato ou notícia; trocar benefícios imediatistas por um projeto de crescimento como pessoas e como nação; amar o conhecimento, e não o diploma como reles meio de aumento de renda; e votar direito, conhecendo os candidatos nem que seja pelo horário eleitoral. O brasileiro típico, assim como só estuda para ter um diploma que lhe permite ganhar mais dinheiro e só lê jornais para se inteirar sobre banalidades, só entende de leis para fu...lminar o próximo.

sábado, 20 de agosto de 2011

Na ausência de uma mãe, pai para todas as horas

Viúvos, solteiros ou divorciados, homens que assumem a paternidade por inteiro e dão conta de exercer dois papéis

Daniela Garcia - Do Hoje em Dia - 14/08/2011 - 10:47

Eugenio Moraes

Especial Dia dos Pais

Antes mesmo da morte da mulher, Vladmir já era um pai presente

Na ausência de uma mãe, pai de todos os tipos – solteiros, viúvos e divorciados – estão mostrando que dão conta de exercer os dois papéis na hora de cuidar dos filhos.

O gerente Vladmir Stein, de 51 anos, é um exemplo. Viúvo há dez anos, ele não voltou a se casar e enfrentou o desafio de cuidar de três mulheres, na época com 6, 9 e 11 anos. “Comprei a batalha”, recorda.

Antes mesmo da morte da mulher Iraly, vítima de um câncer de mama, Vladmir já era um pai presente. Ele conta, orgulhoso, que faltou apenas a uma sessão de pré-natal da mulher, em cinco gestações. “Eu sempre fui louco para ser pai”.

A vontade de Vladmir de participar de todos os momentos da vida das filhas rendeu momentos cômicos, segundo a mais velha, Luna, de 22 anos. “Antes de eu ficar menstruada, ele já fazia um estoque de absorventes lá em casa”. Depois da ocasião, até em aulas de educação sexual Luna foi obrigada a participar juntamente com o pai.

Homens assim são raridade no Brasil, na avaliação do professor de Psicologia da PUC Minas, Éser Pacheco. “Estudos demonstram que 90% dos chefes das famílias monoparentais são mulheres”, afirma. Diante desses dados, ele constata que a sociedade moderna está carente da função paterna.

Um pai tratar de assuntos femininos com as filhas, como Vladmir fez, é uma das “maravilhas” da família moderna, na avaliação de Éser. A presença feminina, no caso da família Stein, foi exercida pela doméstica Ana, que há 21 anos trabalha na casa. Vladmir diz que no Dia das Mães, por exemplo, as filhas passam com ela.

O segredo para se sair bem na criação dos filhos, segundo Éser, é não buscar suprir todas as vontades deles. “Para o filho ser feliz, não precisa dar tudo a ele. Essa ansiedade excessiva pode até prejudicar o relacionamento”.

Apesar de Luna, Joana e Júlia já terem crescido, a superproteção persiste. A corujice do pai não para por aí: ele sempre envia mensagens pelo celular às filhas declarando o seu amor.

Amor dedicado a um filho escolhido

Depois de muita luta, a professora de Lucas*, de 6 anos, o convenceu a dar o cartão de Dia das Mães para a avó, em vez do pai dele, André Cabral, de 45 anos. “Ele disse que eu era mãe e pai ao mesmo tempo. Que era eu quem tinha trocado as fraldas dele”, conta, orgulhoso, o professor universitário.

Há dois anos André se tornou pai adotivo de Lucas. Solteiro, ele cuida do pequeno com a ajuda de uma babá. Pela manhã, é o professor quem acorda o filho e o leva para a escola, onde Lucas ainda não pode assinar o sobrenome do pai. A sentença de adoção está prevista para sair em setembro. Durante a tarde, como ele trabalha, a criança fica com a babá. Mas, quando chega à noite, o professor a ajuda a fazer o dever de casa e assistem juntos a desenho animado. Antes de dormir, Lucas vai até o quarto do pai, pede a bênção e se despede com um abraço bem apertado. “Eu gosto muito do papai”, disse o menino na última quinta-feira, ansioso pela ligação de André, que viajava a trabalho. “Não sei a hora, mas ele vai ligar”, afirmou. (*Nome fictício)

Especial Dia dos Pais

Há dois anos André se tornou pai adotivo de Lucas (Toninho Almada)

Companheiro de compras no shopping

A maioria dos homens tem aversão a shoppings. Mas Lindomar de Souza, de 37 anos, não tem como escapar do programa. Desde que os filhos foram morar com ele, o professor universitário faz visitas frequentes a lojas para renovar o guarda-roupa de Stela, de 16 anos, e Rodrigo, de 13. “Eles escolhem o que querem”. E justifica a didática paterna: “Eu prezo muito pela independência deles”. Há quatro anos, os adolescentes vivem com o pai divorciado. A mudança da casa da mãe foi escolha de Stela e Rodrigo. Apesar da “correria” para dar conta da casa, de dois empregos, da namorada e dos filhos, Lindomar diz que não abre mão de participar integralmente da vida dos adolescentes. “É cansativo, mas é muito bom poder acompanhar o dia a dia deles”. Ele não reclama nem de momentos, por vezes, constrangedores. Leva Stela ao ginecologista e chega a pesquisar sobre a saúde da mulher na Internet. Se é preciso ser rigoroso, não se esquiva. “Se não estão estudando, tiro computador, videogame”.

Especial Dia dos Pais

Desde que os filhos foram morar com ele, o professor faz visitas frequentes a lojas (Renato Cobucci)


Superproteção e união familiar

O empresário Altino Benedito Duarte, de 56 anos, o “Tininho”, é mais do que um pai superprotetor para Ludmila, de 24, e Guilherme, de 18. “Ele é uma verdadeira mãe coruja”, afirma a mais velha. Segundo ela, o pai liga para o celular do caçula inúmeras vezes ao dia. “Ele liga para o Guilherme para saber se já almoçou ou para, simplesmente, perguntar se está tudo bem”, relata. O carinho do pai é tanto que ele não se cansa de declarar amor aos filhos. “Eu me orgulho muito de ser pai dos dois”.

Ludmila conta que o pai sempre foi um homem amoroso. “Mas, com a morte da minha mãe, ele se tornou muito mais”, afirma. Casado por 22 anos com Helenice, Tininho admite não ter sido fácil perder a mulher, assassinada durante um assalto em 2005. “Tem que ter muita força para não se entregar”, afirma.

A solução foi unir ainda mais a família. Ele sempre procura juntar os amigos e parentes na fazenda, na cidade de Cláudio, na Região Centro-Oeste de Minas. E toda noite os três se reúnem na cama do pai para assistir televisão juntos, como revela a filha. “A gente fica conversando até tarde. Só vou para o meu quarto quando já estou pingando de sono”, diz Ludmila.

Especial Dia dos Pais

O empresário Altino Benedito Duarte é mais do que um pai superprotetor (Eugenio Moraes)

Jornal Hoje em Dia, Belo Horizonte, 14/08/2011, http://www.hojeemdia.com.br/minas/na-ausencia-de-uma-m-e-pai-para-todas-as-horas-1.325823

A vítima era filha da puta mas era mulher: "pena de 15 anos para assassinato bárbaro"


Pena de 15 anos para assassinato bárbaro

Borracheiro Fábio Willian, que matou a ex-mulher com nove tiros à queima-roupa, só deverá ficar seis anos preso

Publicado no Super Notícia em 20/08/2011

FLÁVIA MARTINS Y MIGUEL

No dia 20 de janeiro do ano passado, o borracheiro Fábio Willian da Silva Soares, de 31 anos, entrou no salão da ex-mulher Maria Islaine de Moraes, de 30, no bairro Santa Mônica, na região de Venda Nova, e descarregou a arma na cabeleireira. Foram nove tiros à queima-roupa e nenhuma chance de defesa. O crime, registrado pelas câmeras de segurança instaladas pela própria Islaine, que temia o ex-companheiro, provavelmente será uma vaga lembrança para a maioria das pessoas daqui a cinco anos quando o borracheiro estará vivendo livremente.

Esse é o tempo máximo estimado para que Fábio Willian passe a contar com o benefício da liberdade condicional. Ontem, depois de oito horas de julgamento, ele recebeu a sentença de 15 anos pelo assassinato da cabeleireira. Como já cumpriu 1 ano e 7 meses da pena e a progressão de regime prevê a liberdade após o cumprimento de dois quintos da condenação, a previsão é que em 2016, após seis anos de detenção, ele possa deixar a cadeia.

O júri, formado por quatro mulheres e três homens, anunciou após 20 minutos de uma reunião reservada no fim da audiência que Fábio Willian é culpado pelo assassinato. Os jurados consideraram a qualificação sugerida pelo Ministério Público de crime por motivo fútil e sem possibilidade de defesa da vítima. A leitura da sentença do juiz Christian Gomes Lima, no entanto, causou espanto na plateia. Os irmãos de Islaine, vestidos com camisetas estampando a imagem da cabeleireira, e os assistentes da acusação, reagiram com indignação. "Esperávamos uma pena mínima de 20 anos, após a decisão do júri ter sido favorável. O juiz foi benevolente", afirmou o advogado José Arteiro. Tanto Ministério Público quanto defesa anunciaram que irão recorrer da decisão.

Ércio Quaresma, que representou o borracheiro, quer uma pena ainda menor. "Com o recurso, ele cumpre até menos dos cinco anos", garantiu. A todo momento, ele quis provar que Maria Islaine teria humilhado o borracheiro e não se protegeu das ameaças do ex-marido.

Os irmãos da vítima deixaram o julgamento revoltados. "Esse homem é um assassino duas vezes. Matou minha irmã e sete meses depois meu pai morreu de desgosto", disse Rosimar Moraes.

Assumido

Ao contrário do que todos esperavam, o borracheiro assumiu a autoria do assassinato. Ele disse que não planejou matar a vítima, mas admitiu que deveria ser condenado.

Depois de dizer que a vítima tinha muitos amantes e que ela sempre o humilhava, Fábio Willian disse que nunca traiu a ex-mulher. "Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía".

Frases do condenado

"Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía"

"As vezes estávamos dormindo de madrugada e vários homens ficavam ligando para ela. Há muito tempo ela estava saindo com um gordo"

"Uma vez um amante dela balançou meu exame de infertilidade na minha frente e falou que eu não era homem"

"Eu perdi a cabeça e atirei, depois fugi, estava transtornado"

"Eu a matei por amor. Era louco com ela"

"Era louco com ela"

Durante o julgamento, Fábio Willian da Silva Soares seguiu a estratégia da defesa e, nos 40 minutos em que foi interrogado pelo juiz Christian Gomes Lima, permaneceu cabisbaixo e fechando os olhos para sensibilizar os jurados. Ele afirmou que matou Maria Islaine Moreira por amor. "Eu era louco com ela", disse. O borracheiro afirmou que mantinha a distância da cabeleireira de 300 metros, mas ela o procurava. O salão ficava a 30 metros da minha borracharia. O condenado afirmou que a cabeleireira o traía e que um amante dela chegou a mostrar o exame de infertilidade dele, em uma festa, dizendo que ele não era homem. A mulher gravava as conversas dos dois. Em trechos lidos pelo promotor de acusação, Morino Cotta, Fábio Soares dizia que iria cometer um erro. No tribunal, ele afirmou que merecia ser condenado. (Natália Oliveira)

Irmã comemora

Parentes de Fábio Willian da Silva Soares saíram do fórum comemorando e ironizando a decisão da Justiça. A irmã do borracheiro, Luciana Maria Estela Soares, de 40 anos, disse que, em breve, o irmão estará livre, ao se referir aos benefícios de redução de sentença previstos em lei. "Quero pedir desculpas para a população que esperava que meu irmão pegasse 30 anos. Ele pegou 15 anos. E daqui três anos ele estará de novo em casa", afirmou.

Fábio Willian disse durante o julgamento que no dia do crime a cabeleireira Maria Islaine Moreira falou que ele só a mataria se fosse homem. O vídeo do crime, mostrando ele entrando no salão de beleza da ex e fazendo nove disparos contra ela, foi exibido aos jurados. Para explicar a arma, o borracheiro alegou que estava se protegendo de traficantes donos do espaço onde o salão funcionava. (NO)

http://www.otempo.com.br/supernoticia/acervo/?IdEdicao=1485&IdNoticia=60990

Comentários de A Vez das Mulheres / A Vez dos Homens que Prestam / Contra os Reis e as Religiões

Maria Islaine teria humilhado o borracheiro e não se protegeu das ameaças do ex-marido.

"Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía."

"As vezes estávamos dormindo de madrugada e vários homens ficavam ligando para ela."

"Uma vez um amante dela balançou meu exame de infertilidade na minha frente e falou que eu não era homem"

O borracheiro afirmou que mantinha a distância da cabeleireira de 300 metros, mas ela o procurava. O salão ficava a 30 metros da minha borracharia.

No dia do crime a cabeleireira Maria Islaine Moreira falou que ele só a mataria se fosse homem.

Mulher é sempre a vítima do homem! Deu pra entender?

E se fosse o contrário? A mulher podia dizer que era humilhada pelo marido? Ouvi falar que aconteceu um caso assim, e a mulher foi inocentada. E se fosse o contrário? Alguém que se atrevesse a dizer que 15 anos de cadeia é pouco. E se fosse o contrário?

Agressão de homem contra mulher? Lei Maria da Penha. Agressão de mulher contra homem? Cesta básica. Agressão de homem contra mulher? Delegacia da Mulher. Agressão de mulher contra homem? Delegacia comum, e os policiais ainda são capazes de falar pro cara deixar pra lá.

Sexismo é só de homem contra mulher? Curiosidade: no tradutor do Google do português para o inglês, "machismo" vira "sexism".

O Nazismo Lésbico avança. Dia 19 de novembro também é Dia Internacional do Homem. Vai ter que ser dia de protesto.

Beijos. Viva a vida, o caráter, o ateísmo, a anarquia e a putaria.

Abigail Pereira Aranha

(revisado em 21/08)

domingo, 14 de agosto de 2011

Dia dos Pais de um homem que presta

O Dia dos Pais tem origem na antiga Babilônia, há mais de 4 mil anos. Um jovem chamado Elmesu moldou em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai.

Nos Estados Unidos, Sonora Luise resolveu criar um dia dedicado aos pais em 1909, motivada pela admiração que sentia pelo seu pai, William Jackson Smart. O interesse pela data difundiu-se da cidade de Spokane para todo o Estado de Washington e daí tornou-se uma festa nacional. Em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o "Dia dos pais". Seguindo a tradição, nos Estados Unidos, ele é comemorado no terceiro domingo de Junho. Em Portugal é comemorado a 19 de Março. No Brasil, é comemorado no segundo domingo de agosto. No país a implementação da data é atribuída ao jornalista Roberto Marinho, para incentivar as vendas do comércio e, por conseguinte, o faturamento de seu jornal. A data escolhida foi o dia de São Joaquim, sendo festejada pela primeira vez no dia 16 de agosto de 1953. (Fonte: Wikipedia)

Vemos que a data na era moderna veio com o intuito quase que 90% comercial e político, assim como Dias das Mães, Dia das Crianças e tantos outros "Dia da(o)..." que temos. Mas não é para isso que venho escrever no blog, depois de muito tempo. Nem para criticar o Dia dos Pais (que também tem os seus apelos religiosos na Igreja Católica, que diz que ser pai é uma vocação do homem - e agosto para a Igreja Católica é o "Mês das Vocações", assim como fazem no Dia das Mães, mas deixemos pra lá, isso é outra história). Venho criticar comportamentos. Comportamentos estes que não condizem com o de um pai de verdade - e, por consequencia, um "homem que presta". Muitos pais, ao saberem que a namorada, noiva, ou seja lá o que for no momento está grávida, simplesmente dão um "nó" na cabeça e a primeira reação é o abandono da mulher. Um homem que presta se dá a alguma coisa assim? Não. Mesmo sendo ela uma mulher que provavelmente lhe daria um golpe do baú, um golpe da barriga, ou achando que ficando grávida "seguraria o homem", ele, em momento algum deveria agir desta maneira. Por quê? Sou homem e passei por isso e digo: o abandono da grávida só serve para mostrar o quão idiota, o quão imaturo, o tanto que não presta esse homem. Pois que a mulher necessita emocionalmente do homem nesse período, quer ela queira ou não. Ou foi só a mulher que fez o filho? Se é rica como Xuxa e tantas outras que tiveram suas "produções independentes" aí a coisa muda de figura, mas... o homem que presta não desampara a mulher num momento como esse, quer ela seja uma golpista ou não. Desculpem a maneira tão pessoal com que abordo o tema, mas é pessoal mesmo, e acho que um blog como esse também pode abrigar um quase desabafo.

Pai não é apenas, e nem sempre é aquele que gerou: pai é aquele que ensina valores aos filhos. Que educa, que pega no colo, que dá amor, carinho, castiga quando necessário e o prepara para a vida. Pai é aquele que leva na escola, é aquele que passa a noite acordado, é aquele que leva ao hospital na emergência, é aquele que tira de seu prato para alimentar o filho. Pai é aquele que mesmo não criando o filho junto com a mãe lhe dá tudo isso e até mais.

Muitos "pais" lembram que só têm filho porque pagam pensão. O que é uma mísera pensão de R$ 260,00 em alguns casos, que mal serve para pagar um plano de saúde decente? Ou então só lembram que têm filhos quando precisam se passar por homens de verdade, usam a criança com um troféu (seria pra mostrar sua fertilidade e em sua falta de caráter?) para mostrar às sociedades a que pertencem que têm responsabilidades e as cumprem (mesmo não cumprindo e nem querendo ter essa responsabilidade).

Eu sou um homem que presta, porque tenho um filho do meu próprio sangue o qual acabei de deixar com sua mãe (que por sinal nem em casa estava para recebê-lo) e tenho um outro filho que não é do meu sangue mas crio ele desde os 2 anos de idade, dou carinho, amor, estou com ele nas horas em que sempre precisa, e hoje, infelizmente está com o pai biológico que só paga a pensão porque foi forçado judicialmente e só liga para o filho, só o pega para passar um ou dois dias com ele quando precisa aparecer para a igrejinha evangélica dele como um excelente patriarca.

Feliz Dia dos Pais. Àqueles que são, que eram e que ainda serão. E também aos que não são.

WILLIAN SANTANA

Rio de Janeiro

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ser revoltado não significa ser infeliz

Abigail Pereira Aranha

Você sempre foi uma pessoa esperta e observadora, ou já foi uma anta mas virou uma pessoa esperta e observadora. Aí, com o tempo foi descobrindo um monte de coisas muito desagradáveis. Sobre a nossa sociedade, sobre as pessoas, sobre quem se diz oprimido há séculos. Sobre coisas que você acreditou a vida toda, e podia morrer por essas certezas. Sobre quem diz que luta por melhorar a vida de alguém. Aí, você foi ficando revoltado, indignado, louco de raiva. E ao mesmo tempo foi vendo que parece que não tem muita coisa que possa fazer. Talvez você já desejou ser burro como os outros, ser um empregado servil num emprego dos infernos, ganhando um ou ganhando vinte salários mínimos.

Mas não, ser um alienado não é a solução, nem a única opção. Nem mesmo a sua própria vida vai melhorar com isso. Já vimos muita gente submissa a Deus e o mundo se arrebentar na vida. A solução é reagir. Se você é uma pessoa inteligente, acima da mediocridade, você sente dentro de você as verdades arrombando os seus dentes pra sair da sua boca, a vontade de ir pra onde não querem que você vá, de fazer o que não querem que você faça. Você tem coragem de viver, você faz idéia de o que é viver, e o seu corpo e o seu cérebro têm sede da vida. O que vai acontecer é que a sua vida não vai ser tão rica quanto podia ser.

Ou seja, o problema não é como engolir a revolta, mas como viver a revolta. E eu não estou falando de loucura terrorista ou autodestrutiva. Estou falando de fazer a sua vida mais feliz enquanto atinge o quanto pode a cambada de bestas abaixo do seu nível. Minhas humildes sugestões:

  1. Expulse de você a idéia de que a mediocridade venceu e você não pode fazer nada a respeito.

  2. Expulse de você a idéia de que qualquer reação é a pior coisa a ser feita.

  3. Faça da sua revolta a pior coisa que puder contra quem a merece e a melhor coisa que puder para você mesmo(a).

  4. Pense globalmente, aja localmente. Lembra aquela conversa mole de consciência ambiental, né? Mas por que uma sacola plástica que você deixa de usar ajuda a salvar o planeta e denunciar um mau político no Ministério Público não vai dar em nada? O erro de algumas pessoas até bem intencionadas é tentar fazer mais do que podem. Então, a nossa versão do "pense globalmente, aja localmente" é pensar grande mas fazer o que estiver ao seu alcance.

  5. Cultive o cinismo, a piadinha e a ironia. Mas por quê? Porque faz bem pra você e mal pro inimigo. Não é inventar com o que fazer piadinhas de mau gosto nas coisas e nas pessoas que te aborrecem, é ver o absurdo e o ridículo nelas.

  6. Se prepare para quem merece a sua revolta, mas não se desprepare pra quem merece o que você pode dar de bom. Parece fácil de falar e difícil de fazer, e é mesmo. Mas é necessário. A revolta pura é loucura, ela só é boa contra quem a merece. Aliás, se prepare para encontrar pessoas que você não imaginava o quanto elas pensavam como você.

  7. Viva feliz, ou o mais feliz que puder. Essa é a vingança contra quem vive de fazer outros infelizes. Olhe para as coisas boas da vida e pro que há de bom nas pessoas (ou pelo menos algumas), e não para as pessoas pequenas e infelizes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook