segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Direita cristã, acabou! - parte 26: Rede Globo dá uma surra em toda a direita fazendo uma piada com os intervencionistas

Abigail Pereira Aranha

Programa "Zorra", Globo, 26/11/2016



[A partir de 33:11]

- Boa noite. Esta é mais uma reunião do Movimento Primeiro de Abril. Nós pretendemos apoiar a volta do regime militar. Nós estamos cansados de tanta corrupção e de tanta falta de patriotismo. Gostaria, é claro, de agradecer a presença de todos, mas principalmente a do general reformado Beltrão Medeiros. O Brasil precisa da volta da ditadura. O Brasil precisa de uma intervenção militar urgente!

- Está preso!

- Como assim? Não 'tou entendendo.

- Eu disse que o senhor está preso!

- Mas, oi, por quê?

- O nosso regime não permite nenhuma manifestação ou atividade de natureza política. O senhor é um líder de um órgão subversivo.

- Ma-ma-ma-ma-mas eu apoio vocês. Eu sou a favor da volta da ditadura.

- E quem disse que nós somos uma ditadura, hã? O senhor está insinuando isso, seu subversivo? Comunista!

- Não!

- Está preso!

- Não!

- Preso!

- Não!

- Preso!

- Nããão!

[Era um pesadelo. O homem está quase acordando.]

- Me solta! Me solta! Me solta! Me solta! Ai! Ai!

[Chega a esposa do homem no quarto.]

- Amor! Acordou! Benhé, ansioso pra manifestação, hein? Aqui, ó! [Mostra um cartaz "Intervenção militar já"] 'Cabei os cartaz, amor!

- Tava pensando, amor!

- O quê?

- Partiu cinema?

- Ah, não!

(https://youtu.be/HCr1SXxMD9g?t=33m11s)

Meus comentários

Essa piada foi fantástica, para os padrões do "Zorra Total". A parte do "quem disse que nós somos uma ditadura?" lembra um meme sobre o Islamismo que eu não me lembro onde eu vi: "Você diz que o Islã é violento? Eu vou matar você!" E o que faz a piada fantástica é que ela é de mão dupla. Ou melhor: não temos a informação de que o governo militar tenha tentado posar como "democrático", mas os movimentos sociais de esquerda fazem atrocidades em nome da "igualdade social". Só teve uma falha na primeira parte da confusão do tempo das falas, como se o governo militar fosse uma bandeira e ao mesmo tempo como se o mesmo governo militar já tivesse sido implantado.

O que faz a piada ter pouco efeito negativo na parte mal intencionada é que 1) não apenas os intervencionistas foram minoria nas manifestações contra o governo Dilma Rousseff, o movimento como um todo, assim como a oposição ao PT, não requeria que o manifestante fosse a favor do militarismo; 2) há uma chance considerável de o espectador saber disso porque na última série, 13 de março, foram mais de três milhões de pessoas nas ruas em centenas de cidades pelo Brasil; 3) depois das várias séries de manifestações ao longo de quase dois anos, ficou clara, mais do que nunca, a diferença entre manifestações do povo de verdade e as manifestações da militância esquerdista em tarde de dia útil; 4) como o "Zorra" já fez piadinhas idiotas com os antipetistas em geral e com políticos do PSDB, poucas pessoas que não sejam esquerdistas ou paspalhas ainda assistem o programa com regularidade. A Rede Globo, como vimos, está tentando agradar o PT, o eleitorado dele e alguns outros militantes da esquerda. Mas quando faz isso, não conquista ninguém mais. O problema é que bastou "tirar a Dilma" para a direita voltar à inexpressividade intelectual e política.

Além de não existir um canal de direita nos veículos tradicionais, mesmo os manifestantes nas ruas não abordaram o Petrolão como era necessário. E isso inclui alguns milhões para a Rede Globo pagos pelo PT ainda na presidência como verbas de publicidade da Petrobrás. Mais do que isso: a diferença entre ser de direita e ser contra o PT não ficou clara nem entre a própria direita. Então, durante todo o mandato da Rainha Louca, os quase seis anos, tivemos garotas fazendo algum sucesso com vlogues, blogues e perfis no Facebook só porque falavam mal do PT e das loucuras da militância esquerdista enquanto diziam aos netos de latifundiários decadentes o que eles gostam de ouvir. Enquanto isso, os "libertarians" tiveram uma época de ouro quando defendiam salários ruins e falta de direitos trabalhistas como sempre, mas sem apanhar da esquerda.

Portanto, mesmo que os militaristas sejam minoria entre os direitistas e os antissocialistas, uma piadinha razoável sobre os militaristas pode ter sucesso contra a direita como um todo. Os liberais-conservadores chegaram ao ponto em que quem denunciou o quanto que a Rede Globo recebeu de dinheiro no governo do PT foi a BLOSTA: o Limpinho e Cheiroso. Não é por falta de expulsar intervencionistas das manifestações contra o PT que a direita ainda é associada ao militarismo. E Dilma Rousseff perdeu o mandato com cerca de 70% do eleitorado achando o governo dela ruim ou péssimo. Mas a esquerda continua quase sem rivais visíveis na produção intelectual, na imprensa tradicional, nas artes, ou mesmo na política. Talvez, se a direita conseguisse um espaço significativo em um grande jornal ou em um canal de televisão, eles falando sério pareceriam uma piada do "Zorra". Então, aquela piada resume o que parece ser a opção política do Brasil: ou esquerdismo barato enrustido, ou reavivamento do fundamentalismo sertanejo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook