segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O mercado de trabalho é como o universo feminino: tem tanta falsidade que já soca a Real nele mesmo

3 habilidades escassas nos brasileiros: como desenvolvê-las?

Você sabia que muitas empresas no Brasil deixam de preencher vagas por não encontrarem candidatos com as habilidades que procuram? Um relatório divulgado pela ManpowerGroup este ano mostra que mais de 40% das companhias sentem dificuldades para contratar profissionais que se enquadrem em suas necessidades. Outro estudo, realizado pela empresa de consultoria AfferoLab, mostra que as competências mais procuradas pelos recrutadores são também aquelas que mais faltam nas pessoas. Por isso, selecionamos 3 habilidades raras listadas no estudo e algumas dicas para que você possa desenvolvê-las e se tornar um profissional diferenciado! Confira:

1. Capacidade de resolver problemas complexos

Fonte da Imagem: Pixabay

Resolver problemas complexos é algo indispensável em um bom profissional, mas poucas pessoas possuem essa capacidade. No entanto, é possível desenvolver essa habilidade em seus momentos de lazer, desde que escolha com sabedoria as ferramentas certas para fazê-lo. Neste post do blog trouxemos 3 dicas para exercitar seu cérebro se divertindo. Uma opção é jogar videogames que exijam a resolução de problemas para passar de fase. Filmes com enredos complexos, que fazem você pensar em formas para que o personagem se saia bem em sua jornada também podem ser uma boa pedida! Cruzadinhas, charadas e desafios de lógica são, da mesma forma, ótimas alternativas para desenvolver o raciocínio, assim como jogos de xadrez. Além disso, ler livros que apresentem obstáculos para os personagens é outra forma de desenvolver a capacidade de resolução de problemas. Quanto mais contato você tiver com esse tipo de situação, mesmo que na ficção, mais preparado vai estar na vida real para procurar os caminhos certos e vencer os desafios do dia a dia.

2. Habilidade para trabalhar com diferentes culturas

Fonte da Imagem: Pixabay

Em um mundo cada vez mais globalizado, saber lidar com diferentes culturas é prioridade para funcionários de empresas que lidam com pessoas de outras cidades ou países. Para se tornar um craque nesse quesito, o ideal é visitar distintos lugares, principalmente em experiências de intercâmbio. No entanto, sabemos que viajar não é assim tão acessível, mas a boa notícia é que existem outras formas de ter contato com outras culturas. O primeiro passo é aprender uma língua estrangeira, seja em cursinhos de idiomas, com professores particulares ou até mesmo utilizando livros didáticos e sites especializados no assunto. Além disso, é preciso também ter contato com amostras autênticas da língua: se você está estudando francês, dedique-se a conhecer o seu povo: pode ser vendo filmes franceses, procurando vídeos no Youtube com falantes nativos do idioma ou conversando com pessoas estrangeiras em aplicativos de celular!

3. Criatividade

Fonte da Imagem: Pixabay

Trazer ideias novas e sair do lugar comum é uma característica fantástica. O problema é que a maioria das pessoas tende a fazer as coisas sempre do mesmo jeito, de uma forma padrão, sem muita originalidade e criatividade. Apesar de que muitos acreditam que a criatividade é uma característica inata, ela pode ser desenvolvida, de acordo com o professor Brad Hokanson, da Universidade de Minnesota. Em entrevista à revista Galileu, Hokanson deu uma dica valiosa: "Uma das formas de aumentar nosso potencial criativo é nos expondo a ambientes, coisas e pessoas diferentes. Algumas pesquisas mostram que nossas memórias e experiências em lugares diferentes podem nos ajudar a resolver os problemas de onde vivemos. As pessoas podem ter visões limitadas em seus ambientes de trabalho, por exemplo, mas podem mudar as coisas tendo certeza de que atingiram os limites por lá". Assim, corra sempre atrás de novas experiências, pois o contato com o desconhecido pode te ajudar a se tornar alguém mais autêntico e criativo!

Fontes consultadas:

http://exame.abril.com.br/carreira/os-10-profissionais-mais-escassos-no-brasil-em-2016/

http://exame.abril.com.br/carreira/as-10-competencias-mais-raras-entre-profissionais-brasileiros/

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Neurociencia/noticia/2014/10/criatividade-se-adquire-com-pratica.html

https://pixabay.com/pt/inicializa%C3%A7%C3%A3o-neg%C3%B3cios-empres%C3%A1rio-594127/

Krozai, 08 de novembro de 2016, http://www.krozai.com.br/blog/3-habilidades-escassas-nos-brasileiros-como-desenvolve-las

Por que os talentos são demitidos? Simples, porque há chefes como a Dilma nas empresas

Por que os talentos são demitidos? Simples, porque há chefes como a Dilma nas empresas

Jornalista, Mestre em Administração, Marketing, Gestão, Inovação e Inteligência Competitiva.

18 de julho de 2016

Por que os bons morrem cedo? Por que muitas empresas não conseguem segurar os talentos? Acho que a primeira pergunta é saber se as empresas querem reter os melhores. Entre a retórica e a prática existem enormes gaps. Gênios são criativos, possuidores de muitas ideias, querem colocar muitos projetos para andar concomitantemente, fazem muita gente trabalhar, isto cansa. Alguém discorda?

Estes pensadores, usualmente chamados de "fora da caixinha", são, em sua maioria, "petulantes". Onde já se viu argumentar com o chefe? Imagina, estudar mais que o big boss e ainda ter o atrevimento de questioná-lo. Perguntar o porquê de fazer pelo jeito mais difícil, se há um modo mais fácil. As empresas sabem que precisam destes profissionais, mas não gostam deles, nem os toleram! Prova disto é que poucas empresas têm gênios em cargos de chefia, salvo as de tecnologia e inovação, podemos contar nos dedos, usando a mão do ex-presidente Lula, as que gostam de talentos.

Talentos só são bem vindos em palestras, o RH ainda não sabe lidar com este perfil, muito menos a chefia direta!

Acredito que os talentos precisam procurar novos lugares, empresas onde se cultiva criatividade, espaço em que os diretores, estes intermediários que empatam qualquer foda, também sejam talentosos, tarefa difícil. Por enquanto, ninguém quer um gênio. Diretor talentoso tem equipe talentosa. Já diretor porqueira, este tem equipe bem mais ou menos.

A ingrata vida de um trainee

Já percebeu que é questão de tempo para o trainee tomar um chute na bunda? Tão certo quanto ser trainee, é ser demitido por ter sido trainee. Se você conhece alguém que tenha sido trainee, pergunte a ele o porquê o demitiram. A resposta não será muito distante de: "excesso de criatividade". Mas a empresa alegou que é porque ele não chega na hora, é desorganizado, trabalha de um modo estranho, é arrogante. Os "talentos" sempre são chamados de arrogantes, na melhor da hipótese, de atrevido por não chamar o presidente da empresa de "mestre, digníssimo senhor, doutor, magnificência" e mais uns dois outros três títulos que o presidente merece. Vice-presidente e diretores podem ser chamados só de "doutor".

Já que somos provincianos e precisamos mostrar poder em cima dos talentos, vamos levando com a barriga nossas empresas e o nosso mercado. Sem partidarizar, a Dilma é um exemplo disto! Já imaginaram como seria um gênio talentoso, desinibido, sem papas na língua, assessorando a Dilma?

E são tantas Dilmas por aí....

Nas empresas sobram pessoas como a Dilma em cargos de chefia, alias, é o que mais se vê. Em um país como nosso, pobre, sem educação, que empresas enriquecem pagando propina para servidores públicos, não importa ser bom ou não. Importa o quanto se é querido pelo chefe, ai tem que ser bajulador. Neste caso, o gênio não serve. E que se dane a qualidade do serviço, em Belo Horizonte, em plena Copa do Mundo, um viaduto caiu! Pasmem... um viaduto desabou. Se isto aconteceu e ninguém, até hoje, foi preso ou punido, não há um motivo racional que explique a necessidade, neste caso, da contratação de um engenheiro talentoso, pelo menos mediano. No fundo, sabemos que qualquer porqueira serve, até os que derrubam viadutos ou passarelas, como no RJ.

Alguém discorda?

Peço por favor que leiam também este artigo sobre o site Empregos.com que "cria" vagas fictícias com o intuito de enganar desempregados. Site de vagas engana candidatos

ps: o autor do texto chama-se Leonardo Bianchi. A imagem do Justus é meramente ilustrativa. O exemplo da Dilma não tem o intuito de denegrir a imagem da Presidente afastada, também tem o objetivo de ilustrar o conteúdo.

ps1: gostou? pode curtir e compartilhar :) e curta a minha pag no facebook

contato: www.facebook.com/leobianchi99

email para contato: leo.bianchi.leo@gmail.com

sobre o autor do texto: Leonardo Bianchi, jornalista, mestre em administração é Consultor, palestrante e pesquisador de comportamento do consumidor.

Linkedin Pulse, 18 de julho de 2016, https://www.linkedin.com/pulse/por-que-os-talentos-s%C3%A3o-demitidos-simples-porque-h%C3%A1-chefes-bianchi

Meus comentários

Artigos sobre carreira profissional são iguais a cursos de sedução. Você sempre acha algum especialista mais desconhecido que goleiro de time de futebol da série C com um monte de segredos de como você pode ter sucesso. E o especialista nunca enxerga os absurdos que qualquer trabalhador mediano já viu ou já sabe que acontecem, e sempre mostra que a culpa é toda sua. E ele também nunca conta quantos abençoados com o tal sucesso já pensaram em se matar (ou conseguiram). E como já vemos com a Real no Brasil e os MGTOW em vários países em relação às mulheres, cada vez mais homens da vida real ouvem ou leem aquela conversa pra boi dormir e sabem que ou eles estão omitindo tudo que é importante, ou eles nunca saíram para o trabalho antes das 8 da manhã na vida.

Primeiramente, falta de profissional qualificado é conversa de velho pau mole e bruxa mal comida para infernizar a vida dos empregados e ainda pagar mal. Ah, e os especialistas o-mercado-tem-falta-de-profissionais, eles trabalhavam em que antes de cagar regra nos outros igual pombo? Como exemplo de que ser especialista em mercado profissional não exige inteligência, vamos a uma frase do primeiro artigo: "Em um mundo cada vez mais globalizado, saber lidar com diferentes culturas é prioridade para funcionários de empresas que lidam com pessoas de outras cidades ou países". Um mundo globalizado ou um país multicultural DIMINUI a diferença entre as culturas ou o atrito entre elas, ô, meu caro. Foi o que aconteceu no Império Romano. O tal mundo globalizado tem bairro japonês em São Paulo ou filme de época dos Estados Unidos passando em cinema italiano.

E quanto à parte da "capacidade de resolver problemas complexos" e da "criatividade", o segundo artigo é um porrete batendo de lado. E os casos reais que o autor cita, do viaduto que desabou em Belo Horizonte e da ciclovia que caiu no Rio de Janeiro, são só dois casos que envergonharam o Brasil mundialmente.

Ah, e em algumas empresas, eu não poderia compartilhar minhas putarias ou escrever os meus textos nem no computador da empresa nem no meu próprio. E até o meu fim de semana com amigos em um bar teria a ver com o meu profissionalismo. Mas eu poderia ser lesbofeminista dizendo "homens mortos não estupram" no Facebook.

Já tivemos Mariliz Pereira Jorge publicando "A incrível geração das mulheres chatas" na Folha de São Paulo, 26/06/2014, e o artigo foi reproduzido no GGN. Explicando para quem não é do Brasil: uma página de esquerda, o GGN, compartilha um texto publicado em um jornal de grande circulação, que ganhou muito dinheiro do Partido dos Trabalhadores disfarçado de verba de publicidade estatal, e esse texto foi escrito por uma mulher, criticando o universo feminino. Porque o esgoto do universo feminino e feminista já fede. O do mercado de trabalho também. Se interessar em ser um profissional ético e qualificado para ver uma empresa privada fazendo uma passarela que cai em poucos meses ou uma pavimentação de rua que mal passa da primeira chuva é como ser um rapaz íntegro e fazer um curso PUA para ver as "gatas" se agarrando com velhos imbecis ou indo para bailes funk dar boquete em traficante.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook