quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Para os homens que descem o pau na vadia e admiram a mulher "decente"

Alguns homens denunciam as canalhices das vadias. De blogs, tem o do Maurício Trindade, o do Doutrinador, o do Sílvio Koerich e o do Lobo Sagrado, entre outros. Conheça a Central Masculinista Até aí está ótimo, é um serviço que eles fazem aos homens que prestam. Mas depois a gente vai ver que para eles o problema não é a mulher ser vadia, é ela não ser decente. Aí eles erram, eu vou explicar por que.

A mulher decente não é uma mulher de melhor qualidade que a vadia. Eu falo disso em "Mulher honesta é a que nem pra vadia presta" e em "A nem-vadia". Mas só pra falar um pouco, a mulher decente é covarde, frígida, ruim de cama e geralmente feia, velha ou caipira. E esses homens valorizam justamente o pior das mulheres. Eles não são como os botequeiros que cantam qualquer vadia que passe na frente deles quase pelada, mas ainda dão muito valor a um tipo de mulher que não presta.

Imaginem, homens defensores da moral e dos bons costumes, se todas as mulheres do mundo fossem "decentes". Prestem atenção, não é as filhas de vocês mal saindo de casa e vocês indo na zona, comendo a mulher do vizinho e assistindo filme pornô. Se todas as mulheres do mundo, mas todas mesmo, fossem o que vocês querem que as suas filhas sejam, não ia existir zona, porque ia faltar mulher. E não ia existir pornografia, porque não ia ter mulher pra fazer. Aí sabe qual seria o único jeito de um homem ter uma vida sexual, ou de só ver um corpo de mulher? Estudar e trabalhar para mostrar pra todo mundo que pode ser um bom marido, se esforçar para agradar a primeira mulherzinha que der alguma atenção, atenção que para ele será como água no deserto, mostrar pra família dela inteira que além de ser um bom provedor é um assexuado, porque não está interessado em sexo, para finalmente, depois do casamento, perder a virgindade com uma mocinha frígida que não aceita nada mais ousado que o papai-mamãe.

E quem ganharia se todas as mulheres do mundo fossem "decentes"? Os homens? Não, as mulherzinhas. Alguns homens ainda acreditam na santa na rua e puta na cama, que é ou a vadia que se faz de santa ou a assexuada que se faz de puta. Mas pense comigo: como uma esposa honesta (a que não dá golpe na praça) vai ser na cama se tiver certeza de que o marido não vai conseguir transar com ninguém além dela? Vai dar a ele o sexo mais louco e gostoso que existe? Pra começar, mesmo que ela soubesse o que é isso, não teria capacidade. E ele, coitado, nunca vai ter outra escolha além do sexo que essa senhora oferecer. Pra você ver, o homem que defende a mulher decente faz a mesma coisa que a mulher que combate as prostitutas.

Vadia e mulher sexualmente livre não é a mesma coisa. Uma mulher sexualmente livre é tudo de bom (calma, não virei lésbica, hehehehe). A mulher sexualmente livre não exige casamento pra fazer sexo. A mulher sexualmente livre não acaba com a vida, a liberdade, o sossego e o dinheiro de um homem para dar a ele 2 ou 3 relações medíocres por semana. A mulher sexualmente livre se diverte junto com os gatinhos (e com os feios também). Ela só exige respeito, alegria, amizade e uma pica que dê pro gasto. É por isso que eu não defendo nem o moralismo nem a piranhagem, mas a liberdade sexual. Por um mundo com sexo em praça pública e sem polícia pra prender.

No mais, indico o meu texto "Homem machista, a marionete feminazista". E repito que eu gosto do trabalho de vocês, mesmo os que não têm blog mas botam a boca no trombone. Mas fiquem atentos, porque o homem sair da Matrix, como alguns falam, não é fácil e às vezes ainda fica com alguma coisa da Matrix.

Abigail Pereira Aranha

Veja também: Para os homens que descem o pau na vadia e admiram a mulher "decente" – II

2 comentários:

  1. Olha, posso dizer que faz sentido. Eu prezo por mulheres que se dão ao respeito, mas namorar ou casar com uma mulher, digamos, frígida na cama e que nem sequer tem sua própria opinião no relacionamento também não é nada agradável. Então, para tudo ficar numa boa, temos de dividir o mundo aquelas "honestas" tudo que um homem precisa para ter um relacionamento sério, e aquelas " atiradas" para se divertir também...

    ResponderExcluir
  2. "honestas" e "atiradas"? Achei isso uma posição bastante, ham... mal-interpretada. Por que é que a atirada não pode ser também a honesta? (se é que as palavras estão certas, o que eu acredito que não)

    Cara, eu prefiro uma mulher que seja "atirada", animada, tenha pique e goste de sexo do que uma criatura meiga e cheia de não-me-toques o resto do dia!

    Um viva as mulheres que sabem o que tem no encontro das coxas, pois delas será a felicidade nesta terra!

    ResponderExcluir

Página no Facebook