terça-feira, 18 de outubro de 2011

A vida não é um mar de esgoto

Milionária com o bilhete errado

Publicado no Super Notícia em 05/10/2011

Um erro cometido por uma atendente de uma loja no Estado da Geórgia, nos Estados Unidos, garantiu a uma mulher desempregada um prêmio de US$ 25 milhões (cerca de R$ 46,7 milhões) da loteria local. De acordo com publicação do portal Terra, Kathy Scruggs, de 44 anos, havia pedido à atendente um bilhete de um dos jogos da loteria local, chamado Mega Millions, mas recebeu por engano um do jogo Powerball.

Ela decidiu então levar os dois bilhetes e teve a grata surpresa ao checar os resultados do Powerball na noite seguinte ao sorteio. Segundo ela, os gritos acordaram a casa inteira. "Estávamos gritando e berrando. Todos vieram correndo. Eu não podia acreditar", disse.

Scruggs contou que procurava emprego, após ter feito alguns trabalhos temporários recentemente. Com o dinheiro que ganhou, a mulher diz que pretende agora comprar um carro, uma casa para a mãe e para a avó e viajar, além de ajudar outros familiares e amigos.

SUPER NOTÍCIA. Milionária com o bilhete errado. Super Notícia, 05 de outubro de 2011. Disponível em http://www.otempo.com.br/supernoticia/acervo/?IdEdicao=1531&IdNoticia=62871. Acesso em 05 de outubro de 2011.

Coisas boas também acontecem

Kathy Scruggs teve muita sorte, isso é certo. Mas a lição que pretendemos destacar aqui é que coisas boas também acontecem.

Quase todas as pessoas do mundo têm a visão de um mundo preto, ou naturalmente preto ou que já foi de outra cor e foi como marcado de forma indelével por fumaça de carvão. Geralmente, tais pessimistas são religiosos, e para estes a esperança é fazerem o que puderem neste mundo irremediavelmente perdido (no duplo sentido) para alcançar uma vida de delícias em outro mundo. Os ativistas, como socialistas, também costumam ter o seu mundo preto, embora com uma possibilidade que nunca se concretiza de deixar de sê-lo. Mas para os dois grupos, dizer que o mundo não é preto é dizer que ele é cor de rosa.

Na periferia brasileira (na estadunidense não deve ser diferente), podemos encontrar pessoas "valentes". Vejamos essas pessoas falando com amigos: venceram brigas, levaram alguém à polícia, tomaram uma medida enérgica com o cônjuge ou o filho. Como pessoas tão fortes e bem resolvidas têm uma vida com tantos problemas? É como se uma pessoa que é conhecido que só anda armada fosse abordada por ladrões toda semana.

A explicação: tais pessoas são especialistas em fracasso, não em sucesso.

A vida de muitas pessoas "experientes", "fortes", "bem resolvidas", se resume a tornar as próprias vidas o menos pior do que já é que puderem. Algumas destas pessoas já foram ativistas, já creram em um mundo melhor possível, mas descobriram como é o "mundo de verdade" e hoje são reles vacas-de-presépio que "dançam conforme a música" pra preservar o emprego. Veja se já ouviu algo assim:

  • Trabalho neste emprego há 5 anos e nunca tive problemas com a chefia.
  • Eu vou fazer isso pra minha mulher não me amolar.
  • Eu moro neste endereço há 5 anos e nunca tive problemas com os meus vizinhos.
  • Eu vou trabalho deste jeito há 10 anos e nunca tive problemas.
  • Eu faço desse jeito pra não perder o emprego.

Vejamos que para tais pessoas até o sucesso é o contrário do fracasso. Este erro existe até mesmo entre palestrantes de motivação ou de carreira profissional. Estes palestrantes podem, por exemplo, não mencionar uma única pessoa que conseguiu um emprego ou uma promoção por isso ou aquilo, mas várias pessoas que deixaram de conseguir um emprego ou uma promoção por falta disso ou daquilo. Para alguns que sonham ganhar na loteria ou conseguir um trabalho com um bom salário, isso não vai trazer dinheiro, mas falta de falta de dinheiro. Um exemplo notório é o de pessoas de décadas passadas, especialmente mulheres, que se casavam para deixar de ser solteiras.

Observemos que tais pessoas estão preparadas para o infortúnio de tal forma que não conseguem receber bem uma coisa boa. Uma pessoa alegre não as contagia. Uma pessoa amável pode ser desprezada. Um belo canteiro no trajeto do trabalho pode não ser notado. Até um dinheiro a mais pode lhes passar quase despercebido.

Conseguir o sucesso é escapar do fracasso. A recíproca não é verdadeira.

O único lugar intrinsecamente ruim é o Inferno. É certo que o nosso mundo pode ser melhor para nós, principalmente quanto aos problemas causados pelo próprio homem: ainda há muito o que lutar contra o egoísmo, a tolice, a hipocrisia, o puritanismo, a má distribuição da produção humana, o ódio dos castos infelizes ao prazer alheio dentro e fora da área sexual, a corrupção, a incompetência onde a competência é mais necessária. Mas o nosso mundo físico também tem flores, chocolate, piadas com graça, amizade, mulher bonita para os homens, homem bonito para as mulheres e muitas outras coisas. Os que têm uma imagem mental de algo bom a alcançar podem não consegui-lo, ainda assim viverão melhor do que os que têm uma imagem mental de algo mau a evitar. Estes irão quase fatalmente passar a vida evitando alguma coisa. Às vezes, parte da própria vida.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook