sábado, 3 de agosto de 2013

AvaazProInferno persegue Rachel Sheherazade fazendo distorção das suas palavras (e ela ainda não entendeu o perigo)

O que foi dito de verdade: "Gente como Bicho!", texto de Rachel Sheherazade

Enquanto nos zoológicos a preocupação é manter os pinguins quentinhos, lá fora, no mundo cão, gente como a gente está morrendo de frio nas ruas.

No Rio Grande do Sul, foram cinco. Em São Paulo, três mortos.

Infelizmente, essa gente não teve a mesma sorte dos bichos. Sem agasalho, sem teto, abandonados à própria sorte, eles são tratados como cães.

Aliás, bem pior que eles! Hoje, cachorro tem suéter (e de grife), gato tem terapeuta, e até hamster ganha aquecedor na gaiola.

Me perdoem os mais sensíveis, mas eu não entendo essa moda de tratar bicho como gente e gente como bicho! Pois se sobra zelo pelo animal, por que falta humanidade para o homem?

assista ao comentário em: http://www.sbt.com.br/sbtvideos/media/af8397ad488ce8f90adc7132c7e2d0bd/Veja-o-comentario-de-Rachel-Sheherazade-desta-sexta-feira.html

http://rachelsheherazade.blogspot.com.br/2013/07/gente-como-bicho.html

A petição da AvaazProInferno: Declaração da jornalista Raquel Sherazade contra os direitos dos animais

Nós, abaixo assinados, exigimos que o Sistema Brasileiro de Televisão - Rede SBT, e sua jornalista, Raquel Sherazade, levem ao ar, em horário nobre, uma retratação pública sobre as declarações contra os direitos dos animais. Tais declarações insinuam que cuidar dos animais é um gesto contrário ao amparo devido aos humanos negligenciados, o que é um equívoco. Estudos científicos mostram que é exatamente o contrário.

Por que isto é importante

Esta petição tem finalidade de que a Rede de Televisão SBT publique imediatamente, em seu horário nobre, uma retratação, pelas declarações da jornalista Raquel Sherazade contra os Direitos dos Animais. É importante porque a sociedade civil não pode ser induzida ao cometimento de atos desumanos e cruéis contra nenhuma forma de vida. Além disso, os animais são protegidos por lei e estão sob a tutela do Estado. A retratação é importante, pois a televisão tem a obrigação de civilizar, instruir e incentivar o cumprimento das leis. Sobre o descaso das autoridades e da população em relação aos humanos excluídos, este é um outro problema social. Estudos demonstram que as pessoas insensíveis à dor alheia, assim o são, sem distinção de espécie. Trata-se de uma psicopatia que não se deve fomentar em rede nacional. Em qualquer país desenvolvido onde a fome e a miséria foram praticamente abolidas da sociedade, também as leis de proteção e o comportamento humano no trato aos animais é exemplar. Uma coisa está diretamente relacionada à outra e é uma questão de civilidade. O comentário da repórter, além de preconceituoso e demagogo, é espantosamente insensível à dignidade humana, que sofre com a dor alheia. Ela atacou diretamente pessoas de bem, e de bom coração, que são as últimas a serem responsáveis pelas misérias humanas no mundo. As pessoas que tratam dos animais exercem, inclusive, uma atividade de interesse público, pois as que não os tratam, são responsáveis pelo descontrole populacional desses animais, o que é causado também, pela irresponsabilidade das autoridades e de parcela da população, resultando na super população de cães doentes e abandonados nas ruas, o que por sua vez, resulta numa questão de saúde pública e o Brasil está muito atrasado no controle de zoonoses, o que por sua vez, afeta diretamente o meio ambiente e a saúde pública humana! Portanto, tais declarações vindas de uma pessoa que deveria estar bem informada sobre as questões políticas, ambientais e sociais que envolvem o tema, já que em outros assuntos, demonstrou brilhantismo, somente nos leva a constatar (e lamentar) o quão longe estamos de uma sociedade civilizada. Não bastasse tudo isso, ela chegou a condenar os cuidados obrigatórios por lei que os animais recebem no zoológico! E, para finalizar, não se poderia deixar de asseverar que os animais, cujos cuidados a repórter insinua estar em linha de confronto com o zelo pelos homens excluídos, não raramente, são os únicos amigos com que contam esses mesmos humanos... E graças à amizade de um animal, esses humanos, têm resgatados sua própria dignidade humana, pois ao tutelarem seus bichinhos de estimação, adquiridos por afeição pelas ruas, eles se sentem mais humanos, justamente por estarem responsáveis pelos cuidados de outra vida e por serem amados por isso! Pode-se dizer que a repórter ultrapassou, senão os limites legais, os limites do bom senso, no exercício da liberdade de expressão. Sim, porque tudo, tudo mesmo, tem limite. Para Raquel Sherazade, e sua emissora, SBT, uma retração é o mínimo para amenizar os ânimos, além de ser uma demonstração de nobreza de espírito.

Postado julho 28, 2013

http://www.avaaz.org/po/petition/DECLARACAO_DA_JORNALISTA_RAQUEL_SHERAZADE_CONTRA_OS_DIREITOS_DOS_ANIMAIS

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / A Vez dos Homens que Prestam

O comentário foi publicado no dia 26 de julho. A petição é do dia 28. E a Rachel Shererazade ainda não entendeu nada! Olha só esta postagem dela de hoje (2 de agosto de 2013):

Crime e Castigo

Se a palavra tem poder, na web ela ganha eco. Por sites, blogs, redes, o bem e o mal se espalham como rastilho de pólvora, e as consequências são imprevisíveis tanto para alvo quanto para o autor.

Portanto, cuidado com o que diz. Seu discurso de mentiras, ódio ou preconceito pode ser uma arma apontada contra sua própria cabeça.

É que, ao contrário do que muitos julgam, a internet não é uma "terra sem lei".

Mesmo no mundo virtual, crimes como a pedofilia, o racismo, a calúnia, injúria, difamação... podem ser julgados, e os responsáveis condenados na vida real.

Quem não se lembra da estudante paulista que postou mensagens de ódio aos nordestinos e acabou condenada à prisão?

Não dá para publicar tudo que se quer, sem responder pelo que se pensa.

Crime virtual também tem castigo! E às vezes, ele vem a galope!

Assista ao comentário em:

http://www.sbt.com.br/sbtvideos/media/69b62f1f48d2be54comenta-sobre-o-poder-das-pb983f8b01f514506/Rachel-Sherazade-alavras-na-internet.html

http://rachelsheherazade.blogspot.com/2013/08/crime-e-castigo.html

Nem parece aquela mulher corajosa que muitos a consideram. "Seu discurso de mentiras, ódio ou preconceito pode ser uma arma apontada contra sua própria cabeça". Ela já se esqueceu do caso do delegado Pinho? Pedofilia e racismo na internet? Se você é um(a) imbecil com ideias imbecis e lê o que não tem como responder, é só dizer que o outro é racista, pedófilo, homofóbico, misógino ou defensor do estupro. Pedofilia na internet é isso e meia dúzia de doentes. E a tal estudante paulista? Se ela fosse filha de um fazendeiro do Piauí você ia se lembrar do estado dela, fofa? Quem descobriu a moça? E que rede foi essa que espalhou as tais frases pelo país inteiro? Ela tinha um blogue de ódio pelo menos ou era só aqueles dois tuítes?

E essa turma que faz petição no AVAAZ e ela fica (ao contrário daquela para proibir a Marcha das Vadias por CRIMES cometidos pela manifestação, por exemplo) é a mesma que diz que menor infrator é vítima de exclusão social. É a mesma que não comenta nada sobre um poema de ódio de negros a brancos, pregando inclusive canibalismo e estupro. É a mesma turma que assedia o pastor e deputado Marco Feliciano e deixa quietos os condenados pelo caso Mensalão que estão na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. É a mesma turma que não diz nada sobre feministas que pregavam o ódio e o extermínio de homens desde a década de 60, mas aparece do nada se você falar de alienação parental de vagabunda que vive de pensão alimentícia no seu perfil do Facebook. "Não dá para publicar tudo que se quer, sem responder pelo que se pensa". Você ainda não entendeu onde estamos, meu bem?

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook