quinta-feira, 7 de novembro de 2013

O Puritano-Feminismo episódio 5: Partido Socialista francês quer combater a prostituição

Prostitutas protestam em Paris contra multas a seus clientes

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 26/10/2013 15:07

Trezentas prostitutas, muitas delas com máscaras brancas ou vermelhas, protestaram este sábado em Paris contra um projeto de lei que multa seus clientes apresentado pelo governista Partido Socialista (PS), constatou a AFP.

As manifestantes levavam cartazes com os dizeres "clientes penalizados = putas assassinadas" e repetiam "Somos putas, somos orgulhosas".

"Esta lei vai marginalizar certas pessoas, os 'trans', gente que optou por este trabalho e que não é vítima do tráfico de pessoas, mas que será vítima desta futura lei", declarou à AFP Giovanna Rionco, do sindicato de transsexuais Acceptess.

O texto defendido pelo PS prevê multa de 1.500 euros para os clientes de prostitutas, que dobraria para os reincidentes.

Segundo manifesto assinado por uma centena de associações, entre as quais está a Médicos do Mundo, sancionar seus clientes "acentuará a precariedade" das prostitutas.

Estado de Minas, 26/10/13, http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2013/10/26/interna_internacional,464086/prostitutas-protestam-em-paris-contra-multas-a-seus-clientes.shtml

Prostitutas protestam em Paris contra lei que penaliza clientes

Prostitutas parisienses querem que sua atividade seja reconhecida como uma profissão.
Prostitutas parisienses querem que sua atividade seja reconhecida como uma profissão. Reuters

RFI

Uma centena de pessoas, entre elas vários trabalhadores do sexo, manifestaram nas ruas de Paris neste sábado, 17 de dezembro, contra a projeto de lei que visa penalizar os clientes. O texto prevê penas de dois anos de prisão e multas de quase 4 mil euros.

A manifestação, organizada pelo Sindicato do Trabalho do Sexo, começou na praça Pigalle, antiga zona de prostituição da capital francesa. Segundo Cloé Navarro, representante da entidade, se os clientes forem penalizados, “as meninas vão ter trabalhar escondidas em lugares mais isolados e estão mais expostas ao perigo, pois deverão se submeter a práticas que elas não aceitam atualmente”. As associações de luta contra a Aids, que participaram da passeata, também alertam para o risco de uma queda na prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis devido à marginalização da atividade.

O projeto de lei, apresentando na Assembléia Nacional no início do mês, pretende proteger os trabalhadores do sexo. O texto impõe penas de prisão de até dois meses e multas de 3.750 euros (cerca de 9 mil reais) aos clientes pegos em flagrante.

“Eles dizem que querem nos proteger, mas na verdade eles estão tirando o nosso sustento”, reivindicava uma das prostitutas durante o passeata. Os manifestantes também pedem o reconhecimento da atividade como uma profissão. O texto, inspirado na legislação sueca, ainda não faz parta da ordem do dia da assembleia, e não deve ser discutido antes de meados de 2012.

RFI, 17/12/11, http://www.portugues.rfi.fr/franca/20111217-prostitutas-protestam-em-paris-contra-lei-que-penaliza-clientes

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / Jornal dos Homens que Prestam

Bonito, hein, socialistas! Os cristãos tradicionalistas já fizeram a sua caça às putas pior que a caça às bruxas, mas essa consegue ser pior. E a liberdade sexual? E as "meninas"? Cadê as feministas?

Viva a putaria!

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook