sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Mulher não é só para cozinha e cama (pra isso tem que melhorar muito)

Suspeita de matar filho de 1 ano e 7 meses espancado é apresentada

Garotinho chegou sem vida ao Hospital Risoleta Neves no último domingo (5); mãe de 20 anos foi presa pela Polícia Civil

AJL_7359.jpg

O velorio e sepultamento do menino Nathan Henrique Amâncio Oliveira aconteceu em Santa Luzia, na regiao metropolitana da capital. A mae e suspeita de espancar o filho ate a morte. Foto: Alex de Jesus/ O Tempo 07/01/2014

Publicado em 07/01/14 - 18h21

Jhonny Cazetta

Fria e seca. É assim que a polícia descreve a personalidade de Dayse Amâncio dos Reis, 20, que é suspeita de ter espancado o seu próprio filho até a morte na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Nathan Henrique Amâncio Oliveira, de 1 ano e 7 meses, já chegou sem vida ao Hospital Risoleta Neves, na mesma região, no último domingo (5). Após exames no Instituto Médico Legal (IML), foi confirmado que ele foi vítima de agressão. O garotinho teve hemorragias internas que afetaram o fígado, os rins e o cólon.

A suspeita foi apresentada à imprensa na tarde desta terça-feira (7). "Foi um crime de ambiente doméstico, que os indícios apontam que realmente foi a própria mãe dessa criança quem a assassinou. Ela nega a agressão, mas entrou em diversas contradições em seu depoimento", disse o delegado Alexandre Oliveira Fonseca, responsável pelas investigações.

Primeiro Dayse disse que a criança se engasgou. Depois, a mulher supôs que Nathan poderia ter se machucado durante a tentativa de reanimação dela. "Apesar dessas falas, o atual companheiro dela, que foi quem resgatou o menino, acabou comentando algo curioso. Segundo ele, quando estava no banho, ouviu barulhos estranhos. Quando ele chegou no quarto da criança, a viu com uma respiração fraca, muito abatida e a levou para o hospital", contou o delegado. O companheiro de Dayse também está sendo investigado.

A polícia ainda não sabe precisar qual foi a agressão sofrida, mas acredita-se que foram pancadas fortes na região da barriga. O suposto motivo do crime pode estar relacionado com a pensão da criança. "Segundo esse companheiro dela, desde que os dois começaram a se relacionar, o pai do menino parou de dar a pensão. Então acreditamos que a mãe, que provavelmente estava sob uso de drogas, quis se vingar do pai batendo na criança", acrescentou o delegado.

Velório

O clima era de revolta entre os familiares do pequeno Nathan durante o velório da criança, na manhã de ontem, no cemitério Belo Vale, em Santa Luzia, na região metropolitana. A hostilidade contra o crime era compartilhada tanto pela família do pai quanto pela da mãe do menino.

"Fico até sem palavras para dizer sobre o que eu sinto. Matar uma criança, e ainda por cima o próprio filho, não tem perdão. Isso é coisa de psicopata", disse a avó paterna do menino, que pediu para não ser identificada. A própria família da criança, é quem procurou o Super Notícia para falar sobre o caso. "Algo como isso tem que ser exposto e ela tem que pagar por tudo o que fez", acrescentou a avó paterna.

O Tempo, Belo Horizonte, 07/01/14, http://www.otempo.com.br/cidades/suspeita-de-matar-filho-de-1-ano-e-7-meses-espancado-%C3%A9-apresentada-1.769878. Publicado no jornal Super Notícia de 08/01.

Caso real do que diz a Real

Aí, na cama, a garota pede um tapa na cara... daí o cara dá o tapa. "Mais forte!" ela pede, e ele faz. Depois os dois dormem, satisfeitos...

No outro dia, o cara é preso por agressão e estupro. Digitais no rosto dela... semen no canal vaginal...

E como todo bom processo no Brasil demora anos pra ser julgado, o cara é estuprado e morto na prisão.

E por que tudo isso? Porque ele aceitou a ex no Facebook, e a atual não gostou e decidiu se vingar...

Maria da Penha 1, Justiça 0.

(Compartilhado no Animachista Reborn)

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / A Vez dos Homens que Prestam

Amigos, já viram como está virando moda mulher dizendo que não cozinha, que não gosta de serviço doméstico, que detesta criança? E a mesma mulher compartilha no Facebook que o homem da vida dela é o que não deixa vir o próximo. Ah, e ela também compartilha aquele texto que diz que as gordas lésbicas horrorosas (baleias) são melhores e mais felizes que as mulheres atraentes (sereias). Se um homem acredita que mulher existe para sexo e serviços domésticos e não merece nem fazer curso técnico por ser mulher, a mulher feminista está no direito dela de achar ruim e esculachar o cara. Mas como essa mulher pode oferecer menos e exigir o mesmo homem da década de 60? Se o homem for companheiro, alegre, romântico, surpreendente, bonito, corpo torneado, com status, rico, administrador, advogado, bombeiro hidráulico, mecânico de automóveis, o que a mulher moderna vai oferecer pra ele? Um não-faz-mais-que-a-obrigação? É isso que é lutar contra o patriarcado? Daqui a pouco você vai ouvir uma mulher dizer que detesta cozinhar, detesta arrumar casa, detesta criança e detesta pica.

Houve um tempo em que os homens só valorizavam as mulheres para cuidar da casa e para sexo. A mulher moderna tem o direito de não gostar de cozinhar e também chega cansada do trabalho.

Houve um tempo em que o padrão machista de beleza era mulher menos magra. A mulher moderna é negra de cabelo amarelo crepúsculo alisado, gorda, voz de macaco, educação de ladrão de bolsa e cara de c*.

Houve um tempo em que a mulher era exposta com um corpo bonito seminu e uma pose provocante para satisfazer a volúpia machista. A mulher moderna é linda e sensual com uma cara antipática, é boazuda e simpática mas diz que o marido é ciumento ou gosta de sair pra rua seminua mas é feia pacas e fica parecendo um travesti.

Houve um tempo em que um homem queria ter filhos e o machismo impunha para a mulher desejar a maternidade. Hoje, o filho não fez 10 anos e o homem está pagando pensão para a mãe do moleque enquanto sustenta a família atual.

Houve um tempo em que a mulher tinha que educar os filhos nos padrões machistas. A mulher moderna pode ou quer poder deixar o filho na creche ou na escola, mal confere o boletim da escola enquanto o filho aprende lesbocomunismo e ainda é quase analfabeto, enfrenta o delegado quando o filho é apreendido por tráfico de drogas e proíbe o filho homem de ver mulher de biquíni ou conversar com o vizinho enquanto a filha já perdeu a virgindade com o traficante da porta da escola.

Houve um tempo em que a mulher que tinha filhos não podia fazer curso universitário, não podia trabalhar fora de casa, não podia sair de casa, não podia ser comida fora de casa. A mulher moderna que é mãe pode viajar, estudar, passear e fazer gangbang bêbada no baile funk enquanto o filho fica com a avó ou a tia solteira.

Houve um tempo em que uma mulher muito fácil era tentação de Satanás. Hoje, uma mulher "facilitando" pode estar querendo roubar, subir na vida, fazer uma denúncia de estupro ou faturar uma pensão alimentícia. Eu já tive amigo que só porque eu falava de putaria e chamava ele pra me visitar em casa, eu tive que ir atrás dele pra explicar que não tinha artimanha por trás.

Houve um tempo em que sexo seguro era o casamento. Hoje, sexo seguro é a prostituição ou pegar uma baladeira em outra cidade uma noite na vida dando o telefone errado.

O engraçado é que quando a mulher consegue trocar um pneu de carro ou consertar um telhado, ela é forte e poderosa, mas quando uma mulher faz o jantar para o marido que vai chegar do trabalho às nove da noite, ela está sendo inferiorizada.

Eu já disse e reforço que sou contra a religião, contra o casamento tradicional, contra a castidade e contra a família. Mas eu não sou aquela fornicária compulsiva que muita gente pensa, eu também gosto de cozinhar. Os meus amigos homens do mundo real (não são os da Real) me visitam em casa de vez em quando, eu sempre tenho uma coisinha para eles. Ou eu vou visitar um amigo homem e às vezes faço uma coisinha na casa dele. Bolo de milho com queijo, arroz de carreteiro, rosquinha de polvilho doce, bolo de carne. O prazer que eles têm de comer a minha rosquinha é o prazer que eu tenho de dar. Ah, e eu também gosto de fazer piadinhas de duplo sentido.

Abigail Pereira Aranha

Texto original em português sem fotos e vídeos de putaria, no A Vez das Mulheres de Verdade: Mulher não é só para cozinha e cama (pra isso tem que melhorar muito), http://avezdasmulheres.livejournal.com/14781.html
Texto original em português com fotos e vídeos de putaria, no A Vez dos Homens que Prestam: Mulher não é só para cozinha e cama (pra isso tem que melhorar muito), http://avezdoshomens.blogspot.com/2014/01/mulher-nao-e-so-para-cozinha-e-cama-pra.html

Seção de sexo, safadeza, putaria, mulher pelada, pornografia

Sex, lust, debauchery, naked woman, pornography section

Sección de sexo, perrez, putaría, mujer desnuda, pornografía

Sezione de sesso, libertinaggio, lussuria, donna nuda, pornografia

Compilation of teen anal fucking

(Compilação de foda anal de menina adolescente / Compilazione di cazzo anale di ragazza adolescente / Compilación de cogida anal de niña adolescente)

Para os amigos lusófonos não-brasileiros que não sabem o que pode ser "comer rosquinha" no Brasil, aqui vai a ilustração. Em mp4, para telemóvel.

Per i amici di lingua portoghese non brasiliani che non sanno ciò che può essere "mangia ciambella" in Brasile, ecco l'illustrazione. Mp4, per cellulari.

For non-Brazilian Portuguese speaking friends who do not know what can be "eat donut" in Brazil, here's the illustration. Mp4, for mobile.

Para los amigos de habla portuguesa no brasileños que no saben lo que se puede "comer donuts" en Brasil, aquí está la ilustración. Mp4, para móviles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook