terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Castidade é ódio aos homens - parte 4

Abigail Pereira Aranha

Nota 01

Apresentar o trabalho sexual como degradante só faz sentido quando se entende que satisfazer a heterossexualidade do homem mediano honesto é degradante. Atacar a prostituição, a pornografia ou a sensualidade dizendo que ela é para satisfazer os homens só faz sentido quando se entende que agradar os homens medianos honestos é degradante.

Astaroth Realista Resumindo: aos homens de destaque, tudo; aos medianos, regulações.

Diogo Aires Atacar a sensualidade também pode ser vindo de gente que não se encaixa nos padrões estéticos ou se recusa a mudar pra eles. Colocar a culpa numa estética sem ao menos ter ido em busca dessa. Aceitar o conformismo.

Abigail Pereira Aranha O comentário do parceiro +Astaroth Realista me lembrou uma coisa que eu ia escrever e me esqueci. O comentário do amigo +Diogo Aires foi muito bom, mas ainda cabem dois complementos.

1) Essas mulheres ainda podem criar uma escala invertida onde elas estão em uma posição superior. Isso não acontece só no feminismo mais esdrúxulo.

2) Exatamente pelo desprezo social à heterossexualidade masculina, a mulher fisicamente medíocre pode ser valorizada em relação à mulher mais vistosa inclusive no meio cristão conservador. Um exemplo de mulher feia na Bíblia: Lia (Gn 29:17). Um exemplo de mulher bonita: Bate-Seba (2Sm 11:2, 3). Está certo que Raquel, a irmã de Lia, também era bonita. Mas quando a beleza de uma mulher é destacada na Bíblia, ou isso é para destacá-la também como serva de Deus, ou essa beleza é mostrada como pedra de tropeço.

(https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/2n6aBwAdYz1)

Nota 02

Até a Bíblia mostra que o sexo sempre esteve disponível para os homens com status. Se eles têm disponibilidade de artes erótico-pornográficas, prostitutas e concubinas enquanto a sexualidade dos homens em geral ou o próprio contato deles com uma mulher mediana são muito restritos, o prazer sexual para um homem é também uma questão de privilégio. Ou melhor, a heterossexualidade era desprezível em todos os homens, mas o destaque social, que antes era conseguido pela guerra e depois pôde ser conseguido por negócios, era uma espécie de licença para um homem cometer a heterossexualidade como podia cometer assassinato, idolatria ou desvio de dinheiro público.

Por que a pornografia comercial, como conhecemos, começou e se concentrou nos Estados Unidos e em alguns países da Europa desenvolvida, e isso há uns 50 anos? Não foi só pelo desenvolvimento tecnológico desses lugares, mesmo que esse desenvolvimento fosse essencial para a indústria pornográfica existir. A pornografia comercial começou e se desenvolveu nesses lugares, especialmente nos Estados Unidos, pelos mesmos motivos que qualquer negócio que deu certo: gente que tem algo para vender encontrando muita gente que quer e pode comprar. Não era exatamente pelo capitalismo liberal, era por um nível aceitável de qualidade de vida mesmo para os pobres. Como a heterossexualidade masculina era desprezada, a pornografia era tratada como coisa de moleques, censurada ou até proibida por lei. Ah, e a censura ao sexo mais o desprezo cotidiano ao homem hétero típico criaram mais desejo pela pornografia, que no começo foi inclusive um aspecto de rebeldia sociopolítica para alguns militantes de esquerda. Mas a pornografia sobreviveu não apenas porque sempre tivemos milhares de garotos héteros nascendo cada dia, também porque o lucro valia a pena.

Diogo Aires E o que acontece com algo reprimido: se torna underground e as pessoas tem "vergonha" de admitir que gostam e praticam. Mesmo que não houvesse pornografia em si, havia a sensualidade e erotismo em outros gêneros como o terror. Um exemplo é o "Slasher Halloween", no qual Jamie Lee Curtis aparece seminua.

Abigail Pereira Aranha +Diogo Aires, gatinho, você está pensando como alguém que já pegou esse cenário pronto. Você ainda não entendeu e eu vou te dar algumas perguntas para pensar ou pesquisar. Por que a pornografia comercial foi começar nos anos 1960, 1970 nos Estados Unidos e não no Brasil? Por que não foi nos Estados Unidos na década de 1930? Por que não foi na Índia, ou na Arábia Saudita, ou na Venezuela? Você já viu o que era considerado pornografia no fim do século XIX, início do século XX?

Abigail Pereira Aranha (...) Os homens de alto escalão simplesmente escapam da repressão geral pela posição em que eles estão. E está certo que um grupo que transgride regras que são impostas à população geral também demonstra poder. Nós não temos exatamente um sistema político antissexual. O que nós temos é uma cultura antissexual, que foi ainda pior antes do Capitalismo. E nenhum homem se beneficia disso, a não ser alguns poucos que ganham dinheiro com redes criminosas de prostituição, por exemplo. Quem mais ganha com a repressão sexual masculina e quem mais atrapalha pessoalmente a vida sexual dos homens é a mulher típica ou a mulher ainda abaixo da mediocridade. Mulheres sexualmente liberais ou que são apenas profissionais do sexo para pagar as contas não ganham muita hostilidade de homens ricos ou de políticos homens, o perigo, inclusive para a integridade física, vem quase todo de outras mulheres, em especial mulheres casadas. Os homens que agem em favor da repressão sexual são os que chamamos de manginas, que por definição pensam com cabeça de mulher.

Esse é o grande problema. A coisa toda não é obra de u'a máfia, de um partido político, ou mesmo de uma religião. Não há um grupo de pessoas ou mesmo um sistema político que se ele for deposto, a coisa toda acaba. Isso é um aspecto da cultura ginocêntrica. É como um vírus de computador, aí a criminalização da prostituição, por exemplo, é só a máquina infectada fazendo besteira.

Abigail Pereira Aranha Explicando melhor aos amigos: por que o cinema dos países árabes não usa o erotismo que foi citado aqui? Se a Mia Khalifa não tivesse saído do Líbano ou a Sunny Leone da Índia, elas teriam sido atrizes pornôs? Que viabilidade a pornografia como nós conhecemos teria no Oriente Médio? Os homens medianos do Oriente Médio são menos reprimidos que os daqui?

(https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/SUGLRx9vZCW)

Nota 03

Eu estava justamente escrevendo este texto quando ouço no rádio a música "Private Dancer", da Tina Turner, que representa uma narrativa em primeira pessoa de uma stripper sobre ela mesma e seu trabalho. A música me lembrou mais uma coisa que eu me esqueci de dizer: a heterossexualidade dos homens é tão desprezada, e não só a dos homens medianos, que satisfazê-la é visto como lixo, como regra geral, entre as próprias mulheres profissionais do sexo.

Questo testo in italiano senza film di dissolutezza in Men of Worth Newspaper: "La castità è odio contro gli uomini - parte 4", http://avezdoshomens2.over-blog.com/2017/02/la-castita-e-odio-contro-gli-uomini-parte-4.html.
Questo testo in italiano con film di dissolutezza in Periódico de Los Hombres de Valía: "La castità è odio contro gli uomini - parte 4", https://avezdoshomens2.blogspot.com/2017/02/la-castita-e-odio-contro-gli-uomini.html.
Ce texte en français sans films de libertinage au Men of Worth Newspaper: "Chasteté est haine contre les hommes - partie 4", http://avezdoshomens2.over-blog.com/2017/02/chastete-est-haine-contre-les-hommes-partie-4.html.
Ce texte en français avec films de libertinage au Periódico de Los Hombres de Valía: "Chasteté est haine contre les hommes - partie 4", https://avezdoshomens2.blogspot.com/2017/02/chastete-est-haine-contre-les-hommes.html.
Eso texto en español sin películas de putaría en Men of Worth Newspaper: "La castidad es odio contra los hombres - parte 4", http://avezdoshomens2.over-blog.com/2017/02/la-castidad-es-odio-contra-los-hombres-parte-4.html.
Eso texto en español con películas de putaría en Periódico de Los Hombres de Valía: "La castidad es odio contra los hombres - parte 4", https://avezdoshomens2.blogspot.com/2017/02/la-castidad-es-odio-contra-los-hombres.html.
This text in English without licentiousness movies at Men of Worth Newspaper: "Chastity is hatred against men - part 4", http://avezdoshomens2.over-blog.com/2017/02/chastity-is-hatred-against-men-part-4.html.
This text in English with licentiousness movies at Periódico de Los Hombres de Valía: "Chastity is hatred against men - part 4", https://avezdoshomens2.blogspot.com/2017/02/chastity-is-hatred-against-men-part-4.html.
Texto original em português sem filmes de putaria no A Vez das Mulheres de Verdade: "Castidade é ódio aos homens - parte 4", http://avezdasmulheres.over-blog.com/2017/02/castidade-e-odio-aos-homens-parte-4.html.
Texto original em português com filmes de putaria no A Vez dos Homens que Prestam: "Castidade é ódio aos homens - parte 4", https://avezdoshomens.blogspot.com/2017/02/castidade-e-odio-aos-homens-parte-4.html.
Seção de sexo, safadeza, putaria, mulher pelada, pornografia
Section of sex, lust, licentiousness, naked woman, pornography
Section de sexe, luxure, débauche, femmes nues, pornographie
Sezione de sesso, libertinaggio, lussuria, donna nuda, pornografia
Sección de sexo, perrez, putaría, mujer desnuda, pornografía
Brazzers - Raven Bay gets her neighbors to cheat
Brazzers - Raven Bay faz com que seus vizinhos cometam adultério
Brazzers - Raven Bay amène ses voisins à tricher
Brazzers - Raven Bay consigue que sus vecinos cometan adulterio
Brazzers - Raven Bay fa i suoi vicini di casa a commettere adulterio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook