segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Lições das mães esquerdistas

Abigail Pereira Aranha

Credito da Imagem - http://minutoprodutivo.com/wp-content/uploads/2016/09/blog-660-1024x7681.jpg

A foto que circula na internet de mulheres petralhas[1] levando filhos pequenos na algazarra contra o presidente Michel Temer (na verdade, contra a derrubada legal de Dilma Rousseff) chamou a atenção dos liberais-conservadores pela ideia do grupo, como se conta, de colocar as crianças como escudo contra a polícia[2]. A mesma foto chamou a minha atenção por uma coisa mais ampla: este é o ponto de chegada de uma geração inteira criada na exaltação da estupidez e na apologia da mediocridade. Não me refiro àquelas moças em particular, nem mesmo à militância esquerdista inteira. Eu me refiro a praticamente todo o país.

Nos últimos 15 anos, ser uma pessoa honesta virou coisa de otário, especialmente para os homens heterossexuais de bom caráter. Pessoas de bom caráter que mais perdem do que ganham, nós tivemos desde o começo dos tempos. O problema é que a patifaria virou padrão declarado na vida social até na legislação. O Código de Processo Penal diz que "a prova da alegação incumbirá a quem a fizer" (art. 156)[3], mas uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça diz que quando a acusação é de estupro, a palavra da acusadora vale como prova. Portanto, seja uma mulher desprezível e você vai ganhar os direitos normais mais o direito de calúnia contra o homem que quiser; seja um homem honrado e você vai perder a presunção de inocência porque qualquer calúnia é prova de si mesma. Para fazer o vestibular e entrar na universidade, o candidato honesto depende do próprio desempenho, o candidato dentro do sistema de cotas só precisa estar acima da mediocridade dos outros cotistas. Aqui eu vou ficar só no favorecimento textual do medíocre contra o habilitado e do mau caráter contra o honesto, disfarçado de justiça social. Se a letra fria piorou, ainda mais a prática.

Mas a exaltação da pobreza de espírito faz mais do que fazer o mérito e o bom caráter quase inconcebíveis. Como o mal não é autossustentável, a pobreza de espírito como padrão social é problemática para ela mesma. Quem é a mãe que sai do estado só para insultar o Presidente da República para receber respeito do filho, e como vai cobrá-lo? Até quando um diploma cada vez mais fácil de uma universidade com legiões de semianalfabetos vai valer para se mostrar como alguma coisa?

Quando o esquerdismo começou a ser simbolizado por gente horrível, estúpida, antipática e transtornada, ele perdeu aquelas bandeiras que podiam ter valor para pessoas do povo de verdade. Como essa militância era de pessoas que querem refazer a sociedade porque detestam padrões externos, não porque odeiam injustiças reais, não só nós começamos a ver negros contra o Movimento Negro, homossexuais contra o Movimento LGBT, mulheres contra o Feminismo. Nós também já vemos membros do Movimento LGBT e do movimento feminista desejando que os homossexuais e as mulheres heterossexuais contra o movimento sejam estuprados, assim como membros do Movimento Negro desejando que os negros contra o movimento sejam vítimas de abuso policial. E isso não é para que eles deem valor à "luta", inclusive porque o discurso deles não tem base no mundo real. Só por serem questionados por aqueles que dizem que defendem e não darem ouvidos, eles se denunciam. E mais deste público deixa de levá-los a sério. E eles continuam não se importando. Ao final, se dependesse deles, eles podiam ter um movimento de representação de classes sem uma classe para defender. Em outras palavras, poder baseado no nada e que não precisa se preocupar com a opinião de ninguém. Mas isso mesmo significaria um poder que não tem razão nem para existir nem para ser respeitado, e que acabaria com um bando de canalhas imaturos se atracando.

Veja bem, ser rebelde não significa necessariamente ser indigno de respeito. Eu posso ser admirada pelos meus filhos e netos por ter sido rebelde na juventude. Mas para isso eu tenho que me rebelar contra uma coisa errada por acreditar em uma certa que é contrária. Mas gente medíocre e intratável que quer ajustar o seu ambiente à sua própria pequenez tem ainda mais ódio à grandeza do que à normalidade moral e mental. Por isso eles se manifestam contra a islamofobia no Ocidente, não contra o Islamismo no mundo muçulmano. Por isso as mulheres feministas se manifestam apelando para a nudez para atacar uma sociedade puritana, mas a defesa da putaria, da pornografia e da prostituição vem, geralmente, de mulheres que ainda se imaginam feministas "diferentes" mas são ignoradas pelas colegas. Por isso podemos ter um grupo de mulheres feministas protestando seminuas porque alguém criticou o vestuário vulgar ou ridículo de uma mulher em particular, mas as mesmas mulheres nem sabem quando uma prostituta foi assassinada ou uma atriz pornô foi vítima de estupro.

Bons tempos em que a revolta contra a sociedade tradicional tinha pessoas excepcionais em inteligência, cultura e caráter. Agora, com as honrosas exceções que vão cair fora quando virem onde se meteram, os progressistas são homens capachos, vigaristas profissionais e vadias que odeiam ser contrariadas.

NOTAS

[1] petralha adj. e s. cdd.(o/a) Pejorativo 1. Que ou pessoa que, sem nenhum escrúpulo, não vacila em cometer todo e qualquer ato marginal à lei, como usurpar, mentir, extorquir, ameaçar, chantagear, roubar, corromper, ou que defende com ardor ladrões, corruptos, usurpadores, mentirosos, cínicos, extorsionários, chantagistas, etc. que, porém posam de gente honesta e defensores intransigentes da ética: jornalista petralha; jornaleco petralha; há petralhas nesse governo? \ s.f. (a) 2. Petralhada: se há algo positivo nas agressões que a petralha vem dirigindo contra a imprensa é o fato de que, finalmente, o verdadeiro caráter desse grupo veio à tona \ adj. 3. Característico ou próprio desse tipo de pessoa; sórdido; nojento/ asqueroso; canalha; calhorda: comentário petralha; o jeito petralha de governar; a agressividade petralha. AE Este neologismo foi criado pelo jornalista Reinaldo Azevedo, que o formou de petista (em referência ao simpatizante ou membro desonesto, aloprado ou inescrupuloso do PT) + Irmãos Metralha, gêmeos bandidos atrapalhados das estórias em quadrinhos e dos desenhos animados r. petralhada (pe) s.f. (bando de petralhas; petralha(2)] (Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa)

[2] "Protestos contra Temer devem ter crianças como escudo humano", Blasting News, 05 de setembro de 2016, http://br.blastingnews.com/politica/2016/09/protestos-contra-temer-devem-ter-criancas-como-escudo-humano-001100263.html

[3] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/Del3689.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário