quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O torcedor-pregador

Abigail Pereira Aranha

Você consegue defender o sistema de ideias que você admira sem a pose de que ele é uma verdade autoevidente que só um demente pode questionar? Você consegue defender o sistema de ideias que você admira ouvindo objeções de verdade vindas de opositores? Você conseguiria esclarecer dúvidas honestas sobre o sistema de ideias que você defende se você o estivesse apresentando a alguém que não o conhece? Você consegue perceber algum fato da realidade que está fora da abrangência do sistema de ideias, isso quando ele não prevê alguma coisa contrária? Se os defensores do seu sistema de ideias favorito e os defensores de algum sistema contrário estão em conflito, você consegue perceber quando o outro lado está tendo avanços concretos e notórios? Você consegue perceber e reconhecer quando alguém do outro lado diz algo excelente? Se o sistema de ideias que você defende implica em algum modelo de sociedade, você poderia identificar motivos por que ele não foi colocado em prática ou que problemas aconteceriam se fosse? Se a resposta a todas essas perguntas é "não", você é o que eu chamo de torcedor-pregador.

Na esquerda, o torcedor-pregador é o das seções radicais ou o idiota útil no começo de militância. Na direita cristã, os torcedores-pregadores são quase todos. O torcedor-pregador da esquerda ainda consegue algum resultado pelo menos para o movimento, mesmo que não seja o que ele queria, no caso do idiota útil. O torcedor-pregador da direita cristã, ou do Liberalismo-Conservadorismo, não.

Uma coisa que explica isso é que o movimento socialista foi feito para transformar o mundo, enquanto a oposição em meados do século XIX, quando o Manifesto Comunista foi publicado, só tinha como argumento, em última análise, os 15 séculos de domínio político-cultural da Igreja Católica. Até hoje, os conservadores falam com desdém que os esquerdistas querem mudar uma sociedade que existe em nome de outra que não existe (como se a própria igreja cristã não tivesse quebrado um milênio e meio de Judaísmo, segundo eles mesmos). Mas até isso coloca os esquerdistas em vantagem: para criar uma revolução com possibilidade de sucesso pelo menos teórica, é preciso ter um modelo de sociedade definido pelo menos em linhas gerais e um projeto para chegar a ele, isso levando a conhecer a sociedade atual e a projetar meios de ação dentro dela. O Conservadorismo, sem fazer uma redução muito simplória, é a ideia de conservar o modelo de sociedade e de mentalidade coletiva que já existe usando o argumento de que isso já existe há algum tempo. Portanto, não apenas qualquer analfabeto intransigente pode ser um conservador cristão, não apenas qualquer pregador acostumado a falar para analfabetos e hostilizar mulheres menos sexualmente reprimidas em cidades insignificantes do interior pode ser um porta-voz das ideias do Conservadorismo cristão. O maior dos pensadores conservadores cristãos pode ter um nível de imaginação, de conhecimentos gerais, de senso crítico e de autocrítica abaixo do menos destacado entre os militantes esquerdistas produtivos.

Mais: toda a base do Conservadorismo é a mesma da religião predominante, incluindo a aversão à inteligência, à inovação e a grandeza; então quase todo conservador é um torcedor-pregador. E mesmo quando se diz ateu, todo conservador na América ou na Europa Ocidental é cristão. O conservador quase nunca foi desafiado. A Igreja Católica Apostólica Romana é do começo do século IV e já surgiu como obra do Império Romano adaptando peças de religiões já existentes, como as deusas virgens da mitologia babilônica ou da egípcia. Nenhum historiador do Império Romano do século I ou do século II fez qualquer registro que sugira a existência de Jesus Cristo, então não existiram apóstolos perseguidos, mártires cristãos comidos por leões em arenas, etc. A Reforma Protestante e movimentos como o dos Anabatistas foram críticas internas do Cristianismo tanto como em doutrina quanto como em conduta ética, e, tiradas as invasões muçulmanas, isso foi a maior agitação que o mundo cristão conheceu até a Revolução Francesa. As inquisições católico-protestantes mataram mais cristãos, por terem algum conhecimento técnico-científico, por serem de outro ramo do próprio Cristianismo ou por rixas pessoais, do que bruxas ou ateus. Até a vitória visível do movimento socialista no mundo, a partir de meados do século XX, o Conservadorismo nunca lutou contra inimigos de verdade. Agora que têm um, os liberais-conservadores ainda não sabem o que fazer. Aliás, até hoje eles costumam tratar como excelência moral a gimnofobia obsessiva-compulsiva, a falta de qualidade de vida sexual, o tratamento do gênero oposto como se fosse leproso e a imposição disso para a vida social; e são capazes de pensar que estão salvando o mundo quando agridem a própria filha por ter uma foto nua ou um vídeo de sexo circulando na internet.

Um exemplo disso tudo aconteceu comigo semana passada. Eu encontrei esta postagem de uma senhora conservadora:


"A direita não é uma onda, é um oceano."

Direita:Não somos uma onda, somos um oceano!

Um oceano de águas cristalinas onde a Verdade, o Bem e o Belo imperam.

Estes são os 3 pilares sobre os quais a civilização ocidental foi erguida. E dela não abriremos mão em troca de uma sociedade utópica.

(Gisele Dutra, 11 de outubro de 2016, https://plus.google.com/108767136386614994010/posts/KNE9NRtiU35. Negrito no original.)

Por sinal, o negrito da postagem original é um sinal de torcedor-pregador ralé que não tem nem um blogue próprio. Também podia ser um texto inteiro em letras maiúsculas. Comentei no original:

Se a direita é um oceano, Dilma Rousseff é uma rocha no litoral: a direita gastou quase dois anos para tirá-la do segundo mandato dela e quarto seguido do PT.

A autora entendeu que eu sou dilmista. Lembrar um fato conhecido que não é agradável ao lado direito é o mesmo que ser do lado esquerdo. Mais uma torcedora-pregadora saindo do lado direito da Caixa de Pandora. Neste caso em particular, foram quase dois anos com os maiores protestos populares da história do Brasil, por causa dos maiores esquemas de corrupção da história mundial (Mensalão e Petrolão), em um governo com o pior desempenho econômico da história da República, e esse governo foi empossado em uma apuração secreta em uma eleição que perdeu, tudo isso para Dilma Rousseff receber um meio impeachment (ela recebeu impeachment sem perder os direitos políticos) quase no meio do segundo mandato. Nem os analistas liberais-conservadores se deram conta do que eu disse. Até eles são torcedores-pregadores. E esta postagem em particular foi uma imagem com uma frase na frente. A produção da militância liberal-conservadora é basicamente produzir e compartilhar em redes sociais frases de moralismo provinciano com alguma imagem bonita no fundo ou piadinhas, com imagens de fundo, do nível de bullying do Ensino Fundamental. Quase todo o resto é fazer artigos para dar boquete emocional em netos de coronéis decadentes do interior e condenados da Justiça do Trabalho.

E vamos lembrar que criticar os torcedores-pregadores da direita é o mesmo que ser torcedor-pregador da esquerda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário