segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Vamos esperar mais loucura

Abigail Pereira Aranha

Semana passada, eu traduzi a matéria do Daily Mail intitulada "Miss Porto Rico suspensa por discurso anti-Islã acusando os muçulmanos de 'aterrorizar' os EUA"[1]. A moça sofreu represálias no Ocidente por dizer a verdade sobre os muçulmanos. Aliás, a matéria conta que tudo aconteceu porque ela respondeu a uma postagem do Michael Moore de uma foto dele em frente à Trump Tower com uma placa escrita "Somos todos muçulmanos", mostrou a captura de tela com as respostas, mas não comentou uma: "@MMFlint, segure uma placa que diga 'Somos todos crentes em Cristo'". Vou fazer uma seleção breve de loucuras publicadas em jornais só no ano que passou:

  • G1 Santos, 24/02/2015: "Comerciante que reagiu a assalto e matou suspeito tem prisão revogada"[2]
  • BBC Brasil, 28/10/2015: "Faxineira confunde obra de arte com sujeira pós-festa e 'faz limpeza' em museu"[3]
  • Terra, 13/11/2015: "Brasil mata mais de 600 travestis e transexuais em seis anos"[4] (com isso, "o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo")
  • Tribuna do Ceará, 27/12/2015: "#Retrospectiva2015: 'Fiu fiu na rua não é cantada, é terrorismo sexual', defende líder feminista"[5]

O LGBT-Feminismo, o Islamismo, o esquerdismo em geral trouxeram piadas de mau gosto para a política, a imprensa, as artes e as nossas vidas cotidianas. Mas dessa vez, eu gostaria de abordar outros três problemas.

O primeiro problema: se você ainda conserva a lucidez, por que lhe parece que o mundo (em geral) não apenas perdeu a sanidade que ainda tinha, também perdeu a própria capacidade de perceber a insanidade? As matérias acima foram publicadas em portais de notícias, mas parece que os jornalistas estão assistindo a loucura como se estivessem vendo um filme. Ou melhor, é como se a inteligência fosse loucura.

O segundo problema: quem vai dizer no futuro que lutou por "tudo que está aí"? Vou explicar melhor. Se o Brasil se transformar em país muçulmano com gays jogados de alto de prédio ou enforcados em guindaste, quem vai dizer que na juventude, quando o país era cristão, vociferava contra uma homofobia de 200 ou 300 assassinatos de gays por ano, em geral por outros gays? Qual anciã vai dizer que militou na juventude para quase criminalizar o contato de homens com mulheres quando a população tiver começado a diminuir por falta de filhos?

O terceiro problema: se a integridade mental da população foi destruída, até quando ela existiu, quem a destruiu e como ela foi destruída? Aliás, como era essa integridade mental?

Se nós vemos hoje cristãos tradicionalistas e direitistas pensando que têm uma chance de ouro de ressuscitar o interior dos Estados Unidos do século XIX só porque temos uma presidente Dilma Rousseff no Brasil ou um presidente Barack Hussein Obama nos Estados Unidos, nós vemos os próprios antissocialistas sendo eles mesmos, quase sempre, pacientes da fragmentação mental coletiva. Sobre os conflitos Liberalismo versus Socialismo e Conservadorismo versus esquerdismo, eu escrevi a série "Socialismo, Capitalismo e Cristianismo juntos, por que não?"[6] e vou tentar não me repetir aqui. Aliás, os mesmos que pensam que direitos trabalhistas são um problema trazido pelo Estado não se incomodam quando o mesmo Estado proíbe a prostituição e a pornografia, determina se um programa de televisão é próprio ou não para um rapaz de 14 anos ou até pedem que este Estado instale a pena de morte.

Os milhões de proletários da segunda metade do século XIX não se deixaram mobilizar por sindicalistas para trocar um paraíso do livre mercado por uma Coreia do Norte. Na literatura comunista, como o próprio Manifesto Comunista, podemos ver as promessas, mas por que os proletários da época se interessaram por elas? Se mulheres cobertas da altura dos ombros aos tornozelos que nunca foram vistas nuas nem pelos próprios maridos eram a imagem da sanidade mental de uma sociedade, por que muitos homens cultos simpatizaram com a chamada Revolução Sexual não apenas na época, hoje também, e ainda associando a pílula anticoncepcional ao Feminismo e este à Revolução Sexual?

Aliás, falando sobre sexo, podemos ver que as mulheres feministas são capazes de dizer que os meninos são ensinados ao estupro e meninas são ensinadas a reprimir a sua sexualidade. Por outro lado, os conservadores podem dizer que o sexo é uma bênção de Deus em um casamento e concordar que o sexo era merecedor de morte fora dele na Lei de Moisés. Mas quando um vídeo (heteros)sexual é espalhado na internet e o caso é discutido em redes sociais, algumas mulheres feministas podem dizer, estando um pouco certas, que a mulher é condenada enquanto o homem não é.

Mesmo um Estado totalitário não poderia decretar a loucura. Pode ser que os próprios socialistas apenas capitalizem uma estupidez coletiva já existente em benefício próprio. Mas o próprio sucesso crescente do movimento socialista é uma prova de que o Cristianismo não durou 18 séculos até então vencendo debates com uma filosofia imbatível. A defesa da família tradicional, do casamento tradicional, da castidade, da veneração dos idosos ou da empresa privada livre de regras pode ser comida como um biscoito por qualquer militante esquerdista que consiga falar em uma assembleia. Não por acaso, o movimento esquerdista atraiu e formou legiões de intelectuais de verdade. Também não é por acaso que a direita só começou a ganhar credibilidade, quando não visibilidade, fora da burguesia puritana quando o próprio movimento esquerdista fez sandices demais.

Aliás, os esquerdistas mostram hoje loucuras, limitações de raciocínio e falácias semelhantes (na forma, não no conteúdo) às dos cristãos típicos de 20 anos atrás. E quanto há de coincidência que o universitário que é militante esquerdista e mal alfabetizado é bisneto de algumas das mulheres rudes, com pavor de sexo e com aversão à cultura do Brasil que na época era de maioria rural e analfabeta?

O futuro deve ser de ainda mais e pior insanidade. Porque os conservadores, mais dedicados a reviver nostalgias, não apenas estarão irrelevantes intelectualmente, também perderão mais espaço para a esquerda. No máximo, serão coadjuvantes da Liga Juvenil Anti-Sexo ou vão administrar empresas, talvez a própria Fazenda pública. Mas da recuperação da sanidade geral, estarão fora, deixando como limite da esquerda pouco mais que os seus próprios erros e a oposição heroica de alguns ex-militantes.

Dirá alguém que nem todos se dividem em progressistas e conservadores? Vamos lá! Esta é a pior parte. Quanta loucura é feita diretamente por profissionais medíocres só preocupados com cumprir a jornada de trabalho e estar bem com a chefia? Quantos usuários do Facebook ou do Linkedin preferem publicar fotos de reuniões familiares a escrever algo proveitoso porque imaginam que vão ser bisbilhotados por chefes, vizinhos e inimigos? Por que o Facebook está dividido, a grosso modo, entre alienados, religiosos chatos, vadias enrustidas e esquerdistas? Agora, o ponto: se tudo der errado, como o Brasil teve retração da economia em 2015 no quarto mandato seguido do mesmo grupo que governa em nome do crescimento com "justiça social", quantas dessas pessoas vão suportar a lembrança de que além da desgraça do país, construíram pessoalmente também as suas próprias? Fraqueza moral acaba se transformando em força imoral. Debilidade moral prejudica a inteligência e a sanidade mental. Aliás, para dar um exemplo, talvez vejamos uma explosão de perversões sexuais como homossexualismo, zoofilia ou fetiches nojentos entre homens e mulheres que quase se evitam na vida cotidiana.

NOTAS:

[1] http://avezdasmulheres.over-blog.com/2015/12/miss-porto-rico-suspensa-muculmanos-aterrorizar-os-eua.html

[2] http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2015/02/comerciante-que-reagiu-assalto-e-matou-suspeito-tem-prisao-revogada.html

[3] http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/10/151028_museu_faxineira_ab

[4] http://noticias.terra.com.br/brasil/policia/brasil-e-o-que-mais-mata-travestis-e-transexuais-100-por-ano,57c3f32782273797d710098b73b83aa1zmhxebsn.html

[5] http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/cotidiano-2/retrospectiva2015-fiu-fiu-na-rua-nao-e-cantada-e-terrorismo-sexual-defende-lider-feminista

[6] Parte 1 em http://avezdasmulheres.over-blog.com/2015/11/socialismo-capitalismo-e-cristianismo-juntos-por-que-nao-parte-1.html e parte 2 em http://avezdasmulheres.over-blog.com/2015/11/socialismo-capitalismo-e-cristianismo-juntos-por-que-nao-parte-2.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook