sábado, 7 de janeiro de 2017

Diário filosófico da Abigail P. Aranha: a vitória da crítica interna da esquerda

Abigail Pereira Aranha

Nota 01


Olavo de Carvalho

30 de dezembro de 2016 às 17:12

Há momentos na vida que nos marcam para sempre, positiva ou negativamente. Já falei aqui dos homens que odeiam as mulheres porque um dia se apaixonaram à distância pela garota mais linda do bairro e não tiveram a coragem de chegar perto dela. Eu não precisei de coragem nenhuma, porque ela mesma me agarrou embaixo da escada e quase me sufocou com beijos e carícias. Mas a lembrança estimulante não é essa. É ela cantando "I can't stop loving you" na minha orelha enquanto os garotos mais velhos, que em vão aguardavam uma vaguinha para dançar com ela, fuzilavam com olhares assassinos o pirralho triunfante. Isso curou todos os meus complexos para sempre. Quando alguma mulher me torra o saco, fala mal de mim ou espalha alguma opinião horrível, lembro-me desse momento e entendo por que ao belo sexo acabo perdoando tudo sempre. Sou incapaz de sentir medo ou raiva de uma mulher, mesmo que seja uma pentelha mocréia filha da puta com um AK-47 na mão direita e um pote de veneno na esquerda.

(https://www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/757232261095517)

======

Comentei no Twitter dele:

@OdeCarvalho Quando o sr. escreve como católico, perde o brilho que tem como jornalista e filósofo. Quando escreve sobre mulher, também.

(30 de dezembro de 2016, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/JipzdTgN1pb)

Nota 02

Phyllis Schlafly e Suzanne Venker falando de Feminismo é como Rui Costa Pimenta falando do PT.

(02 de dezembro de 2016, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/LrUdD4Zp4pX e https://twitter.com/AbigailPAranha/status/804821367338180609)

Nota 03

Como tudo na ideologia conservadora, o antifeminismo conservador se fecha em suas próprias ideias enlatadas e mal consegue ir ao mundo real quando a esquerda faz besteiras suficientes para que qualquer outra coisa seja digna de atenção. Por isso as denúncias sérias contra as atrocidades do movimento feminista só começaram a chegar ao público quando foram feitas por ex-militantes como Erin Pizzey, porque tudo que mulheres conservadoras como Phyllis Schlafly tinham eram lendas urbanas e ufanismo provinciano. Também por isso o Ativismo de Direitos dos Homens começou com homens ex-feministas, e não com pregadores que descobrem mensagens contra a família em desenhos animados. As palavras das atrizes pornôs Valentina Nappi, Mercedes Carrera e a feminista Nina Hartley contra o Feminismo Radical são muito mais relevantes que as do grupo Women Against Feminism, talvez só não sejam conhecidas por mais gente porque os conservadores são em maior número que os fãs de pornografia inteligentes. Senhoras ditas antifeministas conservadoras (na verdade, feministas de direita) como Suzanne Venker, Ann Coulter, Thais Azevedo, Bruna Luíza ou Ana Caroline Campagnolo só são levadas a sério porque netos cabaços de coronéis falidos e senhores genros de assassinos de aluguel têm fantasias sexuais mal resolvidas.

(07 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/MsFoRmaiXMJ)

Nota 04

Os conservadores estão comemorando os vexames da extrema-esquerda como se fossem oportunidades para eles mesmos. É mais fácil a esquerda moderada ou o povo com tendência esquerdista estar se preparando para jogar os dois grupos no lixo juntos.

(02 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/jD9GA13aZmb)

Nota 05

Para os amigos terem ideia de o que é restauração da cultura do Brasil, a menor votação para o PT em primeiro turno foi 39.455.233 em 2002. Depois da denúncia do Mensalão, a votação só cresceu: 46.662.365 em 2006 e 47.651.434 em 2010 (tirado o dado de 2014, que foi fraudado por apuração secreta). A população brasileira hoje é cerca de 206 milhões de habitantes. O percentual da votação de 2002 em relação à população de hoje é 19%.

E o que isso tem a ver com cultura? Quem tem contato próximo com um só desses eleitores sabe que convencer um só deles de fatos públicos e notórios ou das contradições dos discursos deles mesmos parece uma obra sobre-humana. A qualificação moral e mental de um esquerdista para apreender a verdade é a habilidade que um cachorro tem para subir em árvores. E 39 milhões e meio deles? Os votos para o PT só diminuíram em 2014 porque Dilma Rousseff não conseguiu nem sustentar o programa Bolsa Família, o FIES ou o Minha Casa Minha Vida até o fim do mandato (sustentar sem diminuir o número de beneficiários). Ainda assim, o desastre do PT só no aspecto administrativo ou social teria derrubado qualquer outro partido. E não é só isso: se aqueles eleitores de Lula em 2002 desaparecessem, ainda sobrariam semianalfabetos dentro e saindo das universidades, jornalistas que não sabem jornalismo, juízes que não leem os processos que julgam, ninfetas de menos de 25 anos em cargos de chefia longe da capacidade delas, etc.

Mas vamos ficar só com os eleitores do Lula: se por um acaso conseguirmos, digamos, chegar ao nível de 2002 só na economia, quantos deles vão se arrepender dos seus pecados? Quantos deles vão pedir perdão a um só vestibulando que perdeu a vaga na universidade para o filho semianalfabeto poder entrar pelo sistema de cotas? Qual deles vai empregar ou pedir perdão a um condenado por estupro que na verdade foi tocar em uma mulher em um ônibus? Quantos deles vão consentir que uma só delegacia da mulher seja fechada porque qualquer vadia pode dizer o que quiser de qualquer homem e ele ser preso? Quantos deles vão fazer uma crítica ao Lésbico-feminismo radical que seja um esboço da menor das que eu fiz na segunda metade da década de 2000?

Alguém tem plano de restaurar a alta cultura do Brasil em 20 ou 40 anos? É melhor fazer plano de preparar um trabalho hoje, não só cultural e político, também de desmascaramento moral das ideias e das pessoas dos militantes e apoiadores do esquerdismo. E esse trabalho precisa estar acessível quando nossos sobrinhos estiverem mortos.

(02 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/BCA3C38zxjP)

Nota 06

Você viu alguém dizer "que m%$&@ eu fiz votando no PT?!" quando o orçamento federal de 2016 foi aprovado com déficit de mais de 170 bilhões? Aquele adesivo "A culpa não é minha, eu votei no Aécio" não representa à maioria do povo. Isso tem a ver com o que eu dizia sobre a restauração cultural do Brasil. Como isso vai ser contado e explicado daqui a 20 anos?

Opção 1: o PT não era de esquerda, era só um grupinho de ladrões incompetentes como qualquer outro partido político.

Opção 2: o PT fez mais pelos pobres, mas se deixou levar por empresários desonestos.

Opção 3: o PT fez mais pelos pobres, mas o PMDB e o PSDB sabotaram o governo e fizeram esquemas de corrupção dentro do governo em que eles nem estavam.

Como eu dizia, vamos fazer o que pudermos, mas vamos deixar algum trabalho cultural para quando os nossos sobrinhos estiverem mortos. Só pessoas lúcidas e com bom patrimônio moral se arrependem quando cometem grandes besteiras e veem as consequências. Pessoas néscias são capazes de mudar o mundo (para pior) para não encararem seus erros. E como eu lembrei, a menor votação para o PT para a presidência desde 2002 foi 39 milhões e meio de votos em 2002.

(02 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/FKNQ2feypqn)

Nota 07

A senadora Vanessa Grazziotin autora do PLS 514/2015 que eu me vejo obrigada a parabenizar ("garante o direito à amamentação em público, transformando em crime a sua violação, que também ensejará indenização por danos morais à vítima") é a mesma:

1) coautora do PDS 150/2013, que "convoca plebiscito sobre a reserva de, no mínimo, 30% (trinta por cento) dos cargos nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal para mulheres";

2) coautora do PLS 112/2015, que "altera a Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995, que estabelece normas para as eleições, para destinar percentual do Fundo Partidário à campanha eleitoral de candidatas do sexo feminino";

3) autora do PLS 213/2015, que "dá nova redação ao §2º do art. 2º da Lei nº 4.375, de 17 de agosto de 1964 - Lei do Serviço Militar - garantindo às mulheres o direito de opção ao serviço militar";

4) autora do PLS 332/2015, que "altera a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, que dispõe sobre a proteção do consumidor, para vedar a discriminação baseada no gênero nas relações de consumo";

5) autora do PLS 115/2014, que "altera o art. 93-A da Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, que estabelece normas para as eleições, para estabelecer a obrigatoriedade de o Tribunal Superior Eleitoral promover propaganda destinada a incentivar a participação feminina na política";

6) autora do PLS 343/2013, que "altera os arts. 44 e 45 da Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995, para aumentar o percentual do Fundo Partidário destinado à criação e manutenção de programas de promoção e difusão da participação política das mulheres e o percentual do tempo de propaganda partidária pelo rádio e pela televisão destinado a promover e difundir a participação política feminina";

7) autora do PLS 370/2011, que "altera as Leis nº 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991, para dispor sobre sistema especial de inclusão previdenciária para atender às donas de casa sem renda própria que se dediquem exclusivamente ao trabalho doméstico no âmbito de sua residência, previsto nos §§ 12 e 13 do art. 201 da Constituição Federal, e dá outras providências".

Podemos ver que além de ser uma lulopetista execrável, ela também é uma lesbofeminista compulsiva. E se o projeto de lei que penaliza o constrangimento à amamentação em locais públicos é admirável tanto na lei proposta quanto na justificativa, ele não deve ser visto separado disso. E esse é o problema. Não o problema do projeto de lei sobre amamentação, que até demorou muito como lei federal. É o problema de que o Lesbofeminismo tem tão poucos concorrentes intelectualmente dignos de nota que mesmo os momentos de lucidez das militantes mais toscas arriscam deixar o Conservadorismo-Liberalismo na insignificância.

Ah, a senadora também é autora do PLS 652/2015, que "acrescenta dispositivos à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e à Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991", "para estabelecer licença-paternidade de 120 dias". Enquanto isso, há uma consulta pública sobre o PLS 514/2015 na página do Senado e os conservadores estão fazendo feio na página do Senado no Twitter (https://twitter.com/SenadoFederal/status/816596423978418176).

Parece que o Diabo já escreve certo por linhas tortas.

(06 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/VnocYdNWp3A)

Nota 08

"Deputado federal propõe lei contra o 'aumento de masturbação' na Internet", O Dia, 04 de janeiro de 2017, http://odia.ig.com.br/brasil/2017-01-04/deputado-federal-propoe-lei-contra-o-aumento-de-masturbacao-na-internet.html

Eu estava terminando meu texto "Castidade é ódio aos homens - parte 3" e ia comentar sobre o projeto de lei da senadora Vanessa Grazziotin sobre a criminalização do constrangimento à amamentação em locais públicos, e eu descobri esta pérola. E descobri quando eu vi que "Redtube" está entre os assuntos do momento, no momento [14:21] com 25,3 mil tuítes. Então, eu descobri que isso aconteceu porque atalhos do portal do UOL e da Folha estavam direcionando para o Redtube em protesto contra o tal projeto de lei. Quando eu ia parabenizar o UOL por isso, eu leio o portal pedindo desculpas dizendo que isso foi um ataque hacker ("Folha e UOL são hackeados e redirecionam para sites pornográficos", Estadão, http://emais.estadao.com.br/noticias/comportamento,folha-e-uol-sao-hackeados-redirecionam-para-site-pornografico,10000098465). A identidade do autor do ataque não será divulgada para evitar a exposição dele nos "Trend Topics".

(06 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/SXKZkCfT53D)

Nota 09

A direita não percebeu que a Operação Lava Jato livrou o PT do escândalo do Petrolão e ainda o devolveu à mesma posição de 25 anos atrás, quando corrupção era coisa entre empresários e políticos e o PT tinha acusação contra todo mundo. As verbas bilionárias usadas pelo PT para comprar a "mainstream media", disfarçadas de verbas de publicidade, já foram denunciadas pelo Limpinho e Cheiroso, mas os liberais-conservadores mal fizeram meia dúzia de memes quando o Facebook, que também estava no esquema, começou a censurá-los. Depois de investir BILHÕES para adoçar a Rede Globo, a Folha de São Paulo e outros grandes veículos, mais o Facebook, o PT vai se livrar de se explicar por isso deixando meia dúzia de empreiteiros serem queimados e delatarem políticos que os petistas chamam de adversários, dizendo que pagaram algumas centenas de milhares ou milhões de reais para um e para outro. Neste meio tempo, já foi proibido o financiamento empresarial de campanha política, o que significa que qualquer candidato de direita às eleições de 2018 já é praticamente inviável, depois que a Petrobrás e a Caixa Econômica Federal financiaram a Parada Gay.

Enquanto isso, a direita espera ansiosamente as prisões de Lula e Dilma. Enquanto isso, a direita já foi às ruas e às redes sociais defender as Dez Medidas Contra a Corrupção, como se o financiamento privado tivesse algo a ver com o Mensalão ou mesmo com o Petrolão, ou como se advocacia administrativa, prevaricação ou corrupção passiva não existissem no Código Penal desde a década de 40. Não basta que a única força efetiva contra o PT seja as suas próprias porcarias. O PT também pode sair do meio delas mais limpo do que nunca.

(07 de janeiro de 2017, https://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha/posts/JQizbYvpdzd)

Nenhum comentário:

Postar um comentário