quinta-feira, 20 de junho de 2013

A Primavera Brasileira e um bocado de coisas esquisitas

Dizem que "o gigante acordou". Pois bem. Protestos contra a Copa das Confederações, contra a corrupção, contra o aumento da tarifa de ônibus com vandalismo, agressões contra a polícia, agressões da polícia, em várias cidades do Brasil. Como é que isso começou mesmo?

Edição do dia 07/06/2013

07/06/2013 22h01 - Atualizado em 07/06/2013 22h01

SP: protesto contra aumento de passagens causa nova confusão

As manifestações são contra o reajuste de R$ 3 para R$ 3,20 nas passagens de ônibus e do metrô.

Pelo segundo dia seguido, um protesto contra o aumento das passagens de transporte público provocou muita confusão, em São Paulo.

O protesto atingiu as principais avenidas da Zona Oeste de São Paulo. A Polícia Militar acompanhou os manifestantes desde 18h. Houve um princípio de confronto e a polícia teve de soltar bombas.

A manifestação de quinta-feira assustou os moradores. Pichações, bancas de jornais depredadas. A balconista Karina Augusto estava dentro de uma delas. "De repente um barulho de bater aqui na lateral, que vocês viram que está quebrado. Parece que foi um chute, uma bica na porta. Foi bem apavorante", lembra.

Durante um protesto contra o reajuste de R$ 3 para R$ 3,20 nas passagens de ônibus e do metrô, começou a violência. No Anhangabaú, centro da cidade, manifestantes atearam fogo em cones. Depois caminharam em direção à Avenida Paulista, onde houve o primeiro confronto com os policiais.

Uma cabine da polícia foi jogada ao chão. Uma lixeira de concreto foi usada como barreira. Bombas de gás, tiros para o alto e rojões pipocavam entre policiais e manifestantes.

O vandalismo assustou quem trabalha na região. "Eles chegaram já atirando as garrafas nos clientes, nós tomamos prejuízo de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil", conta Marcos Dantas da Silva, garçom.

Para fugir do confronto, motoristas fizeram manobras perigosas. Um shopping foi invadido, pichado e um carro que seria sorteado, depredado. O prejuízo foi de R$ 6 mil. Seis pessoas foram autuadas em flagrante. Quatro pagaram fiança e duas continuam presas.

A avenida mais famosa de São Paulo ficou irreconhecível. As placas de madeira cobrem o que foi destruído da entrada desta estação do metrô. A companhia diz que o prejuízo foi de R$ 73 mil só com lâmpadas e vidros quebrados. O valor que vai ser gasto com o conserto é o mesmo da venda de bilhetes para que 22.812 passageiros façam apenas uma viagem.

Nesta sexta-feira, durante o dia, tudo começava a voltar ao normal na Avenida Paulista. Na Zona Oeste, a situação ainda era agitada na noite desta sexta-feira. A polícia mantém o bloqueio.

G1, http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/06/sp-protesto-contra-aumento-de-passagens-causa-nova-confusao.html

Isso tudo por causa de vinte centavos de aumento da passagem, o que dá 6%?

Como disse o José do Adrenaline, "se o 'gigante acordou', foi por causa das redes sociais". Redes sociais que no Brasil são basicamente para compartilhar grosserias que ninguém pediu, montagens baixo QI e conversa de boteco sobre futebol mobilizando "o povo"? Tá. Você já viu um texto decente com mais de 10.000 compartilhamentos no Facebook? Aliás, na postagem dele está um pouquinho das bobagens que se fala desta porcaria. A manifestação nem tem mais proposta específica, mas ainda é pelo transporte público de qualidade. Já chegaram a cidades que nem tiveram aumento da tarifa de ônibus, mas ainda é pelo transporte público. Em todas as cidades tiveram vandalismo e choque com a polícia, mas é pacífica com meia dúzia de infiltrados. A coisa chega ao ponto de a imprensa cobrir essas manifestações com vandalismo e choque com a polícia como uma coisa no Rio de Janeiro e outra em São Paulo. O jornalista Reinaldo Azevedo não foi nesta onda e publicou que já recebeu uma série de ameaças.

E que partidos estão nessa manifestação? PSOL, PSTU e PCO? Votos na eleição para presidente em 2010: 886.816 para o PSOL (Plínio de Arruda Sampaio), 84.609 para o PSTU (José Maria de Almeida), 12.206 para o PCO (Rui Costa Pimenta). Não dá um milhão os três juntos, eram 135.804.433 eleitores no Brasil (Wikipedia). Eles mudaram de estratégia? Desistiram de ganhar a presidência no processo normal? Em algumas passeatas foram proibidas bandeiras de partido e teve gente que tentou levar. Por que eles estão tentando tirar casquinha de movimento dos outros, ainda mais essa balbúrdia?

E se esses partidos de esquerda, mais esquerda que o PT, não têm nada com essa confusão?

E os manifestantes? Tem alguma faxineira ou algum servente de pedreiro lá? Se a questão era tarifa de ônibus, por que só dava estudante universitário, ou pelo menos de colégio privado? Que povo está reagindo, poxa? O povo está no ônibus voltando do trabalho, parado essa bagunça xingando a mãe dos manifestantes.

Protesto contra a Copa das Confederações e a Copa do Mundo 2014, contra o dinheiro que foi para estádios e deixou de ir para saúde e educação? Primeiro o país de uma copa é escolhido 8 anos antes. Em 2006 o presidente era o Lula. Ele foi reeleito com a imprensa denunciando o Mensalão e em 2010 ainda fez a sucessora, a atual "presidenta" Dilma Rousseff. Até hoje ela está com a popularidade boa. Cadê a insatisfação então?

Conclusão: é mais uma do PT, contra a imprensa que já estava minimizando as patifarias do governo e dos movimentos esquerdistas, contra os partidos de direita, contra os partidos mais à esquerda e contra a democracia.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook