quarta-feira, 5 de junho de 2013

O Puritano-Feminismo episódio 1: Mãe é presa por comprar vibrador para filha de 13 anos

Abigail Pereira Aranha

Mãe é presa por comprar vibrador para filha de 13 anos

Em Divinópolis, município do interior de Minas Gerais, Sara Silva Oliveira Rios, de 42 anos foi presa na tarde de ontem por violação do artigo 224 do Código Penal. O referido artigo trata como estupro presumido quando menores de 14 anos são expostos a situações de natureza sexual, mesmo que aja consentimento por parte do menor.

Sara é mãe da menor P.S.O.R., estudante do oitavo ano do Ensino Fundamental da Escola Presidente Itamar Franco, e atleta da seleção juvenil de futebol feminino de Divinópolis. A menor havia pedido de presente de aniversário um vibrador para a mãe, que por ser adepta da sexualidade sem tabus comentou na loja com as vendedoras que era “pra embrulhar de presente, pois ela daria a filha”.

A vendedora da Sex-Shop que é professora no turno matutino, ministra aulas de Ensino Religioso para a filha de Sara, achou aquilo um absurdo e denunciou para o conselho tutelar a intenção da mãe. O Conselho Tutelar investigou o caso e flagrou a menor levando o presente para mostrar as amigas na escola.

Sara quando perguntada na delegacia se ela não se sentia responsável pela precocidade da iniciação sexual da filha, disse que a filha já possui vida sexual ativa desde os 12 anos e que o vibrador “seria apenas um plus a que toda mulher tem direito”.

Quando o delegado insistiu em questioná-la sobre a precocidade a resposta foi ainda mais assombrosa. Dr. Carlos Almeida Sobrinho perguntou: “O que você acha da sua filha aos 12 anos já ter vivido experiências sexuais com tantos homens?” Sara se resumiu a dizer: “Que bom que ela gosta do babado, né? Deus me livre ter uma filha que gosta de ‘lamber bife’. Deus me livre”.

Sara pode ser condenada a quatro anos de detenção e perder a guarda da filha. O pai preferiu não se manifestar sobre o caso. Disse apenas que não sabia sobre a vida sexual da filha e que acha estranho “uma menina que ainda brinca de bonecas pedir um presente tão estranho para a própria mãe”.

Folha Pimentense, http://www.folhapimentense.com.br/Noticia.asp?Noticia=7401

O Puritano-Feminismo

Já falei que o maior erro de quem combate o feminismo é defender a família e os valores tradicionais como se uma coisa excluísse a outra. E não é. Não só o feminismo como o socialismo sempre existiram basicamente em países cristãos ou que eram cristãos até pouco antes. Mas tem mais: o pior da religião pode conviver com o pior do lesbofeminismo.

Vejamos neste caso. A notícia está meio estranha, confundiram Divinópolis de Minas Gerais com Divinópolis de Tocantins, mas no mínimo é verossímil.

  1. Foi o feminismo que promoveu a liberação sexual das mulheres? Então cadê uma feminista neste caso?
  2. Aliás, num país onde para cada 14 pessoas, 11 são católicas e 2 são evangélicas, como esse feminismo pode crescer?
  3. Não é curioso que quem denunciou a mãe da menina foi outra mulher?
  4. O pai da mocinha só achou estranho o que aconteceu. Cadê o repressor da sexualidade feminina nessa hora?
  5. Tá bom, teve o doutor delegado que só se assustou com a resposta da mãe sobre a sexualidade da filha, a resposta de que ela acha até bom. Mas mesmo assim, por que passeata de mulher querendo direito de se casar com mulher é normal e menina gostar de pinto é assustador?
  6. A professora de religião trabalhando no sex shop?
  7. E por que a mocinha pediu um vibrador pra mãe, em vez de ir atrás de linguiça de verdade?

E outra: por que as religiões mais misóginas do mundo, o Catolicismo e o Islamismo, são também as duas maiores do mundo, e com a ajuda das mulheres?

Já discuti isso na série "O machismo foi criado pelas mulheres", na parte 6 e na parte 7, mas o ponto que vou destacar aqui é que não só o "machismo" foi criado pelas mulheres como pode coexistir com o lesbofeminismo. O "machismo", que não ajuda o homem em nada, dá a uma mulher no mínimo um marido. E isso não é pouco onde a vida é dura. Os lugares mais machistas são os de pior qualidade de vida, certo? O feminismo dá à mulher um trabalho confortável com mais facilidade.

O machismo é para a mulher feia, para ela ter um marido pra montar nas costas em troca de dar a ele filhos e um sexo medíocre, basicamente. A emancipação feminina é para a mulher bonita. O machismo é para a mulher sem coragem de uma vida sexual variada. O feminismo é para a vadia.

Por fim, quase todas as mulheres vão se beneficiar com o puritanismo ou o feminismo, ou a mistura dos dois. E todas estas vão lutar contra as mulheres de verdade, ou as pelo menos mais corajosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook