quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Direito de vestir o que quiser ou de alimentar o ego inchado?

Abigail Pereira Aranha
Um dia desses, uma aluna da Universidade Bandeirante chamada Geisy Vila Nova Arruda foi pra aula com um vestido curto e pra sair teve que ser escoltada pela polícia. Quando ela saía, o pessoal gritava "puta, puta, puta". Veja o vídeo no R7. E veja aqui uma entrevista dela com o Eduardo Marini, com o vestido que ela usava. Em setembro de 2007, uma passageira de um vôo levou uma dura por causa da roupa indecente. Veja aqui a roupa que a cidadã estava usando. Essa posou pra Playboy (nada contra, só não faz meu estilo porque eu sou mulher). Uma vez, uma jovem foi expulsa de um ônibus na Alemanha porque estava usando decote e o motorista não estava conseguindo se concentrar. Sabe que eu acho bem feito? Mas mulher tem que ser sempre a coitada.
Se engana quem acha que a senhorita com roupa indecente é mais sexualmente livre, mais mente aberta, mais fogosa que as outras. Mas a imagem que ela quer passar é mais ou menos essa. Ela quer os homens imaginando que com elas o trem é mais gostoso. Ela é até tão reprimida sexualmente quanto as outras, mas gosta de ver os homens bobos por ela. Ah, é o calor? Tem roupa decente que dá pra usar no calor também, eu sei porque eu não me visto como uma vadia (a minha indecência está é nas atitudes mesmo, hehehehe). Se uma mulher diz que não quer ser julgada pela roupa, é mentira.
Você já viu quando uma mocinha está com um decote quase com os peitos saindo que quando ela vê um homem olhando ela acha ruim? Por que isso? Alguém pode dizer que o homem está olhando pra senhorita com desejo sexual, mas é esse desejo mesmo (não o sexo) que ela quer. Só que a distinta detesta sexo, por isso ela faz cara feia.
Mulher, se tiver um peito ou uma bunda maior ou se for nova, tem uma necessidade de mostrar o corpo pra atrair os olhares dos frouxos infladores de ego de mulherzinha. Quando não é isso, a senhorita é uma beata que usa saia até o tornozelo e não usa maquiagem porque é pecado. Claro, tem as raras exceções. Mas quando a mulher tem muito ego e pouco conteúdo, mas tem uma carinha bonita e algum corpo, ela costuma explorar o corpo e a carinha bonita.
Então falar que uma dama que anda na rua quase pelada é questão de uma mulher ter o direito de vestir o que quiser é cinismo ou lerdeza, igual falar que a mulher tem direito de dar pra quem ela quiser quando ela só dá pra subir na carreira, pra ganhar pensão, pra homem com dinheiro ou pra marginal. Engraçado que essa mulher que tem direito de dar pra quem quiser dificilmente dá pra um homem que presta. E o direito de andar quase pelada é pra provocar olhares dos homens pra esnobar e alimentar o ego inchado.
É muita piranha com perna de fora e sexo que é bom quase nada. Os homens que prestam sabem que pra transar com essas zinhas exibidas eles precisam ou de dinheiro ou de compromisso. Se as mulheres parassem de se exibir e agarrassem um gatinho que presta de vez em quando, todos iam sair ganhando. Abaixo a exibição e viva a putaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook