sábado, 20 de agosto de 2011

A vítima era filha da puta mas era mulher: "pena de 15 anos para assassinato bárbaro"


Pena de 15 anos para assassinato bárbaro

Borracheiro Fábio Willian, que matou a ex-mulher com nove tiros à queima-roupa, só deverá ficar seis anos preso

Publicado no Super Notícia em 20/08/2011

FLÁVIA MARTINS Y MIGUEL

No dia 20 de janeiro do ano passado, o borracheiro Fábio Willian da Silva Soares, de 31 anos, entrou no salão da ex-mulher Maria Islaine de Moraes, de 30, no bairro Santa Mônica, na região de Venda Nova, e descarregou a arma na cabeleireira. Foram nove tiros à queima-roupa e nenhuma chance de defesa. O crime, registrado pelas câmeras de segurança instaladas pela própria Islaine, que temia o ex-companheiro, provavelmente será uma vaga lembrança para a maioria das pessoas daqui a cinco anos quando o borracheiro estará vivendo livremente.

Esse é o tempo máximo estimado para que Fábio Willian passe a contar com o benefício da liberdade condicional. Ontem, depois de oito horas de julgamento, ele recebeu a sentença de 15 anos pelo assassinato da cabeleireira. Como já cumpriu 1 ano e 7 meses da pena e a progressão de regime prevê a liberdade após o cumprimento de dois quintos da condenação, a previsão é que em 2016, após seis anos de detenção, ele possa deixar a cadeia.

O júri, formado por quatro mulheres e três homens, anunciou após 20 minutos de uma reunião reservada no fim da audiência que Fábio Willian é culpado pelo assassinato. Os jurados consideraram a qualificação sugerida pelo Ministério Público de crime por motivo fútil e sem possibilidade de defesa da vítima. A leitura da sentença do juiz Christian Gomes Lima, no entanto, causou espanto na plateia. Os irmãos de Islaine, vestidos com camisetas estampando a imagem da cabeleireira, e os assistentes da acusação, reagiram com indignação. "Esperávamos uma pena mínima de 20 anos, após a decisão do júri ter sido favorável. O juiz foi benevolente", afirmou o advogado José Arteiro. Tanto Ministério Público quanto defesa anunciaram que irão recorrer da decisão.

Ércio Quaresma, que representou o borracheiro, quer uma pena ainda menor. "Com o recurso, ele cumpre até menos dos cinco anos", garantiu. A todo momento, ele quis provar que Maria Islaine teria humilhado o borracheiro e não se protegeu das ameaças do ex-marido.

Os irmãos da vítima deixaram o julgamento revoltados. "Esse homem é um assassino duas vezes. Matou minha irmã e sete meses depois meu pai morreu de desgosto", disse Rosimar Moraes.

Assumido

Ao contrário do que todos esperavam, o borracheiro assumiu a autoria do assassinato. Ele disse que não planejou matar a vítima, mas admitiu que deveria ser condenado.

Depois de dizer que a vítima tinha muitos amantes e que ela sempre o humilhava, Fábio Willian disse que nunca traiu a ex-mulher. "Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía".

Frases do condenado

"Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía"

"As vezes estávamos dormindo de madrugada e vários homens ficavam ligando para ela. Há muito tempo ela estava saindo com um gordo"

"Uma vez um amante dela balançou meu exame de infertilidade na minha frente e falou que eu não era homem"

"Eu perdi a cabeça e atirei, depois fugi, estava transtornado"

"Eu a matei por amor. Era louco com ela"

"Era louco com ela"

Durante o julgamento, Fábio Willian da Silva Soares seguiu a estratégia da defesa e, nos 40 minutos em que foi interrogado pelo juiz Christian Gomes Lima, permaneceu cabisbaixo e fechando os olhos para sensibilizar os jurados. Ele afirmou que matou Maria Islaine Moreira por amor. "Eu era louco com ela", disse. O borracheiro afirmou que mantinha a distância da cabeleireira de 300 metros, mas ela o procurava. O salão ficava a 30 metros da minha borracharia. O condenado afirmou que a cabeleireira o traía e que um amante dela chegou a mostrar o exame de infertilidade dele, em uma festa, dizendo que ele não era homem. A mulher gravava as conversas dos dois. Em trechos lidos pelo promotor de acusação, Morino Cotta, Fábio Soares dizia que iria cometer um erro. No tribunal, ele afirmou que merecia ser condenado. (Natália Oliveira)

Irmã comemora

Parentes de Fábio Willian da Silva Soares saíram do fórum comemorando e ironizando a decisão da Justiça. A irmã do borracheiro, Luciana Maria Estela Soares, de 40 anos, disse que, em breve, o irmão estará livre, ao se referir aos benefícios de redução de sentença previstos em lei. "Quero pedir desculpas para a população que esperava que meu irmão pegasse 30 anos. Ele pegou 15 anos. E daqui três anos ele estará de novo em casa", afirmou.

Fábio Willian disse durante o julgamento que no dia do crime a cabeleireira Maria Islaine Moreira falou que ele só a mataria se fosse homem. O vídeo do crime, mostrando ele entrando no salão de beleza da ex e fazendo nove disparos contra ela, foi exibido aos jurados. Para explicar a arma, o borracheiro alegou que estava se protegendo de traficantes donos do espaço onde o salão funcionava. (NO)

http://www.otempo.com.br/supernoticia/acervo/?IdEdicao=1485&IdNoticia=60990

Comentários de A Vez das Mulheres / A Vez dos Homens que Prestam / Contra os Reis e as Religiões

Maria Islaine teria humilhado o borracheiro e não se protegeu das ameaças do ex-marido.

"Nosso relacionamento não deu certo só porque ela me traía."

"As vezes estávamos dormindo de madrugada e vários homens ficavam ligando para ela."

"Uma vez um amante dela balançou meu exame de infertilidade na minha frente e falou que eu não era homem"

O borracheiro afirmou que mantinha a distância da cabeleireira de 300 metros, mas ela o procurava. O salão ficava a 30 metros da minha borracharia.

No dia do crime a cabeleireira Maria Islaine Moreira falou que ele só a mataria se fosse homem.

Mulher é sempre a vítima do homem! Deu pra entender?

E se fosse o contrário? A mulher podia dizer que era humilhada pelo marido? Ouvi falar que aconteceu um caso assim, e a mulher foi inocentada. E se fosse o contrário? Alguém que se atrevesse a dizer que 15 anos de cadeia é pouco. E se fosse o contrário?

Agressão de homem contra mulher? Lei Maria da Penha. Agressão de mulher contra homem? Cesta básica. Agressão de homem contra mulher? Delegacia da Mulher. Agressão de mulher contra homem? Delegacia comum, e os policiais ainda são capazes de falar pro cara deixar pra lá.

Sexismo é só de homem contra mulher? Curiosidade: no tradutor do Google do português para o inglês, "machismo" vira "sexism".

O Nazismo Lésbico avança. Dia 19 de novembro também é Dia Internacional do Homem. Vai ter que ser dia de protesto.

Beijos. Viva a vida, o caráter, o ateísmo, a anarquia e a putaria.

Abigail Pereira Aranha

(revisado em 21/08)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook