quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ser revoltado não significa ser infeliz

Abigail Pereira Aranha

Você sempre foi uma pessoa esperta e observadora, ou já foi uma anta mas virou uma pessoa esperta e observadora. Aí, com o tempo foi descobrindo um monte de coisas muito desagradáveis. Sobre a nossa sociedade, sobre as pessoas, sobre quem se diz oprimido há séculos. Sobre coisas que você acreditou a vida toda, e podia morrer por essas certezas. Sobre quem diz que luta por melhorar a vida de alguém. Aí, você foi ficando revoltado, indignado, louco de raiva. E ao mesmo tempo foi vendo que parece que não tem muita coisa que possa fazer. Talvez você já desejou ser burro como os outros, ser um empregado servil num emprego dos infernos, ganhando um ou ganhando vinte salários mínimos.

Mas não, ser um alienado não é a solução, nem a única opção. Nem mesmo a sua própria vida vai melhorar com isso. Já vimos muita gente submissa a Deus e o mundo se arrebentar na vida. A solução é reagir. Se você é uma pessoa inteligente, acima da mediocridade, você sente dentro de você as verdades arrombando os seus dentes pra sair da sua boca, a vontade de ir pra onde não querem que você vá, de fazer o que não querem que você faça. Você tem coragem de viver, você faz idéia de o que é viver, e o seu corpo e o seu cérebro têm sede da vida. O que vai acontecer é que a sua vida não vai ser tão rica quanto podia ser.

Ou seja, o problema não é como engolir a revolta, mas como viver a revolta. E eu não estou falando de loucura terrorista ou autodestrutiva. Estou falando de fazer a sua vida mais feliz enquanto atinge o quanto pode a cambada de bestas abaixo do seu nível. Minhas humildes sugestões:

  1. Expulse de você a idéia de que a mediocridade venceu e você não pode fazer nada a respeito.

  2. Expulse de você a idéia de que qualquer reação é a pior coisa a ser feita.

  3. Faça da sua revolta a pior coisa que puder contra quem a merece e a melhor coisa que puder para você mesmo(a).

  4. Pense globalmente, aja localmente. Lembra aquela conversa mole de consciência ambiental, né? Mas por que uma sacola plástica que você deixa de usar ajuda a salvar o planeta e denunciar um mau político no Ministério Público não vai dar em nada? O erro de algumas pessoas até bem intencionadas é tentar fazer mais do que podem. Então, a nossa versão do "pense globalmente, aja localmente" é pensar grande mas fazer o que estiver ao seu alcance.

  5. Cultive o cinismo, a piadinha e a ironia. Mas por quê? Porque faz bem pra você e mal pro inimigo. Não é inventar com o que fazer piadinhas de mau gosto nas coisas e nas pessoas que te aborrecem, é ver o absurdo e o ridículo nelas.

  6. Se prepare para quem merece a sua revolta, mas não se desprepare pra quem merece o que você pode dar de bom. Parece fácil de falar e difícil de fazer, e é mesmo. Mas é necessário. A revolta pura é loucura, ela só é boa contra quem a merece. Aliás, se prepare para encontrar pessoas que você não imaginava o quanto elas pensavam como você.

  7. Viva feliz, ou o mais feliz que puder. Essa é a vingança contra quem vive de fazer outros infelizes. Olhe para as coisas boas da vida e pro que há de bom nas pessoas (ou pelo menos algumas), e não para as pessoas pequenas e infelizes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook