quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Feliz Dia dos Pais para os homens que prestam

Abigail Pereira Aranha

Boa tarde, meus amigos e minh@s inimig@s. Eu estava ausente na internet (apenas uma visão rápida no Facebook e parabéns a 4 amigos pelos seus aniversários no Dia do Pais) para mais uma aventura de diversão, diversão sexual e não-sexual, no Dia do Pais (segundo domingo de agosto no Brasil), como no Dia do Homem no Brasil com o meu pai. Um ano atrás, eu escrevi um pequeno texto intitulado "Dia dos Pais infeliz?", mas, como eu fiz no Dia do Homem no Brasil (15 de julho), eu vou tentar colocar um pouco de alegria nisso.

O Dia das Mães é o segundo Dia Internacional da Mulher, em ambos os dias uma mulher, afinal, é santificada só porque ela é uma mulher. Nós antifeministas não temos que espelhar isso. Eu tenho amigos homens com pais horríveis, alguns deles deixaram suas mães abandonadas para viver com alguma vadia (eu recomendo a postagem "Toxic Fathers" - pais tóxicos -, no The Spearhead, traduzida para o português no Canal do Búfalo). Mas os pais não se comportam assim porque eles são homens, da mesma forma que as mães não são dedicadas a seus filhos apenas porque são mulheres e mães. Assim, os bons pais têm que ser lembrados. Além disso, normalmente são os pais que sustentam o grupo familiar, incluindo a maior parte das famílias em que as mães e até mesmo filhos / filhas também trabalham, o que é um pouco de crédito inclusive para alguns canalhas. Bem, você pode conhecer casos de homens de 40, 60 anos atrás, que eram casados e tiveram sexo fora do casamento, incluindo filhos com uma ou duas mulheres além de seus cônjuges, e suas mulheres sabiam disso e toleravam, porque elas não tinham emprego e eram economicamente dependentes. Mas enquanto esse homem é condenado por pelo menos metade da nossa sociedade, inclusive eu e os MRA (ativistas de direitos dos homens), quem repudia as mulheres que exploram homens usando a pensão alimentícia? Mesmo os homens que olham para aqueles mulherengos com admiração ou inveja ou são homens como eles, mas ainda principiantes, ou bons homens ainda virgens quando tinham 25 anos de idade. Como uma defensora da safadeza, eu acho que é menos do que o mínimo que uma mulher vazia estúpida frígida merece por contribuir para a construção de uma sociedade onde o sexo ou tentar ver os seios de uma mulher são os piores crimes, enquanto tenta usar a quase única oportunidade sexual de um homem para explorá-lo; e menos do que o mínimo que o pai dela merece por atrapalhar a vida sexual de outros homens como ele mesmo foi um dia.

Mas bons pais têm de ser parabenizados. Especialmente aquele bom pai que a esposa é uma vadia lésbica, que o filho é um socialista que defende bandido e que a filha é uma estudante universitária lesbo-nazista ingrata, todos abusando do fruto de seu trabalho duro, enquanto ele não tem quietude mesmo para ficar em um bar com amigos após o trabalho do dia-a-dia. E aqui vai este relato.

Eu planejei uma festa para um homem que conheci por um amigo comum cerca de duas semanas atrás, que, descobri, é o pai de um outro amigo em outra cidade. Então, eu juntei este amigo, meu pai, meus irmãos, minhas irmãs, seus cônjuges, minha mãe e alguns amigos. E quem tem filhos ou seus pais, os trouxe. Ah, eu pude trazer também dois tios amados (sem suas esposas). Eu aluguei um ônibus, saindo da cidade do meu pai às 7:00. Antes de eu sair da minha cidade, eu deixei a equipe de cozinha (quatro amigos) preparando bolos, suco, café e cachorros-quentes. E para começar o dia de hoje, eu dei... beijos de bom dia (nós não podíamos fazer sexo, era umas 04:00, estávamos todos quase caindo no sono). Eu aluguei um sítio e fui para o ponto de partida para orientar os motoristas. Na viagem, tivemos dois motoristas, um amigo da minha família e meu pai, que receberam as boas-vindas com nosso café da manhã. Obrigada aos meus homens na cozinha!

Eu gostaria de destacar os pais em si. Eles foram especialmente selecionados: apenas bons pais. Um deles era aquele pai que eu mencionei antes, que foi uma boa surpresa para seu filho encontrá-lo novamente, porque ele se divorciou da mãe do meu amigo e ela impediu o contato. Outro mal pôde nos ver brevemente, porque ele é um mineiro (de Minas Gerais, mas também trabalha em minas de ferro) e tinha que ir trabalhar naquele dia à tarde (por pouco, eu nem vi ele). Outro tem depressão e foi trazido para o nosso encontro por seu filho, ele disse para mim e seu filho que ele estava melhor porque ele esteve conosco. Outro, meu amigo, não pôde ver sua filha por causa de sua mãe (vou chamá-la Concebida*) mantendo-os longe, inclusive morando em outra cidade. Em má sorte para a vadia, convidei seu primo que é meu amigo (vou chamá-lo de Alex*) e ele teve que ir exatamente para a reunião familiar onde ela estava com a garotinha, então ele deu o seu celular para ela e ela pôde falar com seu pai ocultamente. Esta cidade (vou chamá-la de Paracatu*) estava em nossa rota (eu vou voltar nisso mais tarde). Mas havia pais felizes também. Um deles é um violonista profissional, com uma graduação recente em Direito, ele tocou para nós. Outro é um contador em uma empresa modesta com um ambiente muito agradável. Havia até mesmo pais casados ​​com suas esposas, aparentemente em boas vidas de casados ​​(pais de alguns amigos).

Eu ficaria muito satisfeita se pudesse saltar de dentro de um bolo nua para ser fodida por todos aqueles homens, mas as minhas irmãs não iriam se juntar a mim nisso. Bem, havia uma barraca de camping que um amigo (vou chamá-lo de Heitor*) trouxe para seus filhos, e eu brinquei que seria feita lá a Barraca do Sexo, de modo que quem não sabia que eu sou sem vergonha descobriu, hehehehe. Mas nós fizemos o nosso Bang Bus. Nós realmente precisávamos ir a uma cidade perto para comprar algumas coisas. Chamei o nosso segundo motorista (o amigo da minha família) para ir comigo e quatro amigos. Visto que os meus amigos estavam no ônibus dez minutos antes, eles puderam foder minha buceta. Fiquei espantada com como conseguimos interromper! Em nossa viagem, meus amigos ficaram reclinados no banco à minha frente e eu chupei seus paus e eles gozaram no meu rosto e meus seios. Meninos, não desejem transar em um ônibus intermunicipal, o espaço é apertado e o balanço pode ser desconfortável e, provavelmente, levá-los a baterem o joelho na menina. Mas isso não aconteceu aqui. Quando o nosso ônibus estacionou, o motorista e os meus amigos foram para comprar os alimentos. Como havíamos planejado. O motorista entrou no ônibus primeiro, eu o chamei e ele me encontrou nua e com o rosto cheio de esperma. Ele estava um pouco chocado, mas eu disse fique calmo, meu pai até me pegou nua na casa de alguns amigos. Então, ele fodeu minha buceta (eu sabia que ele estava preocupado com o meu pai). E ele teve orgasmo muito rapidamente, eu estava usando um preservativo feminino prevendo isso. Ele disse que pensou que eu estava brincando quando falava de putaria e aventuras sexuais quando eu estava com ele e meu pai ou irmãos (inclusive porque estes casos eram engraçados).

Um pouco mais de três da tarde, chegamos em Paracatu*, perto da casa do Alex*. Eu liguei para Alex* se encontrar conosco. No ônibus, levamos um pouco de comida da festa. Ele me fodeu no ônibus e comeu nossa comida. Depois disso, fiz uma travessura com Concebida*. Bem, eu prefiro não contar aqui, mas a cadela não foi ferida. Hua, hua, hua, hua, hua!

Voltamos para a festa (aquela para a qual fomos trazer comida). Foi muita comida, muita bebida, muita diversão, muito bate-papo, muita música, só faltou safadeza. No sítio. No "Bang Bus", eu dei assistência aos meus 4 amigos da "equipe de cozinha" e os 7 rapazes que não estavam na nossa primeira viagem. Uma dessas viagens (foram quatro) foi com Heitor* e eu "conheci" seus dois filhos, de 14 e 16 anos (eu tinha estado com esses adolescentes e seu pai antes e eu sabia que era seguro), e um amigo (eu e os "velhos" ensinamos aos "jovens"). Ah, as "crianças" e nosso motorista não foram incluídos nesse 11, na última viagem o motorista estava tímido em me compartilhar com dois rapazes, mas nós o animamos e ele veio. Todas as viagens tiveram menos de 2 km, até um pedaço de terreno plano ao lado de uma estrada (cortinas fechadas, para evitar acidentes), e foram feitas escondidas (o ônibus não pode ser estacionado no sítio, mas em uma área de grama a 300 m da entrada).

Parando de fornicação (sete fodas, mas estou indo para outro assunto, hehehehe), eu estava maravilhada de que alguns homens lá (que não me conheciam antes) me disseram que nuncam tinha estado tão felizes antes. Eles falaram sobre experiências ruins, experiências boas, maus filhos, bons filhos, mulheres ruins, mulheres boas, ética. Eu adicionei falando de universidade, saúde, política e até mesmo putaria (até mesmo algumas coroas ouviram e riram, mas o que eu faço, eu duvido que eles iriam aguentar, hehehehe). E eu fiz algumas piadas como: "depois de tudo isso, pelo menos ninguém disse que trabalhou na mineração para sustentar uma filha em uma universidade para ela dizer que um homem não suportaria ser uma mulher". Ah, eu tive um tempo no sítio para conversar com eles também, hehehehe.

Às 20:00, voltamos para casa. Eu dei um abraço em cada pessoa que estava conosco. Eu mal ouvi uma senhora dizer para outra senhora que os filhos do Heitor* foram muito sem vergonha quando me abraçando (elas não poderiam imaginar...). Por último, mas não menos importante, eu dei um abraço no meu pai, com a minha cabeça em seu peito. Fomos para o ônibus e eu fui a primeira passageira a me despedir. A minha casa foi a primeira parada. Fui para minha cama e me senti muito bem. Na parte da manhã, quando abri os olhos e estava na hora de acordar para ir para o meu trabalho (em uma oficina mecânica).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook