quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Erro de conta e de jornalismo: taxa de homicídios do Brasil não é 73% acima da média do BRICS, é 428% (e tem mais)

Abigail Pereira Aranha

Taxa de homicídios no Brasil é 73% maior do que a dos Brics

A queda na taxa de homicídios dolosos (com intenção) por grupo de 100 mil pessoas no Brasil, de 24,2, em 2012, para 23,7, no ano passado, está longe de ser um dado a ser comemorado. O índice foi divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O motivo para não comemorar é que a taxa do país é 73% maior do que a média (13,7) dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), segundo relatório da ONU sobre drogas e crimes.

Entre os países da América do Sul, a situação também não é nada animadora. No continente, o Brasil ocupa a terceira posição no ranking, ficando atrás somente da Venezuela, que possui uma taxa de 53,7 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, e da Colômbia, que tem um índice de 30,8.

Ainda de acordo com o relatório da ONU, a taxa brasileira também é quatro vezes maior do que a mundial, que é de 6,2. E com uma pessoa morta a cada dez minutos, e um total de 50.806 vítimas de homicídios no ano passado, o Brasil é responsável por 12% dos assassinatos cometidos em todo o mundo.

Em 2013, a Bahia foi o Estado brasileiro com maior número de mortos: 5.440 (taxa de 36,1 a cada grupo de 100 mil pessoas). Alagoas registrou a pior taxa do país no período: 64,7 vítimas a cada 100 mil pessoas. Rio Grande do Norte teve o maior crescimento na taxa de vítimas por 100 mil pessoas: 93,2% em 2013 ante 2012, com taxa saltando de 11,4 para 22,1 assassinatos a cada 100 mil habitantes.

Já São Paulo registrou 4.444 homicídios no ano passado, média de um a cada duas horas.

Márcio Alves

Metro São Paulo

Opa, mas cadê a última frase? Não está na edição impressa, está na edição eletrônica (http://www.metrojornal.com.br/nacional/brasil/mata-se-73-mais-no-brasil-do-que-no-restante-dos-brics-147737). "Atualizado em: 01/12/2014 às 7h36". O governador da Bahia é Jaques Wagner, do PT. Tá bom, o governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, é do PSDB; e a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, é do DEM. Mas também é do PSDB o governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, e lá, maior estado do Brasil com mais de 44 milhões de habitantes, a taxa de homicídios é 10,1 por 100.000 habitantes × ano, menos da metade da média nacional (fazendo a conta com o total de homicídios dado no próprio texto). E aí? Vamos pular uma discussão "racial" em respeito aos antiesquerdistas que ainda estão no Norte-Nordeste. Hua, hua, hua, hua, hua!

Já ouviram falar que ninguém é esquerdista, inteligente e honesto ao mesmo tempo. O nosso jornalista Márcio Alves, por exemplo, é esquerdista e já não é honesto. Afinal, comparou TAXAS DE HOMICÍDIO do Nordeste com NÚMERO ABSOLUTO DE HOMICÍDIOS de São Paulo. Aliás, ele tinha que colocar São Paulo no meio. Mas aqui ele também não foi inteligente. Qual a taxa média de homicídios do BRICS? É o número de homicídios para 100.000 habitantes × ano DO CONJUNTO. Ou seja, juntamos todos os homicídios do ano dos cinco países, dividimos pela população total e multiplicamos por 100.000, como fizemos para o Brasil. O que ele fez? Média aritmética simples. Fez errado, tem que ser a média aritmética ponderada, sendo os pesos as populações. Vamos fazer a conta certa:

país homicídios/100.000 hab×ano (x) população, em milhares (p) p × x
China 1,0 1.368.220 1.368.220
Índia 3,5 1.263.350 4.421.725
Rússia 9,2 146.233 1.345.344
Brasil 23,7 203.529 4.823.637
África do Sul 31,0 54.002 1.674.062
total 3.035.334 13.632.988

(Populações: http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_population)

Média: xw = Σ(p × x) / Σp = 13.632.988/3.035.334 = 4,49 homicídios/100.000 hab×ano. Diferença percentual: 100% × (23,7 - 4,49) / 4,49 = 428%. E tem mais. Média do BRICS sem a África do Sul, o maior índice da lista: 4,01. Média do BRICS sem o Brasil: 3,11. Mas vá lá, se alunos de engenharias do Brasil de hoje em dia estudam sobre média aritmética simples e variância chorando, imagine um estudante de Jornalismo.

Nós ainda podemos dizer que o jornalista tentou aliviar a barra do Brasil, ou melhor, do governo PT usando um número menor. Porque a ignorância e a desonestidade não são excludentes, ou pior, a degeneração moral grave pode virar ignorância mais incapacidade para apreender a verdade.

P. S.: o Mídia Sem Máscara agora tem edição impressa! Vamos comprar, pessoal! Esses jornaizinhos tipo o Metrossexual e outros não tão zinhos bajulam os lesbossocialistas pra não irem à falência, vamos mostrar que jornal antiesquerdista pode se manter com o próprio dinheiro. Tio Olavo, quando o jornal crescer, eu me ofereço, hehehehe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário