domingo, 27 de setembro de 2015

Carta aberta para Olavo de Carvalho

Prezado professor, se eu ganhar a sua atenção para o meu trabalho na blogosfera ou o meu perfil no Facebook, o sr. verá que eu sou uma pessoa das mais improváveis para ser uma admiradora sua. Eu não sou cristã, sou ateia; eu não sou de direita, sou anarquista; eu não sou defensora nem admiradora da família tradicional mediana; eu também rejeito o casamento convencional e a castidade. Então, por que eu o admiro? Vou começar lembrando palavras suas de 04 de setembro (https://www.facebook.com/carvalho.olavo/posts/539659266186152) que eu quase posso fazer minhas:

"Propter vitam vivendi perdere causas." O antipetismo e mesmo o anticomunismo são apenas desenvolvimentos laterais do meu trabalho, cujo objetivo essencial é a formação de INTELECTUAIS CAPAZES E HONESTOS. Se, em nome do antipetismo e do anticomunismo, devo sacrificar o objetivo essencial, consentindo em endossar lendas urbanas em lugar dos fatos e da honradez intelectual, toda a minha obra e a minha vida se tornam automaticamente desprovidas de sentido. Quem me exige isso não é, decerto, meu amigo.

Eu, que não tenho a sua estrutura nem a sua habilidade, só pude fazer um trabalho muito menor em alcance, embora com objetivos parecidos: ser eu mesma uma pessoa normal intelectualmente sã e honesta, me mostrar como tal na blogosfera e tentar, com isso, encontrar outras pessoas que prezam pela integridade moral e mental e animar, entre essas pessoas, as que estiverem desanimadas. Eu comecei a escrever em 2006 contra a pobreza de inteligência, contra a pobreza de espírito, contra a pobreza de caráter que estavam espalhadas em qualquer lugar onde uma pessoa comum estivesse com frequência e na comunicação de massa. E eu nasci em março de 1991, então eu ainda nem estava na escola quando o sr. escreveu "A Nova Era e a Revolução Cultural" ou o primeiro "O Imbecil Coletivo". O sr. escreveu sobre uma degeneração cultural "em cima" pegando sinais visíveis de um processo que já tinha décadas; eu, mais uma década depois, escrevia amadoramente sobre uma difusão de estupidez "em baixo", e não tive a popularidade do blogue Tudo Sobre Esmaltes. Aliás, o presidente do Brasil em 2006 era Lula em seu primeiro mandato. Ele foi eleito democraticamente. ESTE é o problema. Talvez o sr. tenha mesmo conseguido recuperar a Alta Cultura, mas por isso mesmo atraiu, usando o termo de Alexandre Borges, a "guerra contra a verdade"[01], com a baixa cultura berrando e se rebaixando ainda mais.

Só em um dos seus artigos, podemos ter descoberto três ou mais livros ou escritores novos. Novos não, antigos, mas que os nossos professores universitários e jornalistas pós-graduados, mesmo cultos e com viagens anuais para o exterior, nunca citaram para nós, isso se eles mesmos já ouviram falar. Se o sr. vir o que eu escrevo, não vai ver lá tanta alta cultura, talvez sugerindo que eu leio pouco. Mas eu adoto este estilo exatamente porque eu tento tratar um problema que o sr. também já tem abordado há um bom tempo: o problema do Brasil é estupidez coletiva, que pode até ser falta de boa informação, mas é em primeiro lugar deficiência de apreensão do mundo real combinada com pobreza de espírito. Foi-se o tempo em que se mantinha o poder com sonegação de informações, queimando livros, matando jornalistas. Hoje, a turba esconde a verdade de si mesma, por alienação e por uma confusão moral-intelectual. As poucas pessoas que valorizam a honradez e a sanidade mental leem as suas obras, a coluna do seu amigo Reinaldo Azevedo ou mesmo alguns blogues gratuitos como o meu só porque dizemos coisas que se parecem com o mundo real. E esta é a fonte dupla da sua autoridade: escrever sobre o Brasil o que mesmo pessoas menos cultas, mas com bom senso, podem reconhecer na hora ou confirmar anos depois; enquanto os seus adversários e difamadores só podem se cercar de ou escrever para vagabundos, carreiristas, semianalfabetos, idiotas, covardes ou invejosos, e só daí alegar alguma credencial. Primeiro, as pessoas com raciocínio normal nos veem dizendo coisas que fazem sentido; segundo, elas nos veem dando respostas de perguntas que elas nem pensaram em fazer; por último, elas descobrem que a porcaria toda é pior do que elas pensavam.

Eu gostaria que compartilhar algumas coincidências que eu achei engraçadas. Vamos voltar àquele tópico na sua página do Facebook. O sr. disse aquilo às 23:01 e às 17:47 do mesmo dia eu publiquei "Direita cristã, acabou! - parte 2"[02], onde eu mostrava um exemplo prático de como a direita cristã brasileira estava em falta em intelectualidade. Eu disse em 09 de julho que "a vitória contra o Socialismo ou o LGBT-Feminismo não é só tirar militantes notórios do poder formal, é trazer a sanidade moral e mental aos padrões da vida social" ("A Revolução Normal"[03]). O sr. disse no dia seguinte que "esse círculo vicioso não será quebrado enquanto o monopólio estatal da razão não for desmascarado" ("O Estado e a razão", 10/07)[04]. Por uma demora minha de dois dias, não publicamos juntos o seu texto "O império da ignorância" (10/09)[05] e o meu "A mediocracia na cultura" (12/09)[06]. O sr. publicou "Dormindo profundamente" no Diário do Comércio de 19 de junho de 2006[07] dizendo que devíamos, por exemplo, "Aceitar a luta ideológica com toda a extensão das suas conseqüências. Não fazer campanhas genéricas 'contra a corrupção', salvando a cara do comunismo, mas mostrar que a corrupção vem diretamente da estratégia comunista continental voltada à demolição das instituições". Eu já tinha criado um modesto trabalho na blogosfera quase um mês antes por muito menos, em especial para criticar o Lesbofeminismo, talvez os primeiros blogues com esse conteúdo no Brasil escritos por uma mulher ou um não-cristão. Eu contei isso para mostrar por exemplo próprio como uma garota do povo com raciocínio normal tem ideias e percepções em comum com as que temos visto do seu trabalho. Se parece que eu me antecipei aos seus escritos, não é porque eu mesma seja uma pessoa acima do normal, é exatamente porque é a normalidade psiquiátrica-intelectual que nos fez ter essas percepções e a normalidade moral que nos fez escrevê-las são incomuns no Brasil.

Ah, se o sr. visitar o meu blogue A Vez dos Homens que Prestam (http://avezdoshomens.blogspot.com), verá um bocado de pornografia (embora não naquelas postagens que eu citei). Está certo que o sr. é conhecido por usar uns nomes feios, mas se ficar sem jeito de entrar lá, eu vou compreender, hehehehe. Isto não é só para mostrar que eu gosto e para alegrar os rapazes. Isto também tem a ver com o que eu dizia sobre normalidade moral e mental. O que eu tento mostrar não é que eu sou uma mocinha moralmente e mentalmente normal apesar de ver pornografia e ter uma vida de putaria, é que eu vejo pornografia e tenho uma vida de putaria exatamente porque eu sou uma mocinha moralmente e mentalmente normal. Esta vai ser uma das nossas grandes discordâncias. Mais do que isso: eu não apenas tenho ideias ateias, anarquistas, contra a família, contra o casamento convencional e contra a castidade; eu sou militante dessas ideias, no mundo físico e na internet. Ah, e quando o sr. escreve como católico, perde muito do brilho que tem como jornalista e filósofo. Eu não digo "escrever como católico" no sentido de alguém que professa a fé católica ou cita pontos do Catolicismo, esse "escrever como católico" é dizer coisas que não têm sustentação para quem não acredita no Catolicismo Romano ou mesmo em algum deus. Pelo menos, isso se resume a poucas postagens suas no Facebook, mesmo artigos seus como "Feliz Natal, queiram ou não" (23/12/2013)[08] ou "Herança de confusões" (04/09)[09] não são perdidos por isso. Então por que eu admiro o seu trabalho? Porque nós temos inimigos comuns que o seu trabalho denuncia. Não é exatamente uma trégua que faço com a direita cristã, é que eu vejo que os socialistas conseguem ser ainda piores, eu vejo que os próprios ataques à direita e ao Cristianismo são aspectos derivados do ataque aos mesmos princípios que eu defendo, como as liberdades individuais, e eu tento não fazer papel de idiota. Eu rejeito o seu Deus como rejeito qualquer outro, por isso mesmo não quero que um sobrinho meu cresça em um governo socialista ouvindo que apareceram uma estrela e um arco-íris duplo no céu quando o governante nasceu, como aconteceu no governo Kim Jong-Il na Coreia do Norte[10]. Eu desprezo o casamento tradicional e a família tradicional típica, mas o sr. já leu a proposta do Manifesto SCUM de reprodução por fusão de dois óvulos? Eu abomino a castidade e o eufemismo de "moral e bons costumes" para o terror e a inveja contra o pau duro alheio, e por isso mesmo eu não repudio apenas o uso que muitos cristãos fazem ou querem fazer do Estado para reprimir a pornografia e o sexo fora do casamento, eu repudio também a quase criminalização da heterossexualidade masculina que o LGBT-Feminismo[11] promove.

Eu gostaria de agradecê-lo também pelos grandes amigos e leitores que eu ganhei na internet através, indiretamente, do seu trabalho. Mesmo com este meu perfil que eu lhe mostrei, a grande maioria dos meus amigos no Facebook é de cristãos ou conservadores. Eu não entrei na sua página ou no seu perfil para pescar amigos e leitores novos, foram alguns de seus leitores e amigos que me acharam, hehehehe. O sr. me deu um pouco mais de visibilidade, sim, mas não foi uma alimentação de um exibicionismo vazio, foi uma ajuda para eu divulgar coisas que eu acreditava que seriam valiosas. Por exemplo, quase na mesma semana de agosto, e antes dos protestos contra o PT do dia 16, o sr. nos contou que foi bloqueado no Facebook por um mês no seu artigo "Garras invisíveis" (07/08)[12] e soubemos que a página e os perfis dos administradores do Revoltados On Line também foram bloqueados porque militantes petistas "chegaram a publicar imagens de pornografia para em seguida denunciá-las por outros perfis, apenas para que o evento saísse do ar"[13]. E eu dizia em janeiro de 2009 que se qualquer lan house de 12 metros quadrados podia bloquear pornografia, um estado totalitário poderia usar pretextos "moralistas" para censurar a oposição na internet, coisa que, aliás, nem era previsão, já acontecia pelo menos na China[14] (e o pessoal não "caiu a ficha" até hoje).

Politicamente, o sr. foi a UTI da direita e do Ultraliberalismo (conhecido como Anarcocapitalismo): sem o seu trabalho cultural, a direita ainda seria burgueses de segunda geração vociferando darwinismo social e provincianismo puritano em grupos de discussão na internet ou turmas de três ou quatro conversando em algum campus universitário. Desconfio que o sr. vai viver para ver a direita brasileira morrer, mas é o seu trabalho cultural-filosófico de juntar pessoas de raciocínio normal ou pelo menos com vergonha na cara que ficará na História do Brasil.

Beijos, e muito obrigada.

Abigail Pereira Aranha

http://www.facebook.com/abigail.pereira.aranha.91

http://www.stumbleupon.com/stumbler/abigailpereira2 e abigailpereira

http://plus.google.com/+AbigailPereiraAranha

======

NOTAS:

[01] "A guerra suja contra a verdade", Instituto Liberal, 05/01/2015, http://www.institutoliberal.org.br/blog/guerra-suja-contra-verdade.

[02]
http://avezdoshomens.blogspot.com/2015/09/direita-crista-acabou-parte-2.html

[03] http://avezdoshomens.blogspot.com/2015/07/a-revolucao-normal.html

[04] http://www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/o_estado_e_a_razao

[05] http://www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/o_imperio_da_ignorancia

[06] http://avezdoshomens.blogspot.com/2015/09/a-mediocracia-na-cultura.html

[07] http://www.olavodecarvalho.org/semana/060619dc.html

[08] http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/14797-feliz-natal-queiram-ou-nao.html

[09] http://dcomercio.com.br/categoria/opiniao/heranca_de_confusoes

[10] "Ditador de mão de ferro, Kim Jong-Il governou rodeado de excentricidades", G1 (da AFP), 19/12/2011, http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/12/kim-jong-il-um-lider-excentrico-com-mao-de-ferro-e-dons-de-estrategista.html.

[11] Parece estranho o termo "LGBT-Feminismo"? Eu confesso que não tenho muito como provar, mais o Movimento LGBT só poderia ter sentido e expressão como parceiro do pior do movimento feminista. Eu apresentei esta tese em julho de 2012: "O Manifesto SCUM pode explicar o Movimento LGBT?", http://avezdoshomens.blogspot.com.br/2012/07/o-manifesto-scum-pode-explicar-o.html.

[12] http://www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/garras_invisiveis

[13] "Facebook bloqueia publicações de evento do protesto marcado para 16 de agosto e suspende ativistas", Folha Política, 10/08/2015, http://www.folhapolitica.org/2015/08/facebook-bloqueia-publicacoes-de-evento.html.

[14] "Em nome da proteção às crianças e aos adolescentes, vamos dar apoio a um Estado fascista-muçulmanóide?",
http://avezdoshomens.blogspot.com.br/2009/01/em-nome-da-protecao-as-criancas-e-aos.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook