quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Direita cristã, acabou! - parte 1

Abigail Pereira Aranha

Como os antiesquerdistas podem confirmar, o movimento esquerdista destruiu a vida intelectual e cultural de vários países, entre eles o Brasil, e esta destruição já afeta a própria esquerda (como exemplo, a vergonhosa presidente do Brasil Dilma Rousseff). Mas antes disso, como os mesmos antiesquerdistas podem confirmar, o movimento esquerdista neutralizou a direita e as igrejas cristãs. Como eu sou ateia, anarquista e defensora da putaria, eu posso perceber e expor o problema: se a direita cristã não for culturalmente apresentável, além de não ser perigo para o Socialismo, a própria existência dessa direita pode ser uma promoção do Socialismo.

Uma desvantagem dos direitistas cristãos é a falta de imaginação. Mesmo que o projeto socialista seja impreciso e tenha mudado nesse tempo do Manifesto Comunista até hoje, os socialistas querem alguma coisa nova, que nunca existiu antes. Então, eles precisam, mesmo vagamente, conceber o projeto de uma sociedade, que é nova, e conceber um projeto de mudança da sociedade velha para a sociedade nova. A militância esquerdista, quando destrói a direita, tem um projeto criativo, de substituir o que existia por algo novo. A direita quer substituir o esquerdismo por um projeto nostálgico e derrotado desde o século XIX. O próprio sucesso crescente do Marxismo prova o contrário do discurso conservador, de que o Cristianismo e a família cristã não duraram 18 séculos até o Manifesto Comunista por falta de inimigos dedicados. E os direitistas entram pra perder também porque a esquerda já absorveu alguns motes da direita e dos cristãos. O Socialismo já mostra os próprios males, inclusive a insustentabilidade, desde a Revolução Russa. Mas não está agonizando, porque a direita já está morta. É uma longa explicação, vou começar agora por pontos.

Ponto 1: a igreja cristã tradicional acabou. Os meus amigos cristãos no Facebook podem confirmar que podem dizer coisas no meu perfil, conversando eles comigo (que sou ateia) ou amigos católicos com amigos evangélicos, que não podem dizer nas próprias igrejas. Todas as denominações cristãs históricas foram destruídas por dentro. Uma igreja de qualquer denominação com um doutrina ou padrão de conduta da época do seu avô é impensável hoje. Vocês sabem disso.

Ponto 2: a família conservadora é impraticável. Nem as igrejas cristãs tradicionais têm, como regra, mulheres para boas esposas (em qualquer padrão); nem os homens cristãos tradicionais solteiros têm muito interesse no casamento; nem criar um filho é seguro. O Feminismo realmente fez o casamento cada vez mais impensável e piorou os casamentos já existentes para os homens, mas não é só isso. A família típica é um antro de exaltação do analfabetismo, da neurose antissexual e do abuso físico-moral. Mesmo que um professor não possa dar atenção a cada um de uma turma de 40 alunos, a escola pública que foi ideia marxista vai dar ao estudante criança ou adolescente o conhecimento de novas ideias e novos amigos. Mesmo quando os pais do estudante são mais instruídos que ele, não é comum que eles consigam defender as próprias ideias e demonstrar qual o erro de uma ideia ensinada na escola se houver mesmo algum. A castidade nunca foi razoável, veio a Educação Sexual na escola pública e tudo que papai e mamãe puderam fazer é gritar que o filho é muito novo para ver aquilo. A família tradicional que está sendo defendida no Brasil e nos Estados Unidos seria pisada pelo movimento esquerdista como uma barata num corredor, isso se ele quisesse mesmo atacá-la.

Ponto 3: a louvação à empresa privada NÃO é propaganda do Liberalismo. Se o livre mercado é tão bom, por que nenhuma empresa é conhecida por defendê-lo, mas qualquer média empresa faz propaganda de que tem, por exemplo, um trabalho social ou gestão de lixo ambientalmente correta? Outro problema: se você é empresário e acredita no Liberalismo ou no Ultraliberalismo (chamado erradamente de Anarcocapitalismo) e o seu empregado não, você está liquidado. Os ultraliberais acham, por exemplo, que os atuais 11 milhões de funcionários públicos do Brasil podem ser substituídos por um terço disso trabalhando o dobro e ganhando a metade para produzir o triplo. São os mesmos que acham que alguém sobrevive com 200 ou 300 dólares por mês no Brasil. São os mesmos que não sabem por que um funcionário público de 40 anos de idade não sai do empregador público onde está há 10 anos seguidos e tem uma estabilidade no emprego. São os mesmos que não sabem que quem amaldiçoa o desconto no salário para a Previdência Social são só eles, o trocador de ônibus está mais preocupado com a empresa descontar o dinheiro levado em um assalto dos menos de dois salários mínimos que ele ganha.

Ponto 4: a existência de uma iniciativa privada livre NÃO faz o Liberalismo. Uma empresa privada pode ter uma série de regras farisaicas, várias funcionárias foram demitidas por causa de vídeos ou fotos sensuais, sexuais ou pornográficos fora do local de trabalho ou antes de serem contratadas. Algumas empresas demitem funcionários apenas por namorar um(a) colega. Poxa, a empresa está comprando o trabalho ou o corpo e a alma? O colaborador mais valioso do Socialismo é o idiota burguês de segunda geração que prova que o que é bom para o empregado é ruim para a empresa e vice-versa. Qualquer militante esquerdista mediano sabe onde isso acaba: mais desempregados, os bons empregados são desestimulados, os empregados ganham menos, o consumo cai, empresas fecham, as que não fecham desempregam mais gente ainda e O ESTADO CRESCE, socorrendo tanto as empresas privadas em crise quanto os proletários prejudicados em seus direitos. Mas a pior parte é quando as grandes empresas privadas se tornam grandes ou ganham muito dinheiro PORQUE a administração pública é o maior cliente ou PORQUE têm esquemas de corrupção com funcionários públicos ou políticos. Aí, não é o Capitalismo entrando na política, é o Socialismo entrando na economia. O Liberalismo econômico e as liberdades individuais devem ser difundidos culturalmente e garantidos na prática ANTES das garantias para a iniciativa privada.

Ponto 5: quase não existe análise nas igrejas cristãs nem na direita. São raras pessoas na direita e no meio cristão que dizem algo que pareça razoável, mesmo em religião. O mais próximo da intelectualidade ou da análise estratégica na direita cristã, em regra geral, é pregadores idiotas espancadores de espantalhos, palestrantes pagos para dizerem o que agrada a burgueses de segunda geração e velhotas interioranas com inveja enrustida das mulheres que tiveram coragem de parecer menos sexualmente reprimidas que elas. Até eu, uma garota do povo com raciocínio normal e um trabalho amador na blogosfera, tenho mais confirmações, nos três anos ou três dias depois, das opiniões que eu falo e escrevo do que quase todos eles entendem como mínimo de acerto para alguém ser digno de ser chamado estudioso ou jornalista.[01]

Foi muito bom termos conseguido, no Brasil, fazer uma série de protestos contra o governo Dilma Rousseff e juntar centenas de milhares de pessoas comuns em cada um. Também é muito bom ver índices de rejeição, dos que acham este governo ruim ou péssimo, de 60, 70 por cento. Mas até isso tem sabor de derrota para os antiesquerdistas. Primeiro, porque a desaprovação não é de gente indignada com o governo do PT, é de gente insatisfeita com o desempenho da srta. Dilma Rousseff de 2014 até aqui. Segundo, porque para chegarmos a números de até um milhão de pessoas nas ruas tivemos que ter um desastre: bilhões de reais desviados por corrupção, adolescentes criminosos com mais garantias jurídicas que os policiais e as vítimas (quando são honestas), desindustrialização do Brasil, crescimento zero do PIB em 2014, previsão de retração do PIB de 2% em 2015 e, para encerrar (por enquanto), falta de dinheiro até para os programas assistencialistas do governo e desemprego chegando até nos funcionários públicos. Terceiro, porque este um milhão que foi o máximo, em manhã e tarde de domingo, é muito menos que os cerca de 100 milhões que, pelas pesquisas, acham o governo ruim ou péssimo. Quarto, porque o pouco que se aborda nestes protestos, como o escândalo da Petrobras, é o que os grandes veículos subornados com dinheiro público não puderam deixar de mencionar, portanto, o próprio Partido é que foi desastrado.

Eu citei o caso dos protestos contra o governo do Brasil para ilustrar que: 1) ser contra a esquerda não significa necessariamente ser a favor da direita ou vice-versa, como eu mesma tento demonstrar desde 2006; 2) uma queda de popularidade ou de respeitabilidade de um movimento de esquerda ou de um governo de esquerda não apenas não significa necessariamente um fortalecimento da direita, pode ser SIMULTÂNEO a um FORTALECIMENTO do movimento esquerdista ou da ideologia socialista. Principalmente quando a própria esquerda consegue assumir o discurso que seria de uma direita já vencida para objetivos próprios.

Enquanto eu escrevia esse texto, a página Spotniks publica "6 razões por que o PSOL é um partido de direita... segundo o PCO" (http://spotniks.com/6-razoes-por-que-o-psol-e-um-partido-de-direita-segundo-o-pco). Para quem não conhece as siglas, PSOL é Partido Socialismo e Liberdade, PCO é Partido da Causa Operária.

Olha só, eu disse "acabou" no título, mas não para dizer que o Socialismo é invencível. Quem pode destruir o esquerdismo não é o movimento de direita como o conhecemos, é a ação de indivíduos com sanidade moral e mental com poder sobre as próprias vidas trazendo esta sanidade ao padrão da vida social.

E enquanto eu estava escrevendo esse texto, eu vi um caso (mais um) que confirma o que eu disse. Vou explicar melhor na parte 2.

NOTA:

[01] E tenho que dizer que, em comparação com o tamanho do meu trabalho e o da minha pessoa, a lista de confirmações do que eu escrevo apenas por observação é grande. Eu vou dar três exemplos, não para me gabar, mas para mostrar, por exemplo próprio, o que é um raciocínio normal que deve ser o mínimo primeiro entre os antissocialistas e depois em uma população politicamente saudável, e que este nível intelectual está em falta na direita, principalmente na direita cristã:

1) Eu escrevi "Diretor do FMI detido só por tentar agarrar uma camareira baranga vinda da África? Estão de brincadeira?" em 24/05/2011 (http://avezdasmulheres.blog.com/2011/05/24/diretor-do-fmi-detido). As matérias que eu vi na televisão e na internet poderiam ser só mais uma fofoca de gente rica, mas até nisso os jornalistas entregaram. Não é por qualquer motivo que um policial tiraria um negro de um ônibus em uma rodoviária no Brasil, tiraram o diretor-gerente do FMI de um avião nos Estados Unidos por causa de uma camareira que disse que foi estuprada por ele, imigrante, negra e feia pra caralho. Outra: o homem já era cliente de prostitutas. Pensei na hora: tem coisa errada. E escrevi a respeito, terminando o meu texto dizendo "Ou essa coisa toda é só uma conspiração contra ele em particular, ou é sinal de que o feminazismo está forte. Não veja esse caso como problema do Strauss Kahn ou dos cafajestes. A ameaça está principalmente sobre os homens que prestam, os que sempre respeitaram as mulheres". Dominique Strauss-Kahn, era diretor-gerente do FMI e pré-candidato à Presidência na França com grandes chances. Foi substituído em julho daquele ano por uma mulher, a ex-ministra das Finanças francesa Christine Lagarde. Interessante, né? Mais ou menos na mesma época, o Reinaldo Azevedo escreveu sobre o assunto, eu não tinha lido os textos dele antes de escrever os meus, mas fomos pela mesma linha. E a direita cristã não estava entendendo nada, o próprio Tio Rei foi malhado pelo que escreveu. Depois, nós confirmamos as nossas suspeitas. Ele escreveu em 01/07/2011: "Caso Strauss-Kahn: a Justiça e a Promotoria americanas de joelhos para o politicamente correto. Este blog acertou, não é mesmo?" (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/caso-strauss-kahn-a-justica-e-a-promotoria-americanas-de-joelhos-para-o-politicamente-correto-este-blog-acertou-nao-e-mesmo), onde ele disse que "Quando veio a público a informação de que os vestígios de sêmen encontrados na gola do vestido da mulher eram, de fato, de Strauss-Kahn, em vez de o jornalismo ligar o desconfiômetro, fez-se o contrário. Tomou-se aquele fato como prova de que ela falava a verdade: ele, com efeito, a submetera a sexo forçado... Pois é! Foi exatamente com essa 'prova' que tive a certeza de que ela era uma vigarista. Vocês já tentaram abrir a boca de uma criança de um ano para dar um remédio quando ela não quer? Não há força humana que consiga. Imaginem, então, abrir os maxilares de um adulto contra a sua vontade. Mas quê! Jornalistas se esqueceram de que também fazem sexo — a maioria ao menos. Parecia que a Europa branca e colonialista havia posto a África colonizada de joelhos para o 'blow job', o 'trabalho de sopro'." Ele também escreveu: "Strauss-Kahn está solto. Ou: O tribunal discricionário formado pelo multiculturalismo, pelo racismo às avessas e pelo feminismo cretino" (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/strauss-kahn-esta-solto-ou-o-tribunal-discricionario-formado-pelo-multiculturalismo-pelo-racismo-as-avessas-e-pelo-feminismo-cretino). A Nafissatou Diallo era cheia de malandragens, inclusive a estória de que ela foi vítima de estupro coletivo quando ainda estava na Guiné. Por causa desta estória, ela conseguiu o green card. Já nos Estados Unidos, o New York Post dedicou a ela o editorial de 24/08/2011 "No longer welcome" (não mais bem-vinda), que conta um bocado das tramoias dela (http://nypost.com/2011/08/24/no-longer-welcome).

2) Eu escrevi "Em nome da proteção às crianças e aos adolescentes, vamos dar apoio a um Estado fascista-muçulmanóide?" em 05/01/2009 (http://avezdasmulheres.blog.com/2009/01/05/em-nome-da-protecao-as-criancas-e-aos-adolescentes), uma reflexão sobre filtros de acessos em lan houses e computadores domésticos e censura em programas de televisão. Eu coloquei alguns textos no apêndice, entre eles uma pequena matéria de novembro de 2008 em que quem fala que a televisão tinha "sexo e violência de manhã, de tarde e de noite" é o LULA, então presidente do Brasil. Ainda faltava dois meses para eu completar 18 anos, mas eu já sabia que censurar pornografia, fazer campanha contra nudez e bisbilhotar entretenimento de criança poderia, além de torrar a paciência, acabar em censura política. Depois disso, que eu me lembro agora, eu escrevi dois textos especificamente sobre isso. E o que acontece em 2015, uma semana antes dos protestos contra o PT? "Conforme relatado por administradores da página Revoltados ON LINE, o sistema do Facebook teria bloqueado publicações do evento 'Mega Manifestação - Não vamos pagar a conta do PT!'. O evento, que conta com mais de 49 mil pessoas confirmadas e quase 348 mil convidadas, teria sido bloqueado e ficado indisponível para o acesso por um determinado período, o que ocasionou, inclusive, o bloqueio do perfil de integrantes da equipe." ("Facebook bloqueia publicações de evento do protesto marcado para 16 de agosto e suspende ativistas", 10 de agosto de 2015, http://www.folhapolitica.org/2015/08/facebook-bloqueia-publicacoes-de-evento.html). E como conseguiram isso? "Chegaram a publicar imagens de pornografia para em seguida denunciá-las por outros perfis, apenas para que o evento saísse do ar".

3) Daniel Coelho escreveu, em 12/01/2010, "Mulher Submissa, Vítima do Machismo" (http://www.coelhovoador.net/filosofia/html/20100112MulherSubmissa.html), onde ele glorifica o Islamismo como machista e antifeminista. Eu escrevi em 30/10/2011 que o Islamismo não poderia ser machista no sentido feminista do termo, e o único dado que eu tinha para provar na época era que uma religião misógina e dominadora sobre as mulheres não poderia ser seguida e sustentada por um quinto das mulheres do mundo em plena era feminista ("O machismo foi criado pelas mulheres - parte 6: se as religiões são machistas, por que até hoje as mulheres são minoria entre os não-religiosos?", http://avezdasmulheres.blog.com/2011/10/30/o-machismo-foi-criado-pelas-mulheres-parte-6). Em 30/03/2012, o blogue Pro-Male/Anti-Feminist Technology compartilha que "Muçulmanos conservadores querem que você se case com mães solteiras" ("Conservative Muslims Want You To Marry Single Mothers", http://www.antifeministtech.info/2012/03/conservative-muslims-want-you-to-marry-single-mothers, traduzido para o português em http://canal.bufalo.info/2012/04/muculmanos-conservadores-querem-que-voce-se-case-com-maes-solteiras), e ele começa o texto dizendo que nunca acreditou, como muitos antifeministas acreditavam na época, que o Islamismo seria uma alternativa para combater o Feminismo. Ahmad Shafaat, um paquistanês naturalizado canadense que é professor na Universidade de Montreal, disse em "Algumas observações importantes quanto ao tema 'Casamento'" que a sociedade islâmica é "uma sociedade feminista já há 14 séculos". Mais: "O aumento do número de adeptos se verifica sobretudo no Ocidente, em países da Europa e nos EUA. Seria como declarar que as mulheres desses países são loucas por trocarem os "direitos e liberdades" ocidentais pela "repressão islâmica". No Brasil, 7 em cada 10 convertidos são mulheres. Se as leis islâmicas fossem repressoras, por que essas mulheres estariam se convertendo ???????" O texto foi "publicado primeiramente no al-Ummah-Ummah, Montreal, Canadá em 1984" (http://www.wamy.org.br/2013/index.php?option=com_zoo&task=item&item_id=1867&Itemid=243&lang=pt-BR).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook