sexta-feira, 1 de abril de 2016

Como o Petrolão pode enterrar o Conservadorismo-Liberalismo - parte 2: a derrota das instituições e um pouco de Anarquismo

Abigail Pereira Aranha

Se a figura de autoridade fosse sempre a melhor pessoa para o lugar em que está, pelo menos tecnicamente e isso não só em política, o Anarquismo não existiria. Mas nós sabemos que o que mais passa pela cabeça de quem está por cima, em qualquer lugar de qualquer época, é alimentar o ego, vida fácil e, no caso dos homens, uma opção entre comer vadias enrustidas e ter uma mulher que nem teve libido suficiente para ser vadia. Tá bom, muita coisa boa foi feita em ditaduras e governos despóticos ou por estudiosos que eram grandes cretinos. Mas isso foi feito apesar dessas figuras, não por méritos delas. A grande maioria das autoridades políticas, acadêmicas, militares não merece o respeito normal entre dois cidadãos comuns não só apesar da posição de autoridade, também por causa dela.

O que fez o final da obra ser aceitável passa necessariamente pelo respeito à pessoa que sabe fazer aquela coisa boa, ou no mínimo um respeito ao produto final. O Socialismo é uma ditadura de estupidez e mediocridade para acabar com esse respeito ao mérito. E isso não vem só da elite governante, vem também, talvez ainda mais, do povo que apoia o sistema. O Conservadorismo não tem esse nível de iniquidade, mas tenta conservar as mesmas figuras de autoridade para minimizar aquela estupidez.

Você se lembra de uma parábola de lobos, cães pastores e ovelhas, que dizia que os cães pastores, que são os policiais, se parecem com os lobos, que são os caras maus, mas defendem as ovelhas, que são os cidadãos comuns? Essa é do tempo do "combate ao terrorismo" nos Estados Unidos. Quem gostava da parábola na época é quem em 2014 pediu a cassação do Barack Hussein Obama lá ou o impeachment da Rainha Louca aqui. O que mudou? Não é só que as autoridades desses governos são socialistas, e isso não só no poder político formal, é que nesses governos saíram lambanças indefensáveis.

Isso nos leva ao caso da Operação Lava-Jato. Vamos destacar: a Operação Lava-Jato é o inquérito sobre o Petrolão. Já vimos lulopetistas dizendo que o que derrubou a Petrobrás e causou a atual crise econômica foi a Operação Lava-Jato. É como se o centro da cidade tivesse uma onda de assaltos e depois que a polícia pegasse alguns dos bandidos, alguém dissesse que a culpa da falta de segurança fosse do batalhão de polícia. Mas vamos nos lembrar de que 252 milhões de reais foi o que UM ex-gerente prometeu DEVOLVER[1]. Como esse esquema de desvio ou mau uso de dinheiro público pôde ficar invisível por 3 ou 4 anos só do mandato da então Presidente da República? Isso tem a ver com os programas sociais. O governo PT aumentou o número de analfabetos funcionais dentro das universidades e durante esse governo, o setor público nos três níveis aumentou para mais de 5% da população total hoje. Isso significa que o grupo autor do Mensalão e do Petrolão adoçou a boca de um bom bocado da população brasileira: uma pessoa com deficiência para interpretar qualquer texto maior que um artigo de folhinha de paróquia poderia ter um diploma universitário e depois uma sinecura no serviço público, talvez em uma repartição que fosse toda ela desnecessária ou até daninha para a coletividade.

Aí o liberal vai dizer que se a PTbrás fosse uma empresa privada, isso não teria acontecido. É aí que entra a construtora Odebrecht: em vez de perder dinheiro público, ela recebeu; em vez de encolher, cresceu ou continuou grande.

Mas o esquema que beneficiava desde os membros do PT até a mãe solteira de um cotista de universidade pública trouxe, pra começar a conversa, retração de 4% do PIB em 2015[2], com previsão ainda pior para este ano. E agora? Como glorificar a polícia, o Poder Judiciário e o governo quando o país tem 20 homicídios por 100 mil habitantes e a solução deles para isso é desarmar as futuras vítimas? Como glorificar o Poder Judiciário se você homem tem 92% de chances de não ser preso se matar uma pessoa, mas pode ser preso por dever pensão alimentícia, ou qualquer lésbica desequilibrada te faz responder por um crime sexual que nunca existiu? Como glorificar uma estrutura estatal que consome 40% do PIB e o posto de saúde do bairro está com falta de remédios? Aqui está o problema de um serviço público, incluindo universidades, onde qualquer um pode entrar e se destacar: qualquer um sabe que é uma porcaria.

O caso Lava-Jato (relembro que é a investigação, não o crime) fez o PT fazer duas coisas de comédia. A primeira foi indiciar políticos da oposição que nunca tiveram influência na Petrobrás para que os petistas Lula e Dilma continuassem como não-investigados. Foram a Polícia Federal e o Ministério Público, mas sob a direção do PT. A segunda coisa foi tentar nomear o nunca investigado Lula como Ministro da Justiça, para ele continuar sendo um não-investigado ou pelo menos um não-preso. Isso só não aconteceu porque o povo já estava mostrando indignação havia mais de um ano e gente do próprio Judiciário se mexeu antes de nunca mais ter moral de pedir respeito.

Você já observou que, tirando os paspalhos que pedem a intervenção militar, os heróis lembrados nas manifestações contra o PT são indivíduos? Em vez do Congresso Nacional, Jair Bolsonaro. Em vez da imprensa, Olavo de Carvalho. Em vez do Poder Judiciário, Sérgio Moro. E qual clérigo em vez da Igreja Católica? E qual pastor em vez das igrejas evangélicas? E qual policial em vez das polícias? E esses indivíduos também não têm grande posição de hierarquia, no máximo o dr. Sérgio Moro que é o titular da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba. Aliás, os presidentes do Congresso Nacional, o da Câmara que é o Eduardo Cunha e o do Senado que é o Renan Calheiros, também ganharam pelo menos uma faixa de "fora": uma imagem rápida da Globo das manifestações de 13 de março mostrava uma faixa "Fora Dilma, Lula, Cunha e Renan".

E não apenas quase todas as autoridades passaram longe das homenagens, e só foram lembradas para fazerem o seu trabalho que já devia ter sido feito há um bom tempo. A própria manifestação popular foi um modelo meio anarquista. O público era maioria de direita, mas o formato de passeata, de aglomeração em praça pública, de bonecos gigantes, de faixas e cartazes é um formato que até há muito pouco tempo atrás quase só esquerdistas e anarquistas usavam, e dessa vez foi usado contra a esquerda. Mas não foi só o formato do protesto que o Conservadorismo pegou da militância esquerdista: a denúncia contra as instituições também. Ficou pra História também que o que o Conservadorismo e o Liberalismo tentaram preservar é algo que os socialistas nunca tentaram destruir, porque pode ser muito bom para eles, socialistas.

NOTAS

[1] "Ex-gerente da Petrobras se compromete a devolver R$ 252 milhões", Congresso em Foco, 17 de novembro de 2014, http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/ex-gerente-da-petrobras-se-compromete-a-devolver-r-252-milhoes. "O ex-gerente-executivo de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco se comprometeu a devolver US$ 97 milhões, o equivalente a R$ 252 milhões, que teria recebido do esquema de corrupção na empresa."

[2] "'Prévia' do PIB do Brasil fecha 2015 com queda de 4,08%, calcula BC", Valor, 18 de fevereiro de 2016, http://www.valor.com.br/brasil/4442324/previa-do-pib-do-brasil-fecha-2015-com-queda-de-408-calcula-bc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário