quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Protestos feminazistas na Itália pelo calendário de Toscani que mostra púbis feminino

Protestos na Itália por um calendário de Toscani que mostra púbis feminino
El polémico calendario de Toscani, desplegado en Florencia. | AfpO polêmico calendário de Toscani, exposto em Florença. | Afp
  • As associações de mulheres estão tentando evitar a sua divulgação
  • Toscani se defende porque as fotos mostram "o coração da sedução"
Afp | Roma
Atualizado domingo 16/01/2011 17:33 horas
Um calendário publicitário composto inteiramente por fotos de púbis femininos assinada pelo fotógrafo italiano Olivieri Toscani, causou uma onda de protestos na Itália, onde as feministas fazem campanha para impedir sua publicação.
No calendário aparece cada mês um púbis diferente alternando primeiros planos de pelos loiros, castanhos ou ruivos.
"Eu queria tirar o glamour das fotos tradicionais de moda, onde as mulheres andam em salto alto, levando os lábios pintados de vermelho e onde se mostra tudo, exceto o triângulo feminino, o verdadeiro coração da sedução", disse o fotógrafo.
Oliviero Toscani, o rei da provocação, tornou-se famoso por fazer campanhas controversas para o grupo Benetton durante a década de 90.
o calendário foi encomendado por um consórcio de empresários de curtidores de peles, o que também tem sido criticado pelas organizações de mulheres. A Associação Todas Libres considera que o fotógrafo faz um paralelo entre a pele curtida de um animal e a pele do sexo feminino.
Campanha contrária à ética
Enquanto Toscani insiste em que suas fotos são um símbolo de beleza natural, um grupo feminista acha que a empresa é antiética. "Estamos escandalizadas por este enésimo exemplo de corpos femininos usados para fazer publicidade. Toscani sugere que a essência da mulher se encontra no sexo?" perginta Roberta Gavagna, da associação anti-violência Artemisia.
Não é a primeira vez que o fotógrafo milanês, de 69 anos, está no olho do furacão: em 2007, lançou a polêmica campanha contra a anorexia, protagonizada por Isabelle Caro, a jovem modelo anoréxica de corpo esquelético, que morreu em novembro passado.
Mas longe de ser intimidado pela crítica, Toscani defendeu fortemente o seu último trabalho: "Há muitos calendários de mulheres sexys mostrando suas nádegas. Minhas fotos não são diabólicas, eles capturam uma parte do corpo bonita e saudável", argumenta.
o calendário, que teve tiragem de 76 mil exemplares será distribuído com a versão italiana da revista 'Rolling Stone'.
Diante desta situação, o Conselho Municipal de Florença, capital da Toscana, aprovou nesta mesma semana por unanimidade uma resolução para processar o consorio de empresários para que retire o calendário.
"Essas imagens se ajustam aos estereótipos e é ofensivo reduzir as mulheres a seu sexo", denunciou Maria Federica Giuliani, do escritório de Florença pela Igualdade de Oportunidades.
Um argumento rejeitado pelo consórcio de curtidores que pergunta: "É normal que as autoridades se preocupem com um calendário que não é nada vulgar quando há problemas muito piores na indústria de couro?", afirma seu representante Simone Remi.
"Nossas empresas cumprem todas as normas ambientais de saúde e segurança, mas devemos competir com empresas que quebram as regras, fazem contratações ilegais e contaminam. Isso não é um escândalo de verdade?", se indigna Remi.
Toda a carreira de Toscani foi cercada por escândalos após ilustrar as campanhas publicitárias da Benetton com um homem morrendo de AIDS em 1992 ou condenados à morte nos EUA (2000). Algumas de suas campanhas têm sido proibidas na Itália, como uma que mostrava dois homens se beijando.
O organismo italiano de auto-regulação publicitária convidou Vera Pelle a não anunciar este calendário, que "constitui um ataque à dignidade da pessoa, já que ele compara o corpo de uma mulher com a pele de couro."
Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / A Vez dos Homens que Prestam
Por que um calendário com uma dúzia de púbis femininos incomoda tanto? Por que um calendário destes é mais grave que empresários fazendo contratações ilegais? Por que as feministas rejeitam o machismo quando ele impõe regras pra elas saírem de casa e elas aceitam o mesmo machismo quanto a pelo pubiano de mulher à mostra?
Previsão de novos textos da série "O machismo foi criado pelas mulheres", em breve:
Parte 4: por que uma sociedade machista discrimina a prostituição e a pornografia?
Parte 7: porque até as feministas são moralistas?
Por enquanto, eu vou baixar outra paulada: "O anúncio da cerveja Devassa e o calendário com púbis femininos: a sociedade é machista ou é só histeria lesbo-nazi-moralista?", no A Vez das Mulheres de Verdade e no A Vez dos Homens que Prestam.
Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página no Facebook