quarta-feira, 8 de maio de 2013

Brasil tem 3º maior número de assasinatos de jornalistas no mundo em 2013 e a imprensa não diz (quase) nada?

Brasil tem 3º maior número de assasinatos de jornalistas no mundo em 2013

Publicado em Domingo, 05 Maio 2013 11:09 Escrito por Estadão Conteúdo

O Brasil já registrou em 2013 o assassinato de quatro jornalistas, praticamente um a cada dez no mundo nesse período. Dados divulgados no Dia Mundial da Liberdade de Expressão apontam que, nos primeiros quatro meses de 2013, o Brasil é o terceiro país com maior número de mortes no mundo.

A liderança no número de assassinatos de profissionais é do Paquistão, com nove jornalistas mortos até agora no ano. A Somália vem em segundo lugar, com cinco. No total, 39 jornalistas já perderam suas vidas em 2013 pelo mundo. Na Síria, quatro jornalistas também foram mortos.

Os dados são da Press Emblem Campaign, entidade com sede em Genebra e que defende a criação de regras internacionais para proteger jornalistas em zonas de guerra. Neste ano, o dia comemorado pela ONU, marcado para hoje, tem justamente a questão da segurança do jornalista como tema principal.

Em 2011, o Brasil havia registrado a morte de seis jornalistas em todo o ano. Em 2012, o número chegou a onze. Agora, a tendência de um número elevado parece estar sendo mantida, o que preocupa especialistas e a ONU de que os assassinatos estejam se transformando em "rotina".

O que chama a atenção da ong é o elevado número de mortes também em toda a América Latina, região que teoricamente não atravessa guerras. Dos 39 mortos no mundo nos primeiros meses de 2013, 13 foram registrados nos países latino-americanos, entre eles dois no México, dois no Paraguai e outros dois na Guatemala.

"A situação é muito preocupante para jornalistas", alertou Blaise Lempen, secretário-geral da entidade.

Outras entidades, como Reporteres Sem Fronteira, também tem alertado sobre a violência contra jornalistas no Brasil e, num informe de 2012, apontou que o País sofreu uma queda importante no ranking de locais onde mais se respeita a liberdade de expressão.

Na ONU, o Itamaraty vem adotando uma postura e um discurso de apoio à defesa aos jornalistas em diversas reuniões sobre direitos humanos. Mas a entidade alerta que isso não tem se traduzido em ação concreta no País.

Navi Pillay, comissária de Direitos Humanos da entidade, já alertou que cabe ao governo garantir a proteção dos jornalistas em atividade, num esforço importante para garantir a liberdade de expressão.

http://www.dcomercio.com.br/index.php/geral/sub-menu-geral/108960-brasil-tem-3-maior-numero-de-assasinatos-de-jornalistas-no-mundo-em-2013

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / Jornal dos Homens que Prestam / Universidade Plebeia Revolucionária

A matéria é do Diário do Comércio da Associação Comercial de São Paulo. Onde mais se fala do assunto?

  1. Estadão ("Brasil é 3.º do mundo em número de jornalistas mortos", 03 de maio): nota de 384 caracteres do correspondente Jamil Chade.
  2. Território Eldorado, copiando a notinha ridícula citada acima.
  3. Yahoo! Brasil Notícias, copiando a notinha ridícula citada acima.
  4. Bahia Notícias, a notinha citada acima ligeiramente modificada sem citação de fonte.
  5. VCA News, Vitória da Conquista, Bahia, copiando o Bahia Notícias.
  6. Portal Alagoinhas News, Alagoinhas, Bahia, copiando o Bahia Notícias.
  7. O Tempo Jornalismo, Camacã, BA ("Brasil é terceiro país do mundo em número de jornalistas mortos este ano", 03 de maio): texto de 1.178 caracteres incluindo o título, data e a autoria do Cláudio Humberto.
  8. ABERT, Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão ("Brasil é o terceiro país do mundo em número de mortes de jornalistas em 2013", 03 de maio): texto de 1.143 caracteres incluindo o título, data e créditos.
  9. Jornal Tudo BH ("Brasil é 3º do mundo em número de jornalistas mortos", 03 de maio): texto de 1.484 caracteres incluindo o título, data e créditos com Agência Estado.
  10. iG São Paulo, no Último Segundo ("Brasil é terceiro do mundo em número de jornalistas mortos", 03 de maio): texto de 1.829 caracteres incluindo o título, data e créditos com Agência Estado.
  11. Tribuna da Conquista, copiando o iG.
  12. A Tribuna, Campo Grande, MS, o mesmo texto publicado no Diário do Comércio, mas dando como fonte Jornaldiadia.

A página da ABERT ainda têm as matérias "Dia Mundial da Liberdade de Imprensa completa 20 anos" (http://www.abert.org.br/site/index.php?/noticias/todas-noticias/dia-mundial-da-liberdade-de-imprensa-completa-20-anos.html) e "Jornalistas debatem as ameaças à liberdade de imprensa no Brasil" (http://www.abert.org.br/site/index.php?/noticias/todas-noticias/jornalistas-debatem-as-ameacas-a-liberdade-de-imprensa-no-brasil.html), esta sobre o V Fórum Liberdade de Imprensa e Democracia, dia 7 (ontem), em Brasília.

Fora isso, antes de continuar, a pérola do Portal Alagoinhas News.

Puta que o pariu! Tive que soltar esta, amigos, vocês sabem que não é o nosso costume. Mais uma vergonha do Brasil no mundo, mais uma vergonha política do Brasil e a imprensa mal faz control C - control V para falar dos seus jornalistas mortos? Será que agora nós descobrimos onde andam os homens e mulheres honrados do jornalismo brasileiro (no cemitério)?

Mas por que isso (fora a covardia da maioria dos jornalistas)? É porque agora o foco dos jornais, das revistas, das televisões, não é mais conquistar leitores, é garantir a fatia da verba de publicidade das três esferas de governo. Além de se proteger da patrulha de imbecis que está linchando qualquer um que escreva duas ou três postagens de rede social fora do politicamente correto. Além, você já deve ter pensado, da falta de capacidade intelectual e moral de escrever duas ou três verdades que incomodem.

Disse o secretário-geral da Press Emblem Campaign que "a situação é muito preocupante para jornalistas". Pra mim, mais preocupante ainda é a corno-mansice que eu descobri pesquisando quem fala de jornalista assassinado no Brasil.

Matéria sobre a Marcha das Vadias de 2012 em Belo Horizonte no Super Notícia (jornal de R$ 0,25): texto de 2.434 caracteres incluindo o título, data e créditos. Cerca de 600 caracteres a mais que a maior das matérias citadas. Gente, vou tomar um suco de maracujá porque se eu fizer sexo agora não vai dar certo.

Atualização de 09/05: o tio Reinaldo Azevedo também não mencionou o dia 03 de maio como Dia Mundial da Liberdade de Expressão, mas escreveu um texto legal que é mais ou menos o nosso comentário: "No Brasil, conservadores e até reacionários resolveram ser ecologistas, abortistas, gayzistas, emessetistas, quilombolistas, ateístas, antirruralistas, indianistas, maconheristas... É o país da divergência perdida!"

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook