sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A gente já sabia: atrizes pornôs são mais felizes que outras mulheres

Atrizes pornôs são mais felizes que outras mulheres

Carol Castro 29 de novembro de 2012

Não, amigos, elas não se sentem mal por trocar sexo por dinheiro. Pelo contrário, se sentem melhor e mais confiantes do que a maioria das mulheres. Duvida? É só dar uma olhada nessa pesquisa realizada por universidades americanas e pela Fundação de Assistência Médica à Indústria Adulta.

Os pesquisadores compararam 177 atrizes de filmes adultos a outras mulheres de fora da indústria pornô, que tinham a mesma idade (de 18 a 50 anos), status de relacionamento e pertenciam às mesmas etnias. Eles as entrevistaram para pegar informações sobre comportamento sexual, autoestima, qualidade de vida e uso de drogas. As atrizes voluntárias trabalharam, em média, três anos e meio com pornografia.

E elas parecem ter uma vida mais feliz do que as “mulheres comuns”. Segundo a pesquisa, as atrizes pornôs têm melhor autoestima, gostam muito mais do próprio corpo do que outras mulheres, níveis mais altos de espiritualidade, maior satisfação sexual e melhor qualidade de vida (dormem melhor e têm mais energia).

Como sexo é profissão, não faz sentido ser careta na cama. E é por isso que elas entram na vida sexual um pouco antes, em média com 15 anos, enquanto as outras mulheres perdem a virgindade aos 17. Se essa diferença não é assim tão gritante, o número de parceiros ao longo da vida chama muito mais atenção: as atrizes transam, em média, com 74 homens (e preferem que eles tenham uma experiência mínima de 21 mulheres), enquanto as outras moças, têm só 5 homens na vida (e esperam que tenham tido pelo menos 3 mulheres). E elas se divertem mais com sexo: 69% das atrizes dizem gostar muito da vida sexual e só 32,8% das mulheres comuns dizem o mesmo.

Mas nem todas as estatísticas não são assim tão favoráveis às atrizes. Elas realmente usam mesmo mais drogas e têm mais problemas com alcoolismo.

E aí, ficou surpreso?

(Na foto, a atriz pornô Alexis Texas)

Crédito da foto: commons.wikimedia.org

http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/atrizes-pornos-sao-mais-felizes-que-outras-mulheres/comment-page-1/#comment-2836511

Comentários de Universidade Plebeia Revolucionária / A Vez dos Homens que Prestam / A Vez das Mulheres de Verdade

Eu já digo faz tempo que castidade faz mal. Mesmo com o pormenor do final (elas realmente usam mesmo mais drogas e têm mais problemas com alcoolismo), elas são na pior das hipóteses menos infelizes que as lésbicas das mulheres medianas.

E para quem não sabe, a indústria do pornô tem a Adult Industry Medical Health Care Foundation (Fundação de Cuidados de Saúde Médica da Indústria Adulta) para fazer teste de DST na galera. A fundação inclusive foi criada pela atriz Sharon Mitchell que tem pós-graduação (veja uma lista de pornstars inteligentes). Ou seja, os homens que defendem o casamento como segurança vão ganhar um sexo morno, a falta de tranquilidade, o fantasma da partilha do divórcio e ainda é mais fácil eles pegarem uma doença da querida esposa do que receberem a notícia de que uma atriz pornô morreu de AIDS.

Agora fico no aguardo das evangélicas pele e osso sem graça e das lesbofeministas virem descer o pau na artimanha do inimigo. Quiá, quiá, quiá, quiá, quiá.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook