domingo, 20 de julho de 2014

Feminazista diz que trecho do Manifesto SCUM citado em grupo em que ela participa não devia ter vazado e pode estar praticando CRIME (Ou: o Feminismo não constrói uma sociedade melhor, só o ódio indiscriminado contra homens)

Comentário em "O ódio indiscriminado contra homens não constrói uma sociedade melhor" (Bule Voador)

Isabela Machado da Costa –> Eduardo Patriota • 9 dias atrás

Vários pontos estão errados Eduardo. Logo no início, já começa no mínimo de forma tendenciosa. A misandria não é, na maioria dos casos, ódio aos homens de forma pessoal, ao indivíduo homem, mas à classe homem, ao que ele representa como opressor. É totalmente diferente da misoginia, à qual costumam comparar, porque é uma defesa e uma resposta. Além de não existir de forma prática, a misoginia mata mulheres todos os dias e a misandria é só uma idéia, não é uma questão estrutural. A reação do oprimido é diferente da violência do opressor. Muitas meninas misândricas tem pais, irmãos, namorados que amam. Também não sou misândrica em nenhuma de suas formas, também não vejo o ódio como uma solução produtiva, mas entendo as meninas que são.

"Todo homem pró-feminismo é simpático à dor das mulheres" também não é exatamente uma verdade. O que a gente mais vê é homem pró feminismo se aproveitando disso pra assediar meninas, pra se colocar como protagonista de um movimento que não é deles nem para eles, para tentar ter mais voz do que as próprias mulheres dentro do movimento, para chamar mais atenção ao que os homens sofrem com o machismo, do que o quanto o machismo afeta às mulheres. Os homens sofrem com o machismo? Sim. Mas também obtém muitas vantagens com ele, o que não acontece com a gente. Sofrimento masculino dentro do feminismo não pode ser pauta porque é um movimento feito de mulheres, para mulheres, para empoderar mulheres. Essa 'libertação" pro homem é consequência.

"Defendemos, justamente, o fim do ódio e perseguição a grupos excluídos ou oprimidos da sociedade." - homem não é grupo excluído nem oprimido, né?

"O mesmo raciocínio que nos leva a defender os homossexuais da discriminação raivosa é o mesmo que nos leva a ser contra qualquer incitação ao ódio contra um ser humano apenas por ele ter nascido como nasceu."

"É o mesmo raciocínio por trás do racismo contra negros, as perseguições aos judeus, o ódio aos homossexuais, a intolerância contra transgêneros e tantas outras formas de odiar pessoas ou grupos inteiros apenas por eles terem nascido do jeito ou no local onde nasceram."

- não é o mesmo raciocínio. Homofobia é ódio gratuito, racismo é ódio gratuito, misoginia é ódio gratuito, e todos direcionados a classes oprimidas. Misandria como escrevi ali em cima, não é, é resposta à violência que sofre todo dia, e vem do oprimido pro opressor. E não é "por ter nascido como nasceu", é por fazer parte de uma classe opressora, é por ter comportamentos machistas, é por se valer de privilégios. Mesmo o homem mais pró feminista do mundo é beneficiado com o machismo. O complicado com esse papo de "injustiça" e de "nem todo homem é" é que estamos falando de uma parte bem pequena do que é ser homem, e dos homens em si. A maioria ainda é machista em uma parte enorme de suas atitudes, julgamentos e comportamentos. E não dá pra gente construir um pensamento ou movimento pensando só nas exceções. Injustiça mesmo é tratar misandria como se fosse equivalente a homofobia, racismo e transfobia.

"É justamente o homem quem deve ser ensinado e sensibilizado sobre os pontos de vista das mulheres sobre o mundo." - aqui também tá errado. O homem não é incapaz de reflexão, de buscar aprender, de tentar ser melhor por si próprio. Essa responsabilidade não é das mulheres, a luta do feminismo é pra empoderar a mulher e não pra ensinar o homem. Claro, tem mulheres que tentam também isso de educar, eu mesma faço isso com os homens que vejo que valem a pena, mas isso não pode de forma nenhuma ser visto como um dever feminino. Porque muitas meninas simplesmente sofrem tanto com a bosta do machismo que não tem estômago pra isso, e não tem que ser obrigadas a ter, nem de forma sutil. A mulher já é criada pra ser cordata, educada, meiga, e na verdade tem o direito de não agir assim se não quiser. Tem o direito de não querer educar aquele que a oprime, porque na maioria das situações, isso acaba sendo mais um estresse para a mulher, que não costuma ser respeitada e sim tratada como ~louca feminazi aborteira extremista exagerada vitimista mimimi ~.

E gostaria muito de entender o que você quis dizer com "favorecimentos injustos para um lado ou outro".

Ah, e outra coisa. A imagem que você postou, do post da menina acima, é de um trecho do SCUM manifesto, da Valerie Solanas, não é de autoria dela. É fictício. Isso foi postado dentro de um grupo feminista que deveria ser seguro, para fins de debate. Houve muita discussão, crítica, todo tipo de opiniões sobre, mas era pra ter ficado ali. Não poderia ter vazado de forma alguma, e o que você está fazendo aqui é expor essa mulher. Já que você tá dizendo que é pro feminista e que se solidariza e etc, apaga né?

Resumindo, pessoalmente, concordo com alguns trechos que você colocou. Também acho que ódio não é caminho, que não é benéfico, nada disso. Mas faltou empatia pra entender a situação e/ou conhecimento sobre, resultando num post bastante tendencioso. Fora que né, não é uma atitude muito pró-feminista querer ensinar a mulheres como o feminismo deve ser. O papel do homem que quer mesmo ajudar primeiro é tentar entender o que se passa, reconhecer seus próprios privilégios, e tentar "consertar" isso junto a seu grupo de semelhantes, ou seja, outros homens. Ensinar pra mulher a melhor forma de ser mulher, ou de ser feminista, nada mais é do que tcharaaaaaam: machismo.

http://www.bulevoador.com.br/2014/07/o-odio-indiscriminado-contra-homens-nao-constroi-uma-sociedade-melhor

Comentários de A Vez das Mulheres de Verdade / A Vez dos Homens que Prestam

Bom dia, meus amigos e minh@s inimig@s. Com a doença mental do lesbonazismo os amigos já devem estar acostumados, e o argumento que a moça usou nesse comentário nem é o assunto dessa vez. Alguns já devem ter visto aquele print screen, agora sabemos a origem dele (descobri por acaso vendo o texto do Bule Viadô, como diria o amigo Denner Coutinho, compartilhado por um amigo). Fiz questão de dar o meu print screen também.

Incitar ódio contra os homens estaria em qual artigo? Artigo 20 da lei dos crimes de preconceito, por analogia? Sendo crime, a distinta que pediu pra apagar a prova se enquadra em pelo menos dois artigos do Código Penal:

Favorecimento pessoal

Art. 348 - Auxiliar a subtrair-se à ação de autoridade pública autor de crime a que é cominada pena de reclusão:

Pena - detenção, de um a seis meses, e multa.

§ 1º - Se ao crime não é cominada pena de reclusão:

Pena - detenção, de quinze dias a três meses, e multa.

(...) Favorecimento real

Art. 349 - Prestar a criminoso, fora dos casos de co-autoria ou de receptação, auxílio destinado a tornar seguro o proveito do crime:

Pena - detenção, de um a seis meses, e multa.

Se fosse um comentário de um misógino fake em um grupo antifeminista, essa mesma vaca já teria denunciado à Polícia Federal e o print screen seria mais um da coleção de fakes que representam quem discorda do Feminazismo. E o grupo já teria sido excluído pelas mulherzinhas do Facebook. Mas para lésbicas, matar homens (o que o Manifesto SCUM descreve em outro trecho) é questão de opinião.

Bom, vou comentar um pouco das linhas gerais do comentário da moça. Ela disse que a misandria não é ódio aos homens como indivíduos, só como classe (mas se você é conservador e disser que não é homofóbico e tem até amigos gays, ela talvez não aceite). E enquanto o ódio às mulheres (misoginia) é assassino, o ódio aos homens é só uma ideia que existe na cabeça e não tem a menor pretensão de acontecer (eu acho tão bonito isso de ser abstrato, baby).

Denunciei no SaferNet. Chave de acompanhamento e6dbc50a13b34a8738e2b996c5ff8ae8. Na falta da opção "apologia ao ódio", denunciei como "maus tratos contra animais". Perco o tempo mas não perco a piada. Hua, hua, hua, hua, hua! Disse a lesbonazista Robin Morgan que "o ódio aos homens é um ato político nobre e viável, e que os oprimidos possuem o direito de ódio de classes contra a classe que os oprime". A Isabela quase usa essas palavras. Será que a polícia também concorda?

Abigail Pereira Aranha

2 comentários:

  1. Provavelmente, não vai aprovar o comentario, mas vc reparou que o blog: http://bufalodareal.blogspot.com foi removido. Foi, sim, pode conferir. sera que, se fosse coisa que prestasse, esse blog feito por um "homem bonzinho" seria removido? Este blog e um de seus favoritos do seu blog, cujo nome esta na coluna a direita

    ResponderExcluir
  2. Oi, estava pensando em você esses dias. Respondendo sua pergunta: não, coisa que presta é dizer que homem é acidente biológico, aborto ambulante, criado pra matar, rir quando um homem é agredido ou assassinado. Quanto ao blogue citado, foi restaurado hoje mesmo, de madrugada. Agora vai lá procurar violência contra mulher, racismo, pedofilia ou então pode fazer denunciação caluniosa mesmo (Art. 339 do Código Penal). Beijos.

    ResponderExcluir

Página no Facebook