quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Retrospectiva 2013: a injustiça que mais indignou o Brasil foi... desportiva

Decisão do STJD é desrespeito aos torcedores, diz Flamengo

Fla foi punido por ter escalado André Santos de forma irregular contra o Cruzeiro

Publicado em 17/12/13 - 18h18

Agência Estado

@super_fc

O Flamengo voltou a criticar as decisões tomadas pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nos julgamentos realizados na noite de segunda-feira. Flamengo e Portuguesa perderam quatro pontos na tabela do Brasileirão por causa da escalação irregular de jogadores durante o campeonato. No caso do time paulista, a punição acarretou o rebaixamento para a Série B, salvando o Fluminense.

"A decisão da 1ª Comissão do STJD, proferida na noite desta segunda-feira, infelizmente vai no sentido contrário ao que nossa diretoria tem defendido para o Futebol Brasileiro: o fim da utilização dos tribunais para beneficiar 'filigranas jurídicas interpretativas' e o total respeito aos resultados obtidos pelos clubes no campo esportivo", declarou o clube, em nota assinada pelo Conselho Diretor.

Para o clube, a decisão do tribunal não deve se sobrepor aos resultados obtidos nos gramados, uma vez que o STJD acabou rebaixando a Portuguesa e evitando a queda do Fluminense. A diretoria do Flamengo, assim como outros críticos, argumenta que o STJD não deveria se ater ao código das leis que regem a justiça desportiva. E, sim, interpretar as leis a partir das circunstâncias de cada infração.

"Para nós, o que ocorreu ontem [segunda] foi um desserviço ao esporte e um desrespeito aos torcedores/consumidores, que vivenciaram o Campeonato Brasileiro de 2013, vibrando ou lamentando os resultados da última, e necessariamente derradeira 38ª rodada do Brasileirão", disse o clube.

O Flamengo foi punido por ter escalado André Santos de forma irregular contra o Cruzeiro, no dia 8 de dezembro. O jogador foi expulso contra o Atlético-PR na segunda partida da final da Copa do Brasil e pegou um jogo de gancho. O atleta chegou a ficar fora do duelo contra o Vitória, o primeiro depois da decisão da Copa do Brasil, mas a ausência naquela partida não conta como suspensão. Por se tratar de uma competição diferente, é preciso esperar o caso ir a julgamento para ter validade. Assim, ele não poderia ter enfrentado o time mineiro.

No caso da Portuguesa, o meia Héverton não poderia ter enfrentado o Grêmio no dia 8 de dezembro, na última rodada do Brasileirão. O jogador entrou em campo aos 32 minutos do segundo tempo, apesar de estar suspenso. Ele havia sido expulso contra o Bahia, no dia 24 de novembro, e cumprido um jogo de gancho diante da Ponte Preta, no dia 1º de dezembro. Julgado no STJD na sexta-feira, dia 6, no entanto, acabou condenado a dois jogos de suspensão.

Tanto Flamengo quanto Portuguesa anunciaram que vão recorrer ao Pleno do STJD. O time paulista já avisou que pode recorrer à Justiça comum para rever a punição aplicada pelo STJD.

O Tempo, Belo Horizonte, 17/12/13, http://www.otempo.com.br/superfc/futebol/decis%C3%A3o-do-stjd-%C3%A9-desrespeito-aos-torcedores-diz-flamengo-1.762145

A revolta nas redes sociais

("Portugueses escalam Pedro Álvares Cabral irregularmente e o Fluminense é o novo descobridor do Brasil" - compartilhado no Torcida do Galo)

("Novo patrocinador do Fluminense: C & A, pois a B eles pularam" - Fluminense sem STJD não é time)

(Fluminense sem STJD não é time)

("Chegou NetFlu. A internet que nunca cai! Garantia STJD." - Fluminense sem STJD não é time)

("Pela segunda vez conseguiu fugir da série B pulando a janela que foi aberta por mercenários de gravatas do futebol. Esse time é a vergonha do futebol brasileiro." - Fluminense sem STJD não é time)

Rápida retrospectiva 2013 de A Vez das Mulheres de Verdade / Jornal dos Homens que Prestam

Na edição do dia seguinte (18), saiu que a Portuguesa pode ser punida pelo STJD se recorrer à justiça comum. Mas o que eu vou focar aqui não é tanto o caso em si, mas a importância que o povo brasileiro em geral está dando para ele.

Em 2013, réus do Mensalão foram condenados 7 pra 8 anos depois de todo o caso ser denunciado na grande imprensa. E milhares de facebuquianos defendendo os mensaleiros enquanto enxergam mensalão (leia-se: eles próprios) em um caixa 2 de uma campanha eleitoral do PSDB, de um candidato que nem conseguiu ser eleito.

Em 2013, estava eu aqui montando essa postagem e um amigo no Facebook compartilha que o Canal do Otário foi tirado da Wikipedia (para quem não conhece, o Canal do Otário é uma página de direito do consumidor que já alfinetou algumas empresas grandes).

Em 2013, a página Escola Sem Partido recebe ameaça do Judiciário para apagar um texto e "se virar" para que terceiros não divulguem porque ele fala de uma professora fazendo doutrinação marxista em sala de aula e ela achou que não podia ser julgada. E quase só direitistas ficaram sabendo.

Em 2013, "o Brasil" (agitadores da militância esquerdista e massa de manobra) fazia assédio moral contra o deputado Marco Feliciano para ele renunciar a Comissão de Direitos Humanos, enquanto um deputado do partido do governo condenado pelo caso Mensalão além de ainda estar solto e com o mandato, estava assumindo outra comissão, a de Constituição e Justiça da Câmara de Deputados.

Em 2013, quase todos os nossos amigos direitistas e cristãos no Facebook compartilharam que foram bloqueados, vários perfis e páginas apagados apenas por denúncia de lésbicas de esquerda e anorgásmicas tradicionalistas que acharam o que não queriam. Mas censurados foram petistas que falaram mal de Aécio Neves.

Em 2013, as duas principais candidaturas de oposição nas eleições para presidente da República em 2014 já se mostraram. Um candidato (Aécio Neves) nunca foi oposição até poucos meses antes. O outro (Eduardo Campos) passou vergonha porque a vice (Marina Silva) distratou um aliado, mas disse dois meses depois que a relação com a situação é cordial, fraterna e institucional. Ou seja: o PSDB e o PSB vão deixar a presidência para o PT sem oposição (no duplo sentido).

Em 2013, o Facebook apagou milhares de fotos e bloqueou um sem-número de usuários em questão de horas depois de denunciadas por alguma mulherzinha, mas deixou pelo menos duas páginas com apologia a mulheres que assassinaram homens: O Machismo Nosso de Cada Dia e Comunidade Elize Ramos Kitano Matsunaga.

Em 2013, o Grupo Negro Poder Para o Povo Preto recusou ouvir um pedido de desculpas de um estudante que postou uma piada feita por um grupo africano sobre a pobreza que, segundo o 4P, era piada racista. E isso foi menos de uma semana depois da morte de Nelson Mandela, que esse mesmo grupo deve ter celebrado como lutador pela liberdade.

Em 2013, tinha gente querendo político e funcionário público corrupto solto e humorista que ofendeu sensibilidades de mulherzinha preso.

E tudo isso entre piadinhas com time de futebol.

Em 2013, devia ter gente que em junho estava "nas ruas" (arruaças arrumadas pela esquerda) falando contra a Copa e em dezembro estava protestando contra o julgamento do STJD, na rua e nas redes sociais. Achar o mesmo cidadão nos dois momentos e colocar uma foto do lado da outra ia sair bem no Facebook. Numa página liberal-fascista, claro.

Abigail Pereira Aranha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página no Facebook